Amor Confesso sintetiza qualidade desejada dos espetáculos do Palco Giratório

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com.br)

"Amor Confesso" - Foto Silvana Marques com Claudia Ventura e Alexandre Dantas
“Amor Confesso” – Foto Silvana Marques com Claudia Ventura e Alexandre Dantas

SÃO PAULO – Com o espetáculo carioca Amor Confesso, dirigido por Inez Viana, que reúne crônicas sobre casamento escritas por Artur Azevedo (A Capital Federal), piauiense radicado no Rio de Janeiro do final do século 19, deu-se por iniciada a maratona de 732 apresentações em nove capitais de todo o Brasil do Palco Giratório, festival que reúne 18 espetáculos cujo teatro seja a linguagem matriz. Sintetizando os objetivos do SESC em realizar atividades culturais com tintas educativas, sem, no entanto, cair no enfadonho didatismo, a peça também tem a chancela de qualidade dos espetáculos trazidos em âmbito do SESC SP, embora o Palco Giratório seja uma ação nacional do SESC, a que estamos habituados a assistir.

A essencialidade dos recurso cênicos – no palco há duas cadeiras que se transforma em janela, bolsa, banco do bonde, enfim, no que a narrativa já substantivou. Um piano de cauda na lateral esquerda do palco – de onde o pianista Roberto Bahal executa a trilha ao vivo – ressalta o olhar sobre os atores Alexandre Dantas e Claudia Ventura cuja extrema versatilidade conduz o espectador ao jogo de mergulhar na vivência dos personagens do contos escolhidos, revelação literária de quem reconhece Artur Azevedo como um dos principais expoentes do Teatro de Revista, sem, no entanto, renegar recursos típicos da Revista.

Os números de plateia são substituídos, aqui, por uma espécie de bate-papo descontraído e bem-humorado com a plateia, onde os atores demonstram dominar a espontaneidade, assuntos do dia, como a escolha do Papa figuram como sinalizadores do cotidiano que é característico à Revista. a inserção de músicas ilustrando ações e sentimentos a contribuar a cena, alguns trechos da fala funcionando como as operetas do século 19, a tipificação dos personagens em sotaques e postura dão dimensão da Revista revisitada em Amor Confesso, espetáculo que entretém e educa, diverte e move à reflexão. Bom agouro para o Palco Giratório que, logo mais, no SESC Belenzinho apresenta o, também excelente Luis Antonio – Gabriela.

CLIQUE AQUI para conferir a programação completa do Palco Giratório.

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

1 comentário
  1. Ótimo espetáculo! Comédia de fazer rir com sinceridade e sem forçar a barra, além de sempre nos deixar refletir muito depois que acaba, como todo bom teatro faz. Claudinha e Alexandre dão um banho de interpretação. Recomendo a todo mundo!!!!

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*