Artigo: Últimas semanas para assistir Rita Lee Mora ao Lado

Maurício Mellone, para o www.favodomellone.com.br – parceiro do Aplauso Brasil

Musical "Rita Lee Mora ao Lado" fica em cartaz até  ofinal do mês de julho em SP. Foto/Crédito Priscila Prade
Musical “Rita Lee Mora ao Lado” fica em cartaz até ofinal do mês de julho em SP. Foto/Crédito Priscila Prade

SÃO PAULO – Ao mesclar ficção e realidade, o musical Rita Lee Mora ao Lado, que permanece em cartaz no Teatro das Artes até o final deste mês de julho, faz não só uma homenagem à rainha do rock do Brasil como um painel da música brasileira das últimas décadas.

Com Mel Lisboa vivendo a rockeira e com dramaturgia de Paulo Rogério Lopes, Márcio Macena e Débora Dubois, o espetáculo tem como base o livro de Henrique Bartsch, Rita Lee Mora ao Lado – Uma Biografia Alucinada da Rainha do Rock, em que tudo é contado por meio de Bárbara Farniente, uma vizinha de Rita Lee, cuja mãe era apaixonada pelo pai da cantora, e que nasceu no mesmo dia que ela; Bárbara, interpretada por Carol Portes, acompanha de perto a trajetória da vizinha famosa e, no espetáculo, funciona como narradora da história.

A atriz Mel Lisboa interpreta  Rita Lee  nos palcos. Foto/Crédito Priscila Prade
A atriz Mel Lisboa interpreta Rita Lee nos palcos. Foto/Crédito Priscila Prade

O espetáculo faz um passeio sobre a trajetória de Rita Lee, destacando os principais momentos, desde a infância e sua relação muito próxima com as irmãs Mary e Virgínia, sua movimentada e divertida adolescência, a aproximação dela com a música e o primeiro violão que ganhou do pai, as primeiras bandas e a criação de Os Mutantes, até sua carreira solo e principalmente sua parceria — musical e de vida — com Roberto de Carvalho.

E nesta narrativa da vida e obra da cantora, há um breve e significativo painel da música brasileira, com a participação de artistas e amigos de Rita, como Jorge Bem, Tim Maia, Lúcia Turnbull, Raul Seixas, Gilberto Gil, Caetano Veloso, Gal Costa, João Gilberto, Ney Matogrosso e Elis Regina.

“Não trabalhamos com uma cronologia exata o tempo inteiro no espetáculo. Procuramos exemplificar situações da vida da Rita com canções que, mesmo tendo surgido depois, conversam com a personalidade e comportamento que ela já demonstrava desde jovem”, explica o autor e diretor Márcio Macena.

Além de Mel Lisboa e Carol Portes, o grupo (muito talentoso) é formado por mais 12 atores e 5 músicos. Nos números musicais, Mel é acompanhada por todo o elenco (mesmo que parte deles esteja na coxia).

Difícil destacar um único número (o público se envolve desde o início e canta junto todas as músicas), mas fiquei particularmente emocionado com duas apresentações:

Fabiano Augusto interpretando Ney Matogrosso (postura, gestual, figurino e voz irretocáveis) e a interpretação da canção Coisas da Vida, em que o elenco todo está em cena num momento em que são narradas perdas de familiares e amigos de Rita, além de diversos artistas brasileiros.

Outro destaque do musical, sem dúvida, é para a interpretação de Mel Lisboa, que demonstra boa presença no palco e com uma caracterização criteriosa da personagem (acredito que por Rita Lee estar em pela atividade, o desempenho da atriz na composição da cantora tenha sido mais difícil do que se fosse para personalidades já falecidas); mas gostaria de ressaltar ainda a dramaturgia e a condução cênica do espetáculo, em que o público tem conhecimento da vida da homenageada e ao mesmo tempo vê um painel histórico cultural do país.

Único senão: a duração do espetáculo poderia ser menor, tudo mais enxuto.

De acordo com a diretora Débora Dubois, Rita Lee Mora ao Lado traz cerca de 40 canções, além de fatos que fizeram parte da formação da cantora, tudo para que o público possa entender a personalidade de Rita Lee.

O espetáculo já teve sua temporada estendida e fica em cartaz até o dia 27 de julho. Ótima oportunidade para conhecer um pouco mais da vida da maior rockeira nacional e se deliciar com músicas brasileiras representativas das últimas cinco décadas.

Roteiro:
Rita Lee Mora ao Lado
. Dramaturgia: Debora Dubois, Márcio Macena e Paulo Rogério Lopes, baseada no livro de Henrique Bartsch. Direção e cenografia: Debora Dubois e Márcio Macena. Direção musical: André Aquino. Elenco: Mel Lisboa, Carol Portes, Rafael Maia, Yael Pecarovich, Samuel de Assis, Fabiano Augusto, Débora Reis, Antonio Vanfill, César Figueiredo, Fábio Ventura, Flávia Strongolli, Nanni Souza, Nellson Oliveira, Talitha Pereira. Músicos: Felipe Cruz, Gregory Paoli, Junior Gaz, Marcio Guimarães e Robson Couto. Produção musical e arranjos: André Aquino e Rafael Langoni. Figurinos: Márcio Vinícius. Iluminação: Debora Dubois e Robson Bessa. Visagismo: Rachel Ramos. Fotografia: Priscila Prade. Produção executiva: Marisa Medeiros. Realização: Cantando Na Chuva Criações e Brancalyone Produções Artísticas.

Serviço: 
Teatro das Artes (796 lugares), Shopping Eldorado, Av. Rebouças, 3970, tel. (11) 3034-0075. Horário: sextas às 21h30, sábado às 21h e domingos às 19h. Ingressos: sexta: plateia – R$ 80,00/ mezzanino – R$ 60,00; sábado: plateia – R$ 100,00/ mezzanino – R$ 80,00 e domingo: plateia – R$ 90,00/ mezzanino – R$ 70,00. Duração:140 minutos. Classificação: 14 anos. Temporada: até 27 de julho de 2014.
 

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*