Ano de Copa do Mundo: Comédia sobre jogador de futebol frustrado estreia em SP

Redação do Aplauso Brasil (redacao@aplausobrasil.com

“Arranca Tião com a bola dominada. Esse menino tem futuro. Esse menino tem personalidade. Vem com a bola, passa o primeiro, invade a área. A torcida pede pênalti. Mas Tião caiu sozinho. Wanderley Nogueira, o que é que só você viu…?” No ritmo acelerado da locução esportiva, a voz do narrador José Silvério chama o comentarista durante o espetáculo Maldito Benefício.

 Espetáculo "Maldito Benefício". Foto: divulgação.
Espetáculo “Maldito Benefício”. Foto: divulgação.

São Paulo – Tragicomédia em um ato, o espetáculo gira em torno de um jogador de futebol (Tião, interpretado por Leonardo Cortez), que, ao sofrer uma contusão, vê arruinado seu sonho de se tornar a maior promessa do esporte brasileiro. No início da carreira, ele tem de largar o futebol e passa a dirigir o táxi do cunhado (Nunes, Daniel Dottori). Como pano de fundo, a clássica problemática da sociedade brasileira: ferrado na vida, Tião ainda precisa ajudar o pai (Nelson, Ricardo Côrte Real), velho aposentado, na fila do SUS por um transplante, e dar conta das futuras despesas com a mulher grávida (Teresa, Glaucia Libertini).

O conflito vai de desenvolvendo a partir do momento em que Nelson recebe da Previdência Social um comunicado informando a concessão de um benefício acumulado. A grana extra poderá solucionar todos os problemas financeiros do filho taxista. No entanto, colocar a mão no dinheiro não será fácil. A doença terminal pode impedir o acesso à bolada, o que desencadeia nos membros da família uma série de comportamentos moralmente reprováveis.

 Espetáculo "Maldito Benefício". Foto: divulgação.
Espetáculo “Maldito Benefício”. Foto: divulgação.

Na história do jogador de futebol frustrado, que se ferrou e virou taxista, Leonardo Cortez faz uma síntese entre o épico, o dramático e o cômico. Seu personagem Tião narra como um locutor as desgraças de seu cotidiano. “Tião largou o futebol, mas o universo do esporte não saiu de dentro dele. Assim, seu pensamento se materializa em forma de locução esportiva”, explica Leonardo sobre o recurso do áudio usado no espetáculo.

As locuções foram feitas especialmente para a peça pelos profissionais do rádio José Silvério e Wanderley Nogueira.

 Espetáculo "Maldito Benefício". Foto: divulgação.
Espetáculo “Maldito Benefício”. Foto: divulgação.

Um único elemento é usado para construir a cena, com economia de recursos para retratar os três ambientes. De frente para a plateia, o veículo funciona como o próprio táxi. De lado, com capô aberto, transforma-se em açougue. De trás, é a sala da casa.

O espetáculo Maldito Benefício é um texto de Leonardo Cortez e tem direção de Marcelo Lazzaratto.

 PARA ROTEIRO

CCSP (Centro Cultural São Paulo) Rua Vergueiro 1000 – Vergueiro. Sala Jardel Filho. Telefone: 3397-4002. Temporada:16 de maio a 29 de junho. Horário: Sextas e sábados, às 21h; Domingos, às 20h. Capacidade: 321 lugares. Comédia trágica.Duração: 80min. Classificação: 14 anos.

 

FICHA TÉCNICA

Texto:Leonardo Cortez. Direção: Marcelo Lazzaratto. Assistência de Direção: Wallyson Mota. Elenco: Ricardo Côrte Real, Leonardo Cortez, Glaucia Libertini e Daniel Dottori. Cenário: Zé Valdir. Figurino: Marichilene Artisevskis. Desenho de Luz: Marcelo Lazzaratto. Operação de Luz: André Coletti. Trilha Sonora: Daniel Maia. Operação de Som: André Persant. Locução e Comentário Off: José Silvério e Wanderley Nogueira. Fotografia: Rodrigo Schmidt e Pablo de Sousa.Direção de Produção: Sonia Kavantan. Produção Executiva: Filipe Brambilla e Lilian Takara. Secretaria: Milka Master.Produção: Kavantan & Associados.

 

 

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*