ARTIGO: NOITE DE FESTA PARA O TEATRO NO PRÊMIO APLAUSO BRASIL

Kyra Piscitelli, do Aplauso Brasil (kyra@aplausobrasil.com)

A atriz Laura Cardoso fez todos rirem ao dizer que havia treinado seu discurso em casa, mas a emoção não a deixava lembrar de nada. Foto/ crédito: Johnatan Petrassi
A atriz Laura Cardoso fez todos rirem ao dizer, em seu discurso, que havia treinado seu discurso em casa, mas a emoção não a deixava lembrar de nada. Foto/ crédito: Johnatan Petrassi

O Theatro São Pedro, em São Paulo, recebeu quarta-feira (24), a Terceira Edição do Prêmio Aplauso Brasil de Teatro (uau!! Chegamos a terceira e a quarta já está sendo preparada).

A noite não poderia ter sido mais linda. Elias Andreato e Ana Cecília Costa abrilhantaram a noite como apresentadores. O maestro Ricardo Severo ficou responsável pela trilha e emocionou. Reunimos ídolos do teatro e uma nova geração talentosa e arrojada.

Homenagens aos consagrados como Laura Cardoso e Edwin Luisi, que choraram e nos emocionaram, sendo aplaudidos em pé demoradamente. Tivemos também prêmios para os corajosos Felipe de Carolis e Fioravante Almeida. Dois atores de uma geração disposta a oferecer o melhor ao teatro. Felipe trouxe o belíssimo Incêndios para a cena e Fioravante encarou o desafio de montar Muro de Arrimo, um clássico encenado por Antonio Fagundes. Dois produtores, atores e jovens que merecem atenção.

O Theatro São Pedro foi pela segunda vez consecutiva o local da festa. Os troféus distribuídos (foto) foram desenhados pelo artista plástico Fernando Castioni e confeccionado pelos alunos da SP Escola de Teatro. Foto: Johnatan Petrassi.
O Theatro São Pedro foi pela segunda vez consecutiva o local da festa. Os troféus distribuídos (foto) foram desenhados pelo artista plástico Fernando Castioni e confeccionado pelos alunos da SP Escola de Teatro. Foto: Johnatan Petrassi.

Marisa Orth, com simpatia única, atendeu fãs e mostrou por que o público a premia. E ela sentenciou “vida Longa Ao Prêmio Aplauso”. Caco Ciocler, que encara os projetos com paixão única e afinco, falou desse amor e anunciou seu próximo projeto: a peça Cesar – o quinto fruto da parceria dele com o diretor Roberto Alvim. Vale lembrar que ele ganhou como melhor ator coadjuvante por Terra de Ninguém, dirigida por Alvim.

O estilista Fabio Namatame, que prefere os bastidores, foi receber prêmio pelo figurino de Caros Ouvintes. Declarou amor ao projeto, a todos envolvidos e ao homem do teatro Otavio Martins, dramaturgo e diretor do espetáculo.

O Prêmio Aplauso Brasil dá espaço para comédia, drama e todos os gêneros. Reconhece projetos como a Escola Livre de Teatro (ELT), exemplo de resistência, homenageia o Sesc, que respira arte para todos. Dá espaço aos grupos como o vencedor Cia. Zipt Zapt, por A Farsa do Advogado Pathelin.

Nem todos puderam comparecer, mas os depoimentos, em vídeo, de Danilo Miranda – diretor regional do Sesc São Paulo – e do ator Alexandre Borges comoveram e mostraram a importância do prêmio ganhar ainda muitas outras edições.

O ator Edwin Luisi (à esquerda) recebeu homenagem pela sua história com o teatro e outras mídias. Emocionado, falou de sua trajetória e beijou o palco - em agradecimento.  Foto:   Johnatan Petrassi
O ator Edwin Luisi (à esquerda) recebeu homenagem pela sua história com o teatro e outras mídias. Emocionado, falou de sua trajetória e beijou o palco – em agradecimento. Foto: Johnatan Petrassi

Ivam Cabral e Rodolfo Garcia Vazquez, que comandam Os Satyros, não puderam ir. Mas enviaram representantes representando o novo e a tradição do grupo, já passado de 25 anos. O espetáculo Pessoas Perfeitas, é um grande projeto que envolve essa história.

Alessandra Verney, José Dias, Guilherme Bonfanti e Otto também mereceram receber seus prêmios.

Lembrado pela garra e determinação o nosso querido editor Michel Fernandes foi citado em todos os agradecimentos.  O crítico é exemplo e inspiração. O prêmio deste ano, mais uma vez, contou com poucos recursos financeiros, mas com muita colaboração. É um sonho montado em conjunto pelo público, artistas e bons amigos do teatro como Ricardo Grasson, que acompanhou e fez acontecer cada detalhe. Evoé! Que venha a quarta edição.

 

Kyra Piscitelli

Kyra Piscitelli é jornalista formada pela Universidade Metodista de São Paulo e fez pós-graduação em Globalização e Cultura pela Faculdade de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP). Escreve sobre teatro e arte desde de 2009. Integra os Juris da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) e do Prêmio Aplauso Brasil. Ávida por conhecimento, se não está em viagem ou estudo, só há um lugar para achá-la: o teatro!