Artigo: O adeus para Eva Wilma, uma DIVA do teatro em letra maiúscula

Eva Wilma com os filhos e netos no Prêmio Aplauso Brasil de Teatro de 2018, quando foi homenageada por sua trajetória.

SÃO PAULO – As perdas não param e são grandiosas. Agora foi a vez de Eva Wilma ter seu último ato, aos 87 anos, vítima de um câncer no ovário. internada desde o dia 15 de abril, inicialmente para tratar problemas cardíacos e renais, o câncer foi descoberto no último dia 7 de maio.

Eva tinha a arte na veia. Filha única, sua mãe era pianista e seu pai, alemão, cantava canções na língua nativa. Ela declarou, em entrevista para o idealizador do site Aplauso Brasil, Michel Fernandes, em 2019, que ela e os pais faziam verdadeiros saraus entre eles.

Com toda a bagagem, Eva se formou bailarina, conheceu os palcos do Brasil todo. “Eu consegui me apresentar em vários templos, como Teatro Amazonas. E depois eu voltei a eles como atriz.”

Quando ela tinha 19 anos, o diretor Zé Renato – que hoje é nome de programa de incentivo à cultura em São Paulo – a chamou para o teatro. A personagem era uma bailarina. O texto de Uma Mulher e 3 Palhaços é montado em 1952 marca o início de Eva atriz.

A atriz fez sucesso na TV, no Cinema e no Teatro. Mas era no teatro que ela voltava para não “cristalizar” seu talento. “Tenho prazer em fazer cinema, televisão, mas tem um tempo que eu tenho medo de cristalizar o meu trabalho. Aí eu volto ao teatro. Ao vivo e de corpo inteiro. É ali que o Ator evolui”, disse a diva na mesma entrevista para Michel e que disponibilizamos em sete partes no nosso canal no Youtube.

Para ela, a escola é o exercício do espaço cênico livre. Ela usava esse termo porque o teatro não precisa ser só no palco. E existia, segundo a atriz, na profundidade, estudo do real e ao vivo. A própria Eva começou mesmo na arena.

Eva fez sucesso nas múltiplas plataformas e passou a vida sendo uma voz pela valorização do estudo, da profundidade e da entrega para a profissão. Para ela, só 5% era sorte. Uma lição para todos não só do meio artístico, mas de todos os meios.

Seu último trabalho foi em 2018 com Casos e Canções, show que fazia ao lado do ator, músico e diretor John Herbert Jr. E trazia histórias de sua vida.

Em 2016, estrelou , thriller baseado no filme homônimo com direção da dupla Charles Möeller e Claudio Botelho.

Sua vida e obra fica e deve ser exemplo para todos que não se contentam ou acham que tudo saiba. Eva passou na Terra estudando, trabalhando e transpirando para fazer história, com humildade que só uma diva teria.

 

Assista a entrevista completa de Eva Wilma de 2019, no Youtube do Aplauso Brasil

Kyra Piscitelli

Kyra Piscitelli é jornalista formada pela Universidade Metodista de São Paulo e fez pós-graduação em Globalização e Cultura pela Faculdade de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP). Escreve sobre teatro e arte desde de 2009. Integra os Juris da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) e do Prêmio Aplauso Brasil. Ávida por conhecimento, se não está em viagem ou estudo, só há um lugar para achá-la: o teatro!