A Rotina e Peri e Ceci

Maria Lúcia Candeias, especial para o Aplauso Brasil (mlcandeias@aplausobrasil.com)
 
 

 

 

 

 

Elisa Lucinda em solo intimista
Elisa Lucinda em solo intimista

 

Felizmente quem mora em São Paulo não fica restrito às produções locais. Mesmo em se tratando de montagens experimentais. É o caso de Parem de Falar Mal da Rotina, com Elisa Lucinda, que há alguns anos esteve passeando pelas cidades brasileiras, vinda do Rio e Janeiro, e apresentou-se no Teatro Augusta, com bastante sucesso. Agora re-estreou no Teatro Jaraguá.

A atriz e poetisa tem um carisma impressionante. Sua peça vale uma coleção de livros de auto-ajuda, principalmente por que é concebida com tanto humor, que quando não arranca risos arranca aplausos do público.

Além disso, a protagonista canta muito bem músicas de autores brasileiros de primeira linha. Elisa, no palco, parece em sua própria casa e mais conversa com a platéia, pede bolsa emprestada e tudo o mais, do que interpreta uma personagem que parece ser ela mesma.

 Os trajes com que se apresenta são de muito bom gosto e são assinados por Djalma Amaral. A sala, cenário criado por ela, funciona mais como decoração, pois quase tudo se passa na beira do palco, como um cochicho, uma fofoca. Parem de Falar Mal da Rotina passa a ser um conselho que todos adotam depois de assistirem a essa montagem, pelo menos aqueles que acordam de mau humor e destilando fel, ou ainda os que conservam uma cara fechada mesmo quando fazem elogios.

Elisa Lucinda é, sem dúvida, uma mulher de muitos talentos, que certamente será assistida com prazer por qualquer pessoa que vá ao teatro. É preferível sentar na frente porque às vezes se perdem algumas palavras, pois a atriz está mais acostumada à impostação de TV do que à do palco.

 Outro experimental interessante mais por causa do ator, Fernando Nitsch,…

Cena da derradeira peça de Reinaldo Maia
Cena da derradeira peça de Reinaldo Maia

 

 é o que está em cartaz no teatro Ágora às terças e quartas: Ceci beijou Peri, e aí José? O texto e a direção são assinados por Reinaldo Maia, de modo que infelizmente se tornou obra póstuma. Quem conhece as peças desse autor, certamente concluirá – devido ao humor raro que esta apresenta – que se trata de texto escrito em fase alegre de sua vida.

 

Mesmo contendo o óbvio didatismo que sempre o caracterizou, há momentos muito engraçados. Especialmente graças à brilhante atuação de Fernando, que se mostra um histrião de grande futuro. Vale conferir.

                        

 

 

PAREM DE FALAR MAL DA ROTINA. Teatro Jaraguá. Sex, 21h. R$50. 14 anos.

 

CECI BEIJOU PERI, E AÍ JOSÉ?. Ágora Teatro. R. Rui Barbosa, 672, 3284-0290. 3ª e 4ª, 21h. R$ 20.

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*