BENDITAS MULHERES

Foto: Divulgação

SÃO PAULO – A autora transita uma vez mais pelo universo feminino. Em Benditas Mulheres conta a história de quatro personagens que revelam outra faceta desse universo: a convivência de três atrizes com a camareira da peça a ser encenada, mostrando os diferentes mundos que se juntam quando é formada uma equipe de teatro. Quatro realidades distintas que convivem em harmonia, respeito e troca de experiências: a sabedoria e vivência – e o cotidiano – de Otila, camareira, e a cultura adquirida de três atrizes que tentam montar uma peça e suas elucubrações com a vida e as artes. Nesse encontro, as personagens percebem o quanto pode ser gratificante quando nos abrimos ao diálogo para escutar o outro, de uma maneira humana, divertida e, sobretudo, generosa e tolerante. O jogo é cômico e até farsesco com as coincidências inesperadas que unem algumas das personagens.

Dirigida por Elias Andreato, Benditas Mulheres retrata o encontro de 4 mulheres nas coxias e palco de um teatro. Vanda, a diretora (Vera Mancini), Helena e Sara, as duas atrizes (Carol Rainatto e Maria Pinna) e Otila, a camareira (Claudia Missura) estão no primeiro dia de ensaio. O que se vê ali não é uma discussão sobre uma montagem teatral e sim sobre o olhar do indivíduo, pessoas que unem suas angústias, desejos e sonhos, através de uma construção dramatúrgica. A autora transcorre por questões individuais, mas através da simplicidade do olhar da camareira, propõe um instigante jogo cênico em que as atrizes se tornam protagonistas de suas inquietações.

A trama tem como objetivo nos colocar no lugar do outro. Ouvir os que vivem de maneira diversa de nossas convicções e condições de vida. Abrir o debate para a tolerância, a compreensão com o diferente, aqui retratada entre classes sociais, humanas e culturais das quatro personagens. Esse espetáculo é uma pequena homenagem aos trabalhadores e trabalhadoras do teatro nos bastidores, mas esse encontro poderia se dar em qualquer lugar onde convivem pessoas.

BENDITAS MULHERES
Teatro Renaissance
Alameda Santos, 2233
(440 lugares)

ESTREIA 08 DE OUTUBRO
Sexta e sábado às 21h30

Vendas:
https://bileto.sympla.com.br/event/69194
Recomendação: 12 anos
Duração: 80 minutos

FICHA TÉCNICA
TEXTO Célia Forte
DIREÇÃO Elias Andreato
ELENCO: VERA MANCINI, CLAUDIA MISSURA, CAROL RAINATTO e MARIA PINNA
MÚSICA ORIGINAL Jonatan Harold
CENOGRAFIA Elias Andreato
FIGURINO Marichilene Artisevskis
DESENHO DE LUZ Cleber Eli
TEMA DE ABERTURA Prólogo das Benditas
LETRA Elias Andreato
MÚSICA Jonatan Harold
VOZ Célia Jordani
ASSISTENTE DE DIREÇÃO Rodrigo Chueri
ASSISTENTE DE CENOGRAFIA Isadora Morente
CAMAREIRA Cristiane Ferreira
OPERADOR DE LUZ e SOM Pedro Moura
CONTRAREGRA Daniel Santos
COORDENADORA DE COMUNICAÇÃO Beth Gallo
ASSESSORIA DE IMPRENSA: Thaís Peres–Morente Forte Comunicações
PROJETO GRÁFICO Vicka Suarez
FOTOS Rodrigo Chueri
CONTEUDO WEB Jady Forte
REDES SOCIAIS Ana Paula Barbulho
PRODUTORA EXECUTIVA Martha Lozano e Cubo Produções
COORDENADORA ADMINISTRATIVA Dani Angelotti – Cubo Produções
ASSISTENTE DE PRODUÇÃO Alcení Braz
SECRETARIA DE TEMPORADA Magali Morente
DIRETORA DE PRODUÇÃO Selma Morente
APRESENTA SEGUROS UNIMED