ADEUS A UMBERTO MAGNANI

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

Umberto-MagnaniSÃO PAULO – Praticamente como a atriz Cacilda Becker, o ator e produtor Umberto Magnani teve um Acidente Vascular Cerebral (AVC) ,quando se preparava para gravar uma cena de Velho Chico, em que interpretava o Padre Romão. Assim como Cacilda, que teve o AVC no intervalo de Esperando Godot, Magnani fazia o que mais amava e sabia fazer bem: interpretar, antes de entrar na CTI de um hospital; assim como Cacilda sai de cena e deixa um lindo trabalho, no palco e fora dele, além de saudosos admiradores de seu ofício e humanismo latente.

Aos 75 anos, completados na última segunda-feira (25), Umberto Magnani, natural de Santa Cruz do Rio Pardo (interior paulista), trabalhou com diretores do calibre de Márcio Aurélio, Flávio Rangel, Fauzi Arap, Emílio di Biasi, Fernando Peixoto, José Rubens Siqueira, entre outros.

“Umberto teve intensa atividade como professor e nas áreas administrativas e até política ligadas ao setor. Ele foi diretor da Associação dos Produtores de Espetáculos Teatrais do Estado de São Paulo (APETESP), entre os anos de 1972 e 1988; diretor regional em São Paulo da Fundação Nacional de Artes Cênicas (Fundacen), do Ministério da Cultura de 1977 a 1990; presidente da Comissão de Teatro da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, em 1985; membro da Comissão de Reconhecimento dos Cursos de Artes Cênicas em São Paulo do Ministério da Educação (MEC), em 1987 e 1988; membro do Conselho Diretor do Laboratório Cênico de Campinas, da Prefeitura Municipal de Campinas em 1988 e 1989; coordenador das oficinas de Teatro Comunitário do Programa Universidade Solidária de 1996 e 1999. Foi Secretário da Cultura e Turismo em Santa Cruz do Rio Pardo, São Paulo, nos anos de 2001 e 2002.[1]

Entre os prêmios que ganhou, está o Troféu Mambembe e o Prêmio Molière de melhor ator em 1981, por sua atuação no espetáculo Lua de Cetim. Em 1988, recebeu o Troféu Mambembe e o Prêmio Governador do Estado de melhor ator em Às Margens do Ipiranga. Levou também o Prêmio Governador do Estado de melhor ator em 1989 pela peça Nossa Cidade.” (FONTE https://pt.wikipedia.org/wiki/Umberto_Magnani)

Magnani atuou em diversas telenovelas, filmes. Seu currículo era tão vasto quanto sua generosidade, discrição, carinho e profundos amor e dedicação aos filhos Beto e Graciana

Adeus Umberto, saudades do grande artista e homem.

 

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*