AGENDA: VOCÊ TEM ATÉ 23 OUTUBRO PARA CONFERIR O NOVO ESPETÁCULO DO GRUPO FOLIAS, “SOLIDÃO”

Cassiano Leonardo Especial para o Aplauso Brasil ( cassiano@aplausobrasil.com.br )

solidaoSÃO PAULO – Solidão, esse é o nome do novo espetáculo do grupo Folias que, segundo material de divulgação, busca inspiração no realismo mágico e na história política recente para recriar uma América Latina mágica e dolorida. A partir de uma sequência de cenas que se prestam a compor uma narrativa homogênea, mas que também podem ser compreendidas em suas potências individuais, Solidão busca mostrar as transformações sofridas pelos moradores de um pequeno vilarejo, esquecido no tempo e no espaço, após a chegada de forasteiros com suas malas cheias de progresso e também de destruição. A peça expõe o choque entre 16280146duas culturas: a nativa, não necessariamente inocente e ingênua, e a estrangeira, curiosa e extrativista, bem como os desdobramentos deste encontro nas relações de amor, poder e fraternidade.

Solidão é a fratura artística e cênica, resultante de um estado permanentemente febril que coloca o sujeito sempre entre duas pulsões antagônicas absolutamente complementares e paradoxalmente excludentes. Os fatos recentes ocorridos em grande parte dos países latino-americanos comprovam que a história retratada em Solidão continua a ser escrita, às vezes com tintas carregadas”, afirma o diretor Marco Antonio Rodrigues.

Ainda que a literatura, especificamente os romances clássicos do realismo mágico, se encontre na base da inspiração para o espetáculo, o que o grupo Folias pretende com Solidão é desviar um pouco o olhar das páginas literárias e apontá-lo para uma América Latina real, este continente em que a magia e o fantástico vêm sendo, nos últimos anos, atropelados por uma realidade com pouca vocação para o lirismo. Por isso mesmo, os personagens desta história buscam se revelar reféns de conflitos políticos, rixas familiares, amores improváveis e de uma inegável incapacidade de compreender e traduzir os dias que correm

Ficha técnica

Direção: Marco Antonio Rodrigues
Dramaturgia: Sérgio Roveri
Elenco: Ailton Graça, Bete Dorgam, Clarissa Moser, Joana Mattei, Lui Seixas, Nani de Oliveira, Pedro Lopes, Rafael Faustino, Rafaela Penteado, Rodrigo Scarpelli, Simoni Boer, Suzana Aragão.
Dramaturgista: Gustavo Assano
Desenho de Luz: Tulio Pezzoni
Composição e Direção Musical: Sonia Goussinsky e Rafael Faustino
Canção Os Reis do Agronegócio: música de Chico César, letra de Carlos Rennó
Movimento Cênico: Joana Mattei
Cenografia e Figurino: Sylvia Moreira
Design Gráfico: Humberto Vieira
Fotografia: Lenise Pinheiro
Assistente de Cenário e Figurino: Sofia Fidalgo
Pintura Artística de Telões: Fernando Monteiro de Barros
Criação de máscaras: Carlos Francisco
Adereços: Luis Carlos Rossi
Costureiro: Otávio Matias
Cenotécnicos: Carlos Ceiro, João Donda
Operador de Som: Adriano Almeida
Contra-Regragem: Marcelo Machado e Giovanna Kelly
Direção de Produção: Ricardo Grasson
Produtor Executivo: Tomás Souza
Produção Geral: Gelatina Cultural
Administração do Projeto: Folias – Dagoberto Feliz e Paloma Rocha
Coordenação de projetos e leis: Patricia Palhares
Coordenação Administrativa: Olivia Maciel e Felipe Costa
Assessoria de Imprensa: Pombo Correio
Estagiários: Carlos Marcato, Isabela Fikaris, Fhelipe Chrisostomo, Táiná Viana
Realização: Folias – Projeto Contemplado pela 27ª Edição da Lei de Fomento ao Teatro da Cidade de São Paulo e SESC São Paulo.

Serviço
SESC SANTANA – Av. Luiz Dumont Villares 579 – Jardim São Paulo – SP
Informações: 29718700
Temporada: ate dia 23 de outubro
quinta às 20h, sexta e sábado às 21h e domingos às 18h
Ingressos: R$ 30,00 (inteira), R$ 15,00 (meia) e R$ 9,00 (credencial plena)
Ingressos pelo portal SESC e nas bilheterias das unidades
Censura: 14 anos
Gênero: latino
Capacidade: 330 lugares.

 

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*