Espectador profissional: ATRAVÉS DE UM ESPELHO EXPLORA A FRAGILIDADE E A INSTABILIDADE DA ALMA HUMANA

Nanda Rovere, do Aplauso Brasil (Nanda@aplausobrasil.com.br)

"Através de um espelho". Foto: divulgação
“Através de um espelho”. Foto: divulgação

SÃO PAULO – Através de um espelho é uma adaptação para o teatro do longa-metragem homônimo de Ingmar Bergman, de 1961, que conta a história de uma família que não consegue estabelecer um contato frequente, apesar do afeto. Uma montagem que chama a atenção pela sutileza com que trata temas profundos como amor, loucura e a fraqueza humana diante dos obstáculos que a vida impõe.  No palco, os atores Gabriela Duarte, Nelson Baskerville, Marcos Suchara e Lucas Lentini interpretam, com competência, a trajetória de uma família desestruturada que tenta “juntar os cacos de um convívio pautado por uma uma série de situações de desequilíbrio emocional e sofrimento. O espetáculo cumpre temporada no Sesc Consolação até 4 de outubro e reestreia no Tucarena, sexta,18, às 21h30. A direção é do renomado Ulysses Cruz.

Após uma temporada em um hospital psiquiátrico, Karin (Gabriela Duarte), seu pai David (Nelson Baskerville), seu marido Martin (Marcos Suchara) e  seu irmão Max (Lucas Lentini) se encontram para um período de férias numa antiga casa situada numa ilha. O objetivo é rever as relações num lugar em que a família passava as férias na infância.

"Através de um espelho". Foto: divulgação
“Através de um espelho”. Foto: divulgação

David é um escritor de sucesso, mas sofre duras críticas do filho e do genro. Por isso, ele se afasta e isso contribui para que Karin, que já possui uma estrutura emocional muito frágil, tenha um comportamento instável e entre facilmente em depressão.

Num primeiro momento, parece que o encontro será positivo, mas aos poucos os personagens vão revelando as suas fraquezas e as desavenças acontecem. Não conseguem se comunicar. A carência afetiva é evidente e todos estão perdidos ¨numa ilha¨  de incompreensão e solidão.

As emoções estão à flor da pele e a tensão atinge o ápice quando Max mostra ao pai o texto teatral que acabara de criar e este não lhe dá atenção. Além disso, Karin começa a dar sinais de que não está bem, com alucinações que a deixam sem força.

Karin está muito doente, o seu distúrbio psicológico não tem cura (tem a mesma doença que acometeu sua mãe). Precisa de muito carinho e atenção, mas ninguém consegue ajudá-la, nem mesmo o seu marido. Ele a ama, mas não sabe como demonstrar afeto pela esposa e nem como evitar que ela tenha os frequentes surtos bipolares.

Todos têm medo de enfrentar a dura realidade. Karin vive numa ponte entre a vida real e o delírio. O clima fica cada vez mais pesado e a instabilidade emocional de Karin atinge níveis incontroláveis.

Como recuperar os laços familiares se a autoestima de todos é muito baixa? Como estabelecer um cotidiano amistoso e harmônico quando há ausência de tolerância e compreensão?

Na casa, os móveis estão amontoados e cobertos. A iluminação sugere um lugar sem cor, sem vida e os delírios de Karin acontecem num feixe de luz; ela está no limite entre atravessar ou não o espelho que separa a lucidez da paranóia.  A trilha contribui para dar mais força dramática às cenas. O chão está coberto de neve, sugerindo que os personagens estão com a alma dilacerada.

A precisa direção de Ulysses Cruz permite que os atores tracem com perfeição o perfil psicológico dos personagens.  Gabriela Duarte se entrega de corpo e alma às nuances de uma mulher de grande sensibilidade, mas que devido à esquizofrenia não consegue controlar os seus atos e sentimentos. Os gestos da atriz estão mais contidos e a sua interpretação tem uma densidade que demonstra um grande salto como profissional, deixando de lado os personagens leves e partindo para trabalhos mais complexos.

Marcos Suchara também consegue transmitir o quanto Martin ama a sua mulher e se sente impotente porque não pode fazer nada para curá-la.

Lucas Lentini tem a missão de traçar a trajetória de um garoto que precisa da atenção do pai para conseguir dar um rumo à sua vida. Nelson Baskerville é um ator de grande experiência, que dá um show em cena. Baskerville constrói com precisão a figura do pai que está amargurado porque não consegue escrever com criatividade e tem dificuldade para demonstrar o amor que sente pelos filhos.

Ficha Técnica

Texto: Ingmar Bergman

Versão Teatral: Jenny Worton

Tradução: Yara Nagel

Adaptação: Marcos Daud

Dramaturgia: Valderez Cardoso Gomes

Direção: Ulysses Cruz

Diretor Assistente: Leonardo Bertholini

Diretor de Movimento: Leonardo Bertholini

Elenco: Gabriela Duarte, Nelson Baskerville, Marcos Suchara e Lucas Lentini

Preparação vocal: Renata Ferrari

Cenografia: Lu Bueno

Designer de Luz: Domingos Quintiliano

Figurinos: Cassio Brasil

Trilha Original: Daniel Maia

Fotos estúdio: Jairo Goldflus

Fotos de cena: João Caldas

Make e Hair:Lab.DudaMolinos

Projeto Gráfico: Estação design

Administração Geral:Ricca Produções

Produção Executiva: Carmem Oliveira

Direção de Produção: Giuliano Ricca

Produtores Associados: Gabriela Duarte / Giuliano Ricca

Produção:Ricca e Plateia Produções

Realização: SESC

Serviço

Através de um Espelho

TEATRO ANCHIETA – Sesc Consolação (280 lugares)

Rua Doutor Vila Nova, 245 – Vila Buarque

Bilheteria: 3234.3000

Ingressos à venda pela Rede INGRESSO SESC (unidades do Sesc) e pelo Portal Sesc SP www.sescsp.org.br

Sexta e Sábado às 21h | Domingo às 18h

Ingressos: R$ 30

R$ 15 (usuário matriculado no SESC e dependentes, +60 anos, estudantes e professores da rede pública de ensino).

R$ 6 (trabalhador no comércio e serviços matriculado no SESC e dependentes).

Duração: 75 minutos

Classificação: 12 anos

Até 04 de outubro

Depois entra em cartaz no TUCARENA

Estreia dia 18 de Outubro a 30 de Novembro

Rua Monte Alegre, 1024 (entrada pela Rua Bartira)

Perdizes – São Paulo – Fone: (11) 3670-8455/ 3670-8454

Sextas 21h30 / Sábado 21h00 / Domingo 19h30

Ingressos: Sexta R$ 50 / Sábado R$ 70 / Domingo R$ 70

Venda de Ingressos: bilheteria do Tuca (terça a sábado 14h às 19h / domingo 14h às 18h) ou www.ingressorapido.com.br / 4003-1212

Estacionamento conveniado: R$ 14 (Rua Monte Alegre, 835/ mediante apresentação do ingresso do espetáculo)

ValetEstapar: R$ 20,00 (somente sábados e domingos)

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado