Cácia Goulart apresenta solo inspirado em obra de Tolstói

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

 

Cácia Goulart em "A Morte de Ivan Ilitch" - Foto Cacá Bernardes
Cácia Goulart em “A Morte de Ivan Ilitch” – Foto Cacá Bernardes

SÃO PAULO – Duas vezes indicada ao Prêmio Shell de Teatro de SP, na categoria Melhor Atriz, Cácia Goulart lança-se, pela primeira vez, no terreno  dos solos com adaptação, ao lado de Edmilson Cordeiro, de A Morte  de Ivan Ílich, a partir da novela homônima do russo Liev Tolstói, cuja estreia será hoje, às 20 h, no Espaço Redimunho de Teatro.

Cácia que assina a direção conta que velou, por dois meses, a mãe que sofria de câncer na vesícula passou a refletir sobre a morte. Sua mãe faleceu em 2010 e, durante o luto, a atriz debruçou-se sobre a obra de Tolstói que inspira a empreitada.

“A triste figura de Ivan Ilitch se impõe e se atualiza como o reflexo espectral do homem contemporâneo. Porque o imperativo burguês triunfou em proporções planetárias, e o homem aí produzido se instituiu, se reproduziu e foi naturalizado. É a este homem,  portanto, alojado em cada um de nós, que Ivan Ilitch insiste em provocar, exortando-nos pelo seu testemunho de moribundo, a uma tomada de consciência radical sobre a vida que nos foi legada e sobre a que pretendemos legar”, afirma Cácia Goulart.

Segundo Boris Schnaiderman, cuja tradução para o português serve de base para a livre adaptação do espetáculo, trata-se de ‘uma dessas obras que convidam à veneração, ao lado de Sonata a KreutzerAnna Kariênina e Guerra e Paz, outras três obras-primas do gênio russo”

Cácia Goulart em "A Morte de Ivan Ilitch" - Foto Cacá Bernardes
Cácia Goulart em “A Morte de Ivan Ilitch” – Foto Cacá Bernardes

.

Com cenário intimista de André Cortez, figurinos de Marina Reis e iluminação de Lúcia Chedieck, a plateia é convocada a participar das pulsações do embate decisivo entre vida e morte na alma humana.

A música original composta por Marcelo Pellegrini procura sustentar e pontuar a estrutura dramatúrgica de A Morte de Ivan Ílich.

FICHA TÉCNICA

A Morte de Ivan Ilitch

De: LIEV TOLSTÓI

Livre adaptação a partir da tradução de BORIS SHNAIDERMAN- Editora 34

Dramaturgia: EDMILSON CORDEIRO e CÁCIA GOULART

Direção e atuação: CÁCIA GOULART

Assistente de Direção: INÊS ARANHA

Cenografia: ANDRÉ CORTEZ

Desenho de Luz: LÚCIA CHEDIECK

Música original: MARCELO PELLEGRINI

Figurinos/Visagismo: MARINA REIS

Fotografia: CACÁ BERNARDES

Idealização: CÁCIA GOULART

Realização: NÚCLEO CAIXA PRETA DA COOPERATIVA PAULISTA DE TEATRO

 

* O projeto venceu o edital de produção e temporada de espetáculos inéditos do ProAC 2012, por meio da Cooperativa Paulista de Teatro.

 

A Morte de Ivan Ílich.

 

Espaço Redimunho de Teatro

Rua Álvaro de Carvalho, 75 (Próximo ao metrô Anhangabaú)

Quando: de 30 de outubro a 07 de dezembro de 2013

Quarta à Sábado às 20h

Telefone: (11) 3101.9645

Ingressos serão vendidos com 02 horas de antecedência na bilheteria do Teatro (quarta à sábado)

Valor: R$20,00 e R$10,00 (meia)

Lotação: 50 espectadores

Dinheiro ou cheque

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.