Grátis: série “Mulheres Negras Compõem” traz importantes nomes da música

Tereza Cristina é uma das homenageadas.


EM REDE – No mês da Mulher Negra, cujo dia é comemorado em 25 de Julho, a Companhia Àgata de Artes traz o trabalho Mulheres Negras Compõem, coletânea de letras de músicas de grandes compositoras e textos de autoras negras, interpretadas por seu elenco. O projeto especial foi produzido dentro das normas de distanciamento social.

Dia da Mulher Negra
O Dia da Mulher Negra, 25 de julho, é dedicado a Tereza de Benguela, líder quilombola que viveu no atual estado do Mato Grosso.
A mulher negra foi ama, babá, foi escravizada e também amante.Sua chegada ao Brasil foi catalisadora para uma nova formação étnica e cultural em nossa sociedade.

Compositoras Negras: o amor, a luta e a ancestralidade
O acervo de artistas do sexo feminino, no Brasil, é enorme e se confunde, com a própria busca de uma personalidade nacional em nossa arte. De Chiquinha Gonzaga a Carmem Miranda, de Ângela Maria a Elis Regina, de Gal Costa a Ivete Sangalo, podemos pontuar as revoluções sociais através da vida e obra de grandes cantoras e compositoras.

Falar de cantoras e compositoras negras é falarmos do verdadeiro sucesso.
Sucesso social, a luta pelo reconhecimento em um país onde o racismo se esconde atrás de uma cortina de igualdade.

Sucesso artístico, uma vez vencidas as barreiras sociais, essas artistas trazem em seu universo esse histórico de batalhas, vitórias, ancestralidades e amor.

Tornaram-se proprietárias de um documentário em letras de música e histórias que se confundem com a sua vida.

Mexer em um tesouro tão valioso, animou e desafiou o elenco, e o fato do trabalho ser gerado á distância, respeitando as regras do isolamento social, não foi empecilho algum.

Cada artista escolheu uma compositora, tendo como critério, identificação com sua obra e vida .

Assim foram surgindo autoras negras de diversas épocas e gerações .
As escolhidas foram : Dolores Duran, Dona Ivone Lara, Ellen Oléria, Elza Soares, Leci Brandão, Luana Bayô, Luedji Luna, Mc Sofia, Tássia Reis, Teresa Cristina e também de textos das poetisas negras Carolina de Jesus e Elisa Lucinda.

A edição ficou a cargo de Fernando Lucânia, que também editou “ Pessoas em Casa “, fruto primeiro desta experiência do grupo de produzir à distância.

 Mulheres Negras Compõem , segundo o grupo, foi idealizado antes da explosão de combate ao racismo desencadeada pela morte de George Floyd , nos Estados Unidos em 25/05/2.020, e traz no elenco Beth Santos, Caio Pimenta, Cici Antunes, Delta de Negreiros, Edivaldo Gomes, Gigi Santos, Helena Gomes, Henrique Possetti, Efigênia Armendani, José Luiz Gaeta, Ju Camata, Márcia Marques e Roberta Lisa .

Homenageadas:
Carolina de Jesus – Ex catadora de papel, Carolina Maria de Jesus foi uma das primeiras autoras negras publicadas no Brasil. Sua obra pirma, “ Quarto de Despejo “ foi lançado com uma tiragem inicial de dez mil exemplares que se esgotou em apenas uma semana, já foi traduzido para mais de treze idiomas.

Dona Yvone Lara – A rainha do samba, um dos maiores símbolos de talento e perseverança na história de nossa música. Compositora em um terreno dominado por homens teve suas músicas gravadas por grandes nomes da MPB.

Tássia Reis – Uma das primeiras rappers da nova geração da música brasileira, tendo como inspiração para suas letras a vida, o auto conhecimento e a quebra de padrões. Vem ocupando cada vez mais espaço com seu estilo e canto libertador.

Elisa Lucinda – Atriz, cantora, compositora e poetisa. Desde menina se interessou pela interpretação teatral da poesia. Premiada no cinema e no teatro é uma grande referência de talento em todas as áreas que circula.
Leci Brandão – Uma das mais importantes personalidades da atual sociedade brasileira, artista reconhecida no Brasil e no exterior, é também militante das causas humanas.

Mc Sofia -Traz muito mais que uma boa música. Apresenta para as novas gerações conceitos defendidos por grandes ícones como Martin Luther King, recheando suas letras com poesias que defendem a luta pelo fim do racismo, a favor do feminismo e a igualdade social.

Ellen Oléria – Cantora, ativista política, vitoriosa em festivais, com carreira no Brasil e no exterior, Ellen Oléria é uma artista do seu tempo, ativista dos direitos humanos e apresentadora de programas temáticos na TV.

Luana Bayô – Um exemplo da transformação da ancestralidade e da luta racial em poesia. Luana Bayô conduz um canto forte por temas delicados. Além de artista é também uma pesquisadora da contribuição dos africanos á nossa sociedade.

Teresa Cristina – È um belo exemplo de cantora destinada a zelar pela nossa memória musical. Além de ser influenciada musicalmente pela MPB mais tradicional, ainda ressuscita estilos em suas composições, aproximando as novas gerações do que temos de melhor em nossa música.

Luedji Luna – Cantora baiana, filha de pais militantes do movimento de combate ao racismo, optou pela música como instrumento de trabalho, dividindo palco com grandes nomes como Milton Nascimento e com perspectiva de carreira internacional.

Elza Soares – Uma das maiores cantoras brasileiras já foi eleita pela Rádio BBC de Londres como a cantora brasileira do milênio.Entra na lista das 100 maiores vozes da música brasileira elaborada pela revista Rolling Stone Brasil.

Dolores Duran – Embora tenha tido uma curta e vida carreira, morreu aos 29 anos, Dolores deixou na nossa música a sua marca, letras e músicas carregadas de intensas palavras, refletindo o que fora a sua rápida passagem pela vida.

Serviço:

Para assistir ao especial “ Mulheres Negras Compõem “ basta acessar o canal :
https://www.youtube.com/user/SilvioTad
Acesso Gratuito.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*