Bendita Trupe leva tragédia da Piedade ao CCBBSP

Michel Fernandes, especial para o Último Segundo (michelfernandes@superig.com.br)

Peça mostra encontro póstumo entre Anna da Cunha, Dilermando de Assis e Euclides da Cunha
Peça mostra encontro póstumo entre Anna da Cunha, Dilermando de Assis e Euclides da Cunha

Depois do monumento épico que o grupo Oficina Uzyna Uzona levou a cabo durante a primeira década desse século 21, e que está eternizado na antologia do teatro brasileiro, a partir da obra-prima de Euclides da Cunha, Os Sertões, a Cia. Bendita Trupe lança foco sobre a tragédia íntima que resultou no assassinato de Euclides. Trata-se de Piedade, de Antonio Rogério Toscano, e direção de Johana Albuquerque, que estreia nesta sexta-feira (5), 19h30, no Centro Cultural Banco o Brasil (CCBB) de São Paulo.

Leopoldo Pacheco, Jacqueline Obrigon e Daniel Alvim formam, respectivamente, o triangulo amoroso Euclides da Cunha, Anna da Cunha e Dilermando de Assis que têm um encontro póstumo em que discutem o crime ocorrido em 1909quando Dilermando, jovem campeão de tiro, acaba por matar Euclides da Cunha, em legítima defesa, que vai a seu encontro com o objetivo de mat´-lo e limpar sua honra frente ao escândalo da traição de Anna e Dilermando.

O espetáculo marca as comemorações da primeira década da Cia, Bendita Trupe que, nesses 10 anos, apresentou montagens marcantes na antologia do teatro paulistano tanto aos direcionados ao público adulto caso de Os Collegas, ficção-verdade que fez uma espécie de revista dos nebulosos anos Collor focando o foro íntimo, fictício. que impulsionou a crise real de um primeiro passo à efetiva democracia enlameado por denúncias de corrupção, como também para o público infantil com o delicioso Assembleia dos Bichos, inventivo e competente que agradava não só as crianças, mas ao público de qualquer idade.

<i>Piedade</i> celebra dez anos da <i>Cia. Bendita Trupe</i>
Piedade celebra dez anos da Cia. Bendita Trupe

Para Marcelo Mendonça, diretor do CCBB São Paulo, “Piedade, além de homenagear o autor de uma das mais importantes obras da literatura nacional, é uma oportunidade do público poder refletir e construir um novo olhar sobre o importante episódio que sensibilizou a sociedade à época e está representado nesta montagem atual feita pela direção e elenco da peça”.

A montagem foi concebida pela diretora Johana Albuquerque que coordena o trabalho da equipe: o cenógrafo Marcelo Larrea, a figurinista Marina Reis, a iluminadora Lucia Chedieck e o compositor Pedro Birenbaum. A direção de produção é da Cia. Bendita Trupe, com patrocínio do Banco do Brasil e realização do Centro Cultural Banco do Brasil.

Piedade é um espetáculo que não julga, mas apresenta os elementos para que a plateia atue, um século adiante, como júri e cúmplice desta fatalidade, publicamente conhecida como Tragédia da Piedade”, completa a diretora Johana Albuquerque.

Ficha Técnica

Patrocínio: Banco do Brasil / Realização: Centro Cultural Banco do Brasil – São Paulo / Texto: Antônio Rogério Toscano / Direção Geral: Johana Albuquerque / Elenco: Leopoldo Pacheco, Jacqueline Obrigon e Daniel Alvim / Cenário: Marcelo Larrea / Figurinos: Marina Reis / Iluminação: Lucia Chedieck / Trilha Sonora: Pedro Birenbaum / Fotos: Maria Clara Diniz / Designer gráfico: Cláudio Queiroz / Produção Executiva: Stella Marini / Gerência de Produção: José Maria Pereira Jr / Direção de Produção: Cia. Bendita Trupe (Johana Albuquerque e Jacqueline Obrigon)

PIEDADE

Temporada: de 5 de fevereiro a 21 de março.

Horário: Quarta a sábado, às 19h30, e domingo, às 18h

Local: Teatro do CCBB (125 lugares)

Duração: 70 minutos.

Classificação Indicativa: 14 anos

Ingresso: R$15,00 e R$7,00 (meia-entrada para estudantes, professores, correntistas do Banco do Brasil e maiores de 60 anos)

Horário da bilheteria: de terça a domingo, das 10h às 20h.

Informações: (11) 3113-3651 ou 3113-3652

www.bb.com.br/cultura

Ingresso antecipado: www.ingressorapido.com.br / (11) 4003-1212

Centro Cultural Banco do Brasil – São Paulo

R. Álvares Penteado, 112, Centro

Próximo às estações Sé e São Bento do Metrô

11 3113 3651 / 11 3113 3652

www.bb.com.br/cultura

www.twitter.com/ccbb_sp

Acessos – Estações Sé e São Bento do Metrô. Praças do Patriarca e da Sé.Acesso e facilidades para pessoas com deficiência física// Ar-condicionado // Loja // Cafeteria Cafezal

Estacionamentos – Opções de estacionamentos particulares na Rua Boa Vista, Rua Senador Feijó e Rua Libero Badaró. Confirmar dias e horários de funcionamento.

Estacionamentos Conveniados

Jockey Club – Rua Boa Vista, 280

(R$ 10,00 pelo período de 4 horas. Necessário carimbar o ticket na bilheteria do CCBB).

Informações: (11) 3241-5433

Estapar Estacionamentos

Rua da Consolação, 228 (Edifícos Zarvos)

(R$ 10,00 pelo período de 5 horas. Necessário carimbar o ticket na bilheteria do CCBB).

Informações: (11) 3256-8935

Van faz o transporte gratuito até as proximidades do CCBB – embarque e desembarque na Rua da Consolação, 228 (Edifício Zarvos) e na XV de novembro, esquina com a Rua da Quitanda, a vinte metros da entrada do CCBB.

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*