Artigo: Documentário cênico retrata o artista transexual Leo Moreira Sá

Maurício Mellone, para o www.favodomellone.com.br – parceiro do Aplauso Brasil

"Lou&Leo"
“Lou&Leo”

Com direção de Nelson Baskerville, a Lou&Leo narra a trajetória de vida da ex-baterista da banda As Mercenárias que depois de uma revolução interior assumiu sua transexulidade e hoje é Iluminador teatral

SÃO PAULO – Depois de ter assistido ao premiado espetáculo do diretor Nelson Baskerville — Luís Antonio – Gabriela — o artista transexual Leo Moreira Sá não teve dúvida: convidou o diretor para encenar o espetáculo que conta a sua tumultuada trajetória de vida. E Baskerville não teve receio em assumir este novo desafio: Lou&Leo, em cartaz no Espaço dos Satyros 1, traz sua marca como encenador:

“A história que Leo queria contar era novamente um Luís Antônio-Gabriela invertido. Não hesitei um só momento diante do convite: o espetáculo é mais um documentário cênico performático que me desafia. Um homem contando a própria história no palco. Uma vida rica. Um homem em um corpo feminino que desceu ao Hades e voltou para passar a experiência. Faço Lou&Leo para entender melhor o que é gênero, para entender melhor o humano e as mentiras que nós nos contamos como humanos”, confessa Nelson Baskerville.

Com uma narrativa ágil e com cenas que não obedecem à cronologia dos fatos, o espectador é fisgado desde a primeira cena para o centro da história trágica e sensível daquele ser humano.

A trama é sobre Lou, uma garotinha que adorava brincar com os moleques em São Simão, interior do Estado, e sofre ao ter de se submeter ao pedido da mãe de colocar um vestidinho para ir à escola.

"Lou&Leo"
“Lou&Leo”

O choque cultural só aumenta ao se mudar para a capital e depois ao entrar para o curso de Ciências Sociais na USP, que abandonou para ser a baterista da primeira banda de punk rock feminina do Brasil, As Mercenárias. Com o cabelo curtíssimo e oxigenado, Lou confessa que este foi o período de maior liberdade artística que viveu até então.

Com o fim da banda, abre a casa noturna Circus e começa aí seu envolvimento com drogas. Internamente, vivia um conflito interior de identidade de gênero muito forte e as drogas eram um refúgio.

Nesta época conhece a travesti Gabriela e a paixão é avassaladora: vivem juntas durante 10 anos, até a prisão de Lou por tráfico de entorpecentes. O horror e a violência vividos na cadeia marcam profundamente a vida de Lou, que ao sair assume sua transexualidade.

Longe das drogas, a reconstrução de sua vida, agora como Leo, se dá pela arte: em parceria com Rodolfo Garcia Vazquez ganham o prêmio Shell de iluminação de 2012 pelo espetáculo Cabaret Stravaganza!

Lou&Leo é envolvente, tanto pela narrativa construída de idas e vindas na trajetória da personagem como, principalmente, pela transformação interior e pelo processo de superação por que Lou/Leo se submeteu.

O grande destaque do espetáculo é sem dúvida para a atuação visceral de Leo Moreira, que conta com a parceria no palco de Beatriz Aquino: sua coragem e despojamento em cena são tocantes! E Nelson Baskerville mais uma vez traz seu olhar sensível e criativo para contar uma história comovente e ao mesmo tempo de denúncia contra a discriminação e a homofobia. Leo termina o espetáculo dizendo um texto de Simone de Beauvoir que sintetiza a proposta da montagem:

“Que nada nos defina. Que nada nos sujeite. Que a liberdade seja a nossa própria substância.”

Roteiro:
Lou & Leo
. Argumento: Léo Moreira Sá. Dramaturgia: Nelson Baskerville e Léo Moreira Sá. Direção geral: Nelson Baskerville. Assistente de direção: Sandra Modesto. Elenco: Léo Moreira Sá e Beatriz Aquino. Participação: Lucas Braga e Tom Garcia. Figurinos: Marichilene Artsevskis. Cenário: Nelson Baskerville e Amanda Vieira. Vídeos: Lucas Beda. Iluminação e trilha sonora: Nelson Baskerville e Leo Moreira Sá. Fotos: Denise Braga
Serviço:
Satyros 1, sala Ademar Guerra ( 70 lugares), Pr. Roosevelt, 214, tel. 3258-6345. Horários: terças e quartas às 21h. Ingressos: 30,00. Bilheteria: aberta uma hora antes do espetáculo. Duração: 50 min. Classificação: 16 anos. Temporada: até 25 de setembro.

 

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*