Cacá Carvalho re-estreia A Poltrona Escura no SESC Pompeia

Luís Francisco Wasilewski, especial para o Aplauso Brasil (lfw@aplausobrasil.com)

Solo reúne três contos do italiano Luigi Pirandello

SÃO PAULO – Solo do ator Cacá Carvalho, o espetáculo A Poltrona Escura reúne três histórias de Luigi Pirandello que, juntas, desenham um divertido, patético e poético quadro do homem contemporâneo. A montagem, dirigida pelo italiano Roberto Bacci, da Fondazione Pontedera Teatro, volta aos palcos de São Paulo para um curta temporada no SESC POMPEIA nesta sexta-feira (13), às sextas-feiras e sábados às 21 horas e domingos às 19 horas.

A Poltrona Escura estreou em 1983 em São Paulo e desde então o espetáculo realizou mais de 300 apresentações entre festivais, temporadas por capitais e interiores do Brasil, além de muitas cidades de todas as regiões da Itália. Vencedor dos Prêmios Shell e APCA de Melhor Ator, aclamado com críticas nacionais e internacionais, a montagem continua importante até hoje, impactando os espectadores.

Num cenário de aparente simplicidade criado por Márcio Medina e iluminado em brancos ou azuis por Fábio Retti, Cacá Carvalho assume todas as personagens. Ele está ali, desenhando com a voz e o corpo as histórias de Pirandello, ora parado como uma máscara, ora assumindo personagens de simplicidade e fulgor assustadores, ora mergulhando com terror numa grande poltrona escura, para surgir divertido, solar e com sarcasmo.

Cacá Carvalho volta com "A Poltrona Escura"

As três novelas de Pirandello presentes em A Poltrona Escura são: Os Pés na Grama, onde se revela a poesia e o afeto entre um pai e um filho. Numa virada em torno da Poltrona, Cacá surge divertido e cruel em O Carrinho de Mão, como um patético advogado bem sucedido que ao voltar do trabalho não se reconhece na porta de casa. Depois vem O Sopro, um conto quase metafísico, onde um homem descobre-se com um poder, soprar nos dedos e acabar com aqueles que ele vê.

Ficha Técnica

Elenco: Cacá Carvalho

Direção: Roberto Bacci

Dramaturgia: Stefano Geraci

Tradução: Ana Mantovani

Cenário e Figurino: Márcio Medina

Criação de Luz: Fábio Retti

Produção: Fondazione Pontedera Teatro e Casa Laboratório

Produção Executiva e Administração: Núcleo Corpo Rastreado

Serviço:

A POLTRONA ESCURA – De 13 de janeiro a 5 de fevereiro. Sextas-feiras e sábados, às 21 horas e domingos, às 19 horas, no Espaço Cênico.

Duração – 90 minutos.

Capacidade – 50 lugares.

Indicação Etária – 16 anos.

Ingressos – R$ 16,00 (inteira); R$ 8,00 (usuário matriculado no SESC e dependentes, pessoas com mais de 60 anos, professores da rede pública de ensino e estudantes com comprovante) e R$ 4,00 (trabalhador no comércio e serviços matriculado no SESC e dependentes).

SESC Pompeia – Rua Clélia, 93. Telefone – (11) 3871-7700. Acesso para deficientes físicos.

Horário de funcionamento da Bilheteria – De terça a sábado das 9 às 21 horas e domingos e feriados das 9 às 20 horas (ingressos à venda em todas as unidades do SESC). Aceitam-se cheque, cartões de crédito (Visa, Mastercard, Diners Club International) e débito (Visa Electron, Mastercard Electronic, Maestro e Redeshop).

Não há estacionamento. Para informações sobre outras programações ligue 0800-118220 ou acesse o portal www.sescsp.org.br.

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

2 Comentários
  1. INTERESSANTE! VI AS FOTOS DE UM ESPETACULO DA MESMA FUNDAÇÃO QUANDO VEIO AO BRASIL PELA PRIMEIRA VEZ, NÃO LEMBRO DO TITULO DA PEÇA, ALGO COM ASNO, MAS BEM INTRIGANTE AS CENAS CAPTADAS PELAS LENTES.
    GEROU UMA CURIOSIDADE SOBRE A COMPANHIA E SEUS PROJETOS.

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*