Artigo: Peça discute limite do humor e da liberdade de criação

Maurício Mellone, para o www.favodomellone.com.br – parceiro do Aplauso Brasil

SÃO PAULO – Um comediante em crise depois de ter feito uma piada num programa de TV que não foi bem recebida pelos espectadores sofre todo tipo de pressão e entra em depressão profunda. Este é o mote central da peça Sit Down Drama, que acaba de estrear no SESC Consolação, com um elenco de 12 atores, dentre eles Danilo Grangheia, Caco Ciocler, Chris Couto e Noemi Marinho, e marca a parceria de dois discípulos do CPT (Centro de Pesquisa Teatral do SESC), dirigido por Antunes Filho: a dramaturga Michelle Ferreira e o diretor Eric Lenate.

A peça tem início com um famoso comediante brasileiro, Alves De (Danilo Grangheia), diante de um grande telão em que são projetadas imagens difusas e que antecipam o drama que ele viverá.

Depois de uma turnê aos países escandinavos, o humorista é convidado a participar de um programa de TV muito popular e, em sua apresentação, uma de suas piadas não só desagrada a opinião pública como transforma sua vida. Alves De começa a ser pressionado, sofre de crise de criação — e consequentemente entra em depressão — e vira o bode expiatório da sociedade.

A pressão que o humorista recebe vem tanto da ex-mulher e jornalista, interpretada porChris Couto, que inclusive usa o escândalo para se beneficiar profissionalmente, como do melhor amigo, vivido por Caco Ciocler, que não entende as razões da tristeza e da depressão do comediante. A reação popular também é grande e assusta o comediante.

A única que o apoia (incondicionalmente) é a mãe (Noemi Marinho), que sempre ri de suas piadas e não o abandona, seja qual for a situação por que o filho passa.

“O texto é irônico e cheio de sarcasmo, em que os personagens dizem coisas uns para os outros sem rodeios. Michelle, com esta peça, consegue ser crítica com empatia. Nossa montagem procura discutir o humor e seus limites, além da atitude de perseguir as pessoas nessa época de tanta interação nas mídias sociais”, esclarece o diretor Eric Lenate.

Com um cenário despojado (poucos elementos, mas funcionais dentro da trama) e a interação do telão com a ação no palco — a cena da saída de Alves De da prisão é impactante — Sit Down Drama provoca reflexão na plateia, mesmo que de maneira ácida e com um personagem tão depressivo.

Roteiro:

Sit Down Drama

Texto: Michelle Ferreira. Direção, cenografia e adereço: Eric Lenate. Elenco: Danilo Grangheia, Caco Ciocler, Chris Couto, Noemi Marinho, Ricardo Grasson, Ando Camargo, Marcelo Villas Boas, Diego Dac, Luciana Azevedo, Fernanda Belinatti, Martina Gallarza e Veronica Ned. Assistência de direção: Diego Dac. Figurinos e adereços: David Diniz e Mônica Ventura. Iluminação e adereços: Fran Barros. Trilha sonora: L. P. Daniel. Fotografia: Leekyung Kim. Produção executiva: Martina Gallarza e Cicero de Andrade.

Serviço:
SESC Consolação, Teatro Anchieta (280 lugares), Rua Dr. Vila Nova, 245, tel. (11) 3234-3000. Horários: sexta e sábado às 21 horas e domingo às 18 horas. Ingressos:R$ 30,00 (inteira); R$ 15,00 (usuário SESC e dependentes, +60 anos, estudantes e professores da rede pública); R$ 6,00 (trabalhador no comércio, serviços e turismo matriculado no SESC e dependentes). Bilheteria: de segunda a sexta das 12 às 22 h, sábado das 10 às 21 h e domingo e feriado das 16h30 às 18 h (ingressos à venda em todas as unidades do SESC).  Aceitam-se cheque e cartões. Duração: 80 min. Classificação: 16 anos. Temporada:até 10 de agosto.

 

 

 

 

 

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado