Antunes Filho apresenta sua leitura de Nossa Cidade

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

 

"Nossa Cidade"
“Nossa Cidade”

SÃO PAULO – No recém-lançado- e indispensável – segundo volume da História do Teatro Brasileiro (Perspectiva/ SESC Edições), há um artigo dedicado à encenação em que a ensaísta Silvia Fernandes credita à direção de Antunes Filho para Macunaíma (1978), o marco inaugural do que, hoje, é considera a leitura verticalizada de um encenador sobre um texto. Então um trabalho dirigido por Antunes – caso de Nossa Cidade que, nesta sexta-feira (4), entra em cartaz no Teatro Anchieta (SESC Consolação) – nos gera grande expectativa.

O texto do norte-americano Thornton Wilde

"Nossa Cidade"
“Nossa Cidade”

r, escrita entre os anos 1936 e 1937, traz como narrador um diretor de teatro que tem como objetivo apresentar Grover’s Corners, seus habitantes, a vida e o cotidiano desses seres simples, personagens que caracterizam o autor que, conforme aponta Anatol Rosenfeld em O Teatro Épico (Perspectiva), sabe utilizar elementos épicos tão bem quanto Brecht ou Claudel, mas, embora como em Tchekhov, a preocupação com aspectos icroscópicos do cotidiano de suas personagens, tem como principio, assim como Claudel, o que Rosenfeld chama de visão universal.

"Nossa Cidade"
“Nossa Cidade”

Em sua leitura, Antunes Filho diz seguir as próprias orientações do autor no prefácio do original transferindo para o palco do Teatro SESC Anchieta a sua sala de ensaios, “com um aparato cênico que traz a precariedade de um ‘não cenário’”, segundo informa o material de divulgação.

Nossa Cidade fez sua estreia original em 1938 nos Estados Unidos e, no Brasil, chegou, pela primeira vez, em 1950. Antes dessa encenação, que Antunes chama de “reconstrução”, o texto tem na bagagem o estatuto de ser uma  das obras mais encenadas dos séculos 20 e 21 mundo afora.

"Nossa Cidade"
“Nossa Cidade”

 

FICHA TÉCNICA

NOSSA CIDADE de Thorton Wilder

Reconstrução de Antunes Filho

Elenco (por alfabética):

Amanda Mantovani  (Sra. Soames)

Antonio de Campos  (Prof. Willard Schünemann e Johnson)

Carlos Sério  (Sr. Marshall)

Diego Melo  (Howie Newsome e Sam Craig)

Ediana Souza  (Rebecca Gibbs e um Índio)

Fagundes Emanuel  (Wally Webb)

Felipe Hofstatter  (Simon Stimson e uma Professora)

Gui Martelli  (Dr. Gibbs)

Leonardo Ventura  (Diretor de Cena)

Lucas Rodrigues  (George Gibbs)

Luiz Gustavo Lopes  (Joe Crowell Jr.)

Luiza Lemmertz  (Sra. Webb)

Mateus Carrieri  (Sr. Webb)

Naiene Sanchez  (Sra. Gibbs)

Nelson Alexander  (Guarda Warren e Joe Stoddard)

Sheila Faermann  (Emily Webb)

Diretor de Palco                  Felipe Hofstatter

Assistentes de Direção         Felipe Hofstatter e Carolina Erschfeld

Diretor de Arte                   Hideki Matsuka

Figurinos e Adereços            Camila Nuñez

Assistentes                           Tainara Dutra e Carolina Franco

Costureira                           Noeme Costa

Cenografia e Adereços         Sandra Pestana

Assistente                            Mariana Mattar

Painéis Cenográficos             Luiz Gustavo Lopes

Painéis de Cena

de Publicidade                      Érico Peretta

Cenotécnico                        Cesar Rezende

Pesquisa de textos

e imagens do Programa         Thiago Brito

Trilha Sonora                        Raul Teixeira (CPT)

Assistente e Operação           Lenon de Almeida

de Som

Iluminação                             Edson FM e Elton Ramos

Assistentes                            Fábio Albino e Marcio Martins

Preparação de Corpo

e Voz                                    Antunes Filho

Professora de Canto              Solange Assumpção

Produção Executiva               Emerson Danesi

Fotos                                    Emidio Luisi

Assessoria de Imprensa          Ofício das Letras – Adriana Monteiro

Secretaria do CPT                 Ligia Alves de Lima

Direção Geral                       Antunes Filho

Agradecimentos:

Sebastião Milaré, Klaus Kuhn, Nara Chaib Mendes, Lee Taylor, Thiago Brito, Telumi Hellen e ao CEM – Centro Experimental de Música do SESC Consolação.

 

SERVIÇO:

Nossa Cidade, de Thornton Wilder

Direção de Antunes Filho

Estreia – 04 de outubro, 21h

Até quando – 08 de dezembro, domingo

Sexta e sábado, 21h e domingo, 18h

Preços – R$ 32, R$16, R$ 6,40

Faixa etária – 16 anos

Duração – 90 minutos

Local: Teatro Anchieta – Sesc Consolação

Endereço: R. Dr. Vila Nova, 245, Vila Buarque – São Paulo

Telefone: (11) 3234-3000

Capacidade: 328 lugares

Venda pelo sistema INGRESSOSESC a partir de 25/09, às 14h. Teatro. R$ 32,00 (inteira); R$ 16,00 (usuário matriculado no SESC e dependentes, +60 anos, estudantes e professores da rede pública de ensino); R$ 6,40 (trabalhador no comércio e serviços matriculado no SESC e dependentes).

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

1 comentário

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*