50 anos do AI5: Cordão da Mentira reúne artistas e grupos de resistência e memória na quinta-feira (13)

SÃO PAULO – O Cordão da Mentira é um bloco carnavalesco de intervenção estética e política formado por sambistas, grupos de teatro, coletivos culturais e artísticos, militantes e movimentos sociais, desfila pelas ruas de São Paulo desde 2012 denunciando a verdade sobre a mentira do nosso passado que não passa. Ocupamos as ruas para lembrar o sangue derramado por nossos tombados de ontem e hoje. Nossa antiguidade histórica de violência e opressão se repõe e nossos mortos clamam por serem escutados.

Neste ano, o Cordão estará na rua, num ato simbólico, na lateral do prédio da Maria Antônia, em 13 de dezembro de 2018, dia em que, há 50 anos atrás foi assinado o Ato Institucional nº 5. O AI5 institucionalizou os crimes de Estado da ditadura civil-militar dando ao regime uma série de poderes para reprimir seus opositores como: fechar o Congresso Nacional e outros legislativos, cassar mandatos eletivos, suspender por dez anos os direitos políticos de qualquer cidadão, intervir em Estados e municípios, decretar confisco de bens por enriquecimento ilícito e suspender o direito de habeas corpus para crimes políticos, além do recrudescimento da censura nas universidades e no campo artístico.

Estarão presentes movimentos sociais e coletivos artísticos: Mães de Maio, Comitê Memória Verdade e Justiça, Comissão de familiares de mortos e desaparecidos politicos, Coletivo Merlino, Companhias de Teatro da cidade de São Paulo, Paulinho Tó, Cabaré Feminista, Bloco das Pombagira, Banda Anhangabaíba, Arrastão dos Blocos, Slam da Guilhermina, entre outros.

Ato dia 13 de Dezembro (quinta-feira)
50 anos do AI 5 – Resistir ocupando o esquecimento com memória pelo Fim do Terrorismo do Estado

Concentração: às 17h00. Início 18h.
Rua Maria Antônia, 258, Vila Buarque, São Paulo, SP.

 

Kyra Piscitelli

Kyra Piscitelli é jornalista formada pela Universidade Metodista de São Paulo e fez pós-graduação em Globalização e Cultura pela Faculdade de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP). Escreve sobre teatro e arte desde de 2009. Integra os Juris da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) e do Prêmio Aplauso Brasil. Ávida por conhecimento, se não está em viagem ou estudo, só há um lugar para achá-la: o teatro!

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado