Atriz Bel Kutner dirige Maratona de Nova York

Nanda Rovere, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

"Maratona de Nova York" - Foto de Desirée do Valle

SÃO PAULO – Texto inédito no Brasil, Maratona de Nova York às 21 horas de hoje, no Teatro Cacilda Becker. O autor é o italiano Edoardo Erba.  No elenco estão os atores Anderson Muller e Raoni Carneiro. A tradução é assinada por Beth Rabetti; a trilha sonora foi composta por André Abujamra; a iluminação é de Paulo César Medeiros.

Os protagonistas Mario (Muller) e Steve (Raoni) têm um objetivo, o qual é o centro da encenação: participar da Maratona de Nova York – a mais importante no mundo dos esportes. Durante os treinos relembram momentos de suas vidas e colocam em discussão questões como: Correr para quê? Superar quem?

O espetáculo é produzido por Anderson Muller, que já foi maratonista e sempre carregou o sonho de correr em cena. Quando conheceu essa peça, pelas mãos de Raoni Carneiro, o ator ficou encantado com o seu conteúdo e convidou Bel Kutner para dirigir a montagem, quem, além de assinar a direção, é parceira na produção.

Muller já tinha sido dirigido por Bel e, além de querer dar à produção um ar feminino, queria uma pessoa que tivesse amplo conhecimento não somente de artes, mas de esportes.

"Maratona de Nova York" - Foto de Desirée do Valle

Maratona de Nova York fala com leveza de assuntos pertinentes ao cotidiano, como o sonho, a dedicação a um objetivo, a superação e o amadurecimento que a vida proporciona

Os dois atores correm o tempo todo, o que exige muito preparo físico. Para Raoni Carneiro, a peça é uma espécie de parábola e quem decide o final da história é o púbico.

“Não se sabe ao certo quem são os personagens, se são amigos ou apenas conhecidos. São dadas pistas e o espectador tira as suas próprias conclusões”, diz.

Anderson Muller complementa dizendo “que a peça é uma grande comédia, que traz para a cena o jogo do teatro, isto é, uma dosagem de emoções e sentimentos da vida real. Assim como acontece no texto, a cada momento a vida nos reserva surpresas, novidades e obstáculos”.

O humor está nos diálogos entre os dois homens que colocam em pauta questões do universo masculino, com teor machista e sem deixar de lado assuntos típicos como futebol.

Cada personagem tem a sua personalidade e a competição entre eles é saudável. Steve é determinado, se esforça ao máximo e quer muito vencer a maratona. É ele quem conta ao público um pouco da história das corridas. Já Mario, apesar de mais velho, é mais brincalhão e não tem a mesma certeza do colega de treino quanto à importância da maratona para a sua vida.

O cenário da peça é formado por projeções da cidade de São Paulo, captadas por uma câmera 360º, buscando mais dinamismo e vivacidade às cenas. Outro destaque é a trilha original composta por André Abujamra.

A projeção e a trilha segundo os atores, são molduras e ilustram a história, já que o foco da direção está nos diálogos.

Como os atores precisam de muito preparo para estarem bem fisicamente no palco, eles contam com a presença do ator Celso Bernini, assistente de direção e uma espécie de coringa. Ele conhece todas as falas e marcações e pode fazer qualquer um dos personagens, se houver necessidade durante a temporada.

O elenco também conta com a ajuda da preparadora corporal Denise Stutz, para dar suporte à intensa movimentação que acontece e evitar acidentes.

Após a curta temporada em São Paulo (somente até 29 de julho), a montagem viaja pelo Brasil e volta novamente para a capital paulista, ainda sem data definida.

Anderson Muller declara que houve uma cumplicidade muito grande entre ele e Raoni Carneiro e a ideia é que a temporada seja longa. A peça rendeu uma amizade para toda a vida e os dois já têm planos de outros trabalhos em conjunto.

Sobre o autor

Edoardo Erba nasceu em Pavia em 1954 e graduado em letras, formou-se em dramaturgia pela Escola Piccolo Teatro de Milão. Vive em Roma. Dentre suas obras estão A noite de Picasso (1990), O homem da minha vida (1999), Boas notícias (2002) e Maratona de Nova York (1992). A peça, contemplada com vários prêmios, já foi traduzida para cinco idiomas, tendo sido publicada na Inglaterra pela Obern Book e na Argentina pelas Ediciones de La Flor. Na Itália foi publicada pela Ricordi e por Ubulibri. Edoardo Erba é também autor de programas televisivos.

Ficha técnica:

Autor: EDOARDO ERBA. Tradução: BETH RABETTI. Direção: BEL KUTNER. Iluminação: PAULO CESAR MEDEIROS. Direção de Arte: MAURO VICENTE FEREIRA. Assistente de Arte: ROGERIO CHIEZA. Vídeo 360 graus: CHARLES BOGGISS. Vídeo Grafismo: EDUARDO SALLES E CRISTIANA QUEIROGA. Figurino: ASICS. Preparação Corporal: DENISE STUTZ. Trilha Sonora: ANDRE ABUJAMRA. Fotografia: DESIRÉE DO VALLE. Programação Visual: LEONARDO BRASIL. Assessoria de Imprensa: ARTE PLURAL. Assistente de Direção: CELSO BERNINI. Operação de Som: ALLYSSON LEMES. Operação de Luz: ALEXANDRE BAFÉ. Direção de Vídeo: MICHEL PAULO. Operação de Vídeos: ALEXANDRE GONZALEZ. Direção de Produção: DEA MARTINS E ANDERSON MULLER. Produção Executiva em SP: DEA MARTINS E GERARDO FRANCO. Assistente de Produção RJ; MARCELO GOMES. Assistente de Produção SP: FLÁVIA PRIMO. Direção de Palco: MARCELO GOMES. Realização: Logomarca Kauidea (Dea Martins) e PRÓSPERAS PRODUÇÕES (Anderson Muller e Thereza Falcão).Patrocínio: ASICS.

Serviço:

Maratona de Nova York

Estreia dia 6 de julho, sexta-feira, às 21 horas, no Teatro Cacilda Becker. Rua Tito, 295 – Lapa São Paulo. Tel: (0xx)11 3864-4513Temporada: de 6 de julho a 29 de julho. Sextas e sábados, às 21h e domingos às 19h. Duração: 115 minutos. Preço: R$ 20. Censura: 12 anos.

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*