Artigo: Operação Trem-Bala marca os 40 anos de carreira de Naum Alves de Souza

Maurício Mellone, para o www.favodomellone.com.br – parceiro do Aplauso Brasil

"Operação Trem Bala"
“Operação Trem Bala”

O dramaturgo dirige sua peça inédita que trata, com humor e non-sense, da velhice e como os parentes gananciosos lidam com a senilidade dos patriarcas. Em cartaz no Instituto Capobianco até 29/09

SÃO PAULO – Aos 70 anos e 40 de carreira, o dramaturgo e diretor Naum Alves de Souza acaba de estrear Operação Trem-Bala, peça inédita que, com humor ácido e non-sense, mostra os bastidores da família de um velho político que está há anos no poder.

A atual mulher do político e suas três filhas fazem de tudo para se livrar do casal e aproveitam o projeto do trem-bala idealizado por ele para promover a viagem inaugural do comboio e assim interná-los no asilo.

Sob direção de Naum, os quatro atores, Ana Andreatta, Fábio Espósito, Marco Antônio Pâmio e Mila Ribeiro, se dividem em diversos personagens. A peça fica em cartaz no Instituto Cultural Capobianco até o final de setembro.

Com o espaço cênico todo vazio — apenas uma maquete com um trenzinho elétrico em funcionamento,  a peça começa com a apresentação dos personagens, todos interpretados somente pelos quatro atores: além do velho político, chamado por Sua Excelência (Marco Antônio Pâmio), e de sua primeira esposa, Bluma (Ana Andreatta), Filipa (Mila Ribeiro) a atual mulher do político e o arcebispo Dom Círio (Fábio Espósito) é que movimentam a trama.

Operação Trem Bala"
Operação Trem Bala”

O casal de velhos já está senil e só anda de cadeiras de roda: em conluio, Filipa, as três filhas do primeiro casamento do político (Vitória, Inglória e Tormenta) e Dom Círio estão dilapidando o patrimônio da família e têm um plano: aproveitam que Sua Excelência lançou o projeto do trem-bala, que deve ligar Campinas, São Paulo e Rio de Janeiro, e promovem uma viagem inaugural.

Na verdade esta inauguração é puro pretexto para que os velhos sejam internados num asilo e durante toda a peça o casal imagina estar em viagem de trem.

O autor explica que a parentada toda acha que Sua Excelência vai morrer e assim quer tirar uma lasquinha da fortuna do velho. Naum diz ainda que sua peça é uma crítica à sociedade atual:

“Quando somos jovens, não percebemos que um dia vamos envelhecer. Mostro na peça que mesmo o poderoso envelhece e fica entregue às mãos dos parentes. Hoje vemos que quando os pais envelhecem, os filhos começam a brigar pelos bens e deslocam os pais de suas casas. O asilo começa a bater a porta deles. É bom cuidar bem dos filhos porque eles é que vão escolher o asilo onde os pais vão mofar”, ironiza o dramaturgo.

Num espaço cênico de apenas 40 lugares, Operação Trem-Bala envolve o espectador, que, mesmo assistindo a uma comédia farsesca, percebe o tom corrosivo e ácido com que o autor lida com temas profundos como a velhice, o abandono, a perda de memória e a ganância humana.

Destaque para os figurinos de Miko Hashimoto e, principalmente, pela unidade e sintonia da interpretação dos quatro atores.

Roteiro:
Operação Trem-Bala. Texto e direção: Naum Alves de Souza. Elenco: Ana Andreatta, Fábio Espósito, Marco Antônio Pâmio, Mila Ribeiro. Desenho de luz: Wagner Freire. Direção musical: Lívio Tragtenberg. Figurinos: Miko Hashimoto. Visagismo: Fábio Namatame e Juliano Lopes. Projeto gráfico: Georges Skyvalakis.  Assistente de direção e produção: Rodrigo Ramos. Fotografia: Paulo Cesar. Realização: Naum Alves De Souza Produções Artísticas Ltda.
Serviço:
Instituto Cultural Capobianco, Teatro da Sala Subterrânea (40 lugares), Rua Álvaro de Carvalho, 97, centro, tels. (11) 3255-8065/ 3237-1187. Horários: sextas e sábados às 20h e domingos às 19h. Ingressos: R$20,00 (estudantes pagam meia entrada). Duração: 80 min. Classificação: 14 anos. Estacionamento pago em frente ao local. Temporada: até 29 de setembro.

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*