Celso Frateschi protagoniza Processo de Giordano Bruno

Nanda Rovere, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

"Processo de Giordano Bruno" - foto de João Caldas

Dirigido por Rubens Rusche, o espetáculo apresenta a trajetória do filósofo condenado à fogueira pela Inquisição

SÃO PAULO – A peça Processo de Giordano Bruno, do dramaturgo italiano Mário Moretti, apresenta momentos da vida do filósofo italiano que foi vítima da Inquisição, estreia nesta sexta-feira (11)o, às 21h, no SESC Vila Mariana. O personagem é vivido pelo ator Celso Frateschi.  Rubens Rusche é responsável pela direção e tradução do texto.

Processo de Giordano Bruno apresenta os últimos oito anos da vida do filósofo, astrônomo e matemático italiano, Giordano Bruno (1548-1600), o qual criou mais de 20 obras revolucionárias e que foi punido por defender que o universo é infinito e que a Terra girava em torno do Sol.

Para contar a história de Giordano Bruno, o autor Mário Moretti realizou minuciosa pesquisa dos processos dos tribunais da Inquisição de Veneza e Roma, o que dá as cenas um atrativo especial e faz um resgate histórico.

A ação acontece em duas localidades diferentes: Veneza, onde Bruno é interrogado pelos inquisidores venezianos e em Roma, onde Bruno é considerado herege e é condenado à morte por não se retratar de seus pecados.

Perseguido por católicos, calvinistas, luteranos e anglicanos, foi queimado vivo em 17 de fevereiro de 1600, no Campo das Flores.

"Processo de Giordano Bruno" - foto de João Caldas

Para Rubens Rusche, que carrega a vontade de dirigir o texto desde a época da Ditadura, a trajetória de Giordano Bruno representa os anseios pela liberdade e dialoga de forma precisa com os dias atuais.

¨É uma oportunidade de conhecer a história, uma luta contra a intolerância, algo recorrente no mundo contemporâneo¨,  afirma o diretor.

A sua opinião também é compartilhada por Celso Frateschi. Segundo o ator, o seu personagem tem a liberdade como seu trunfo principal, algo que ele construiu para si até mesmo diante da fogueira.

“Bruno passou seus últimos anos sendo torturado, sem ler, nem escrever, sem poder observar a luz do dia, nem o universo infinito que o iluminou e iluminou também as suas ideias”, salienta Frateschi.

A montagem marca a segunda parceria de Frateschi com o diretor Rubens Rusche, os artistas trabalharam juntos no espetáculo O Grande Inquisidor.  O elenco também é formado por André Correa, Angelo Brandini, Dagoberto Feliz, Hermes Baroli e William Amaral.

Frateschi foi convidado para viver o protagonista depois que o diretor o viu atuando em Sonho de Um Homem Ridículo. O ator, vale a pena salientar, fez parte do Teatro de Arena e possui uma trajetória pautada por espetáculos provocativos, que suscitam reflexões sobre o homem e a sociedade. Sonho de Um Homem Ridículo (Fiódor Dostoievski), Ricardo III (William Shakespeare,Horácio (Heiner Muller)e O Grande Inquisidor (Fiódor Dostoievski), estão entre os espetáculos encenados.

O cenário, formado por estrados em forma de cruz, são assinados por Sylvia Moreira, também responsável pelos figurinos. A iluminação é de Wagner Freire.

Equipe técnica:

Texto: Mário Moretti.

Direção e tradução: Rubens Rusche.

Elenco: Celso Frateschi, André Correa, AngeloBrandini, Dagoberto Feliz, Hermes Baroli e William Amaral.

Cenografia e Figurinos: Sylvia Moreira.

Luz: Wagner Freire.

Serviço:

PROCESSO DE GIORDANO BRUNO

Estreia 11 de maio, sexta-feira, às 21 horas, no SESC Vila Mariana.

Duração: 90 minutos.

Temporada: Sextas e Sábados às 21hs e Domingos às 18hs. Até 10 de junho. Capacidade: 608 lugares. Ingressos – R$24,00 inteira. R$12,00 usuário matriculado no SESC e dependentes, +60 anos, professores da rede pública de ensino e estudantes com comprovante. R$6,00 trabalhador no comércio e serviços matriculado no SESC e dependentes.

SESC Vila Mariana- Rua Pelotas, 141. Telefone –11 5080-3000. Informações – 0800 118220 ewww.sescsp.org.br

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*