CHACINA CONTRA REFUGIADOS EM 1924 É TEMA DE PEÇA NO SESC BELENZINHO

Redação do Apaluso Brasil (redacao@aplausobrasil.com)

"A Revolução Esquecida" estreia no Sesc Belenzinha para curtíssima temporada. foto: Arô Ribeiro
“A Revolução Esquecida” estreia no Sesc Belenzinha para curtíssima temporada. foto: Arô Ribeiro

SÃO PAULO – O teatro documentário ganha o palco do Teatro Sesc Belenzinho com a montagem de A Revolução Esquecida, da Cia Ocamorana de Teatro. Em curtíssima temporada, de 10 a 20 de dezembro, de quinta a domingo, o público poderá acompanhar a saga de um grupo de pessoas que está abrigada no extinto Teatro Olympia (antigamente localizado no bairro do Brás), após ter suas casas destruídas. A situação se redimensiona em horror quando se descobre que foi do próprio governo a ordem para a chacina promovida contra o povo ( e principalmente os refugiados).

O fato que ocorreu em 1924 é o pano de fundo do espetáculo A Revolução Esquecida, que mistura ficção e realidade para chamar a atenção sobre a história dos refugiados hoje e ontem no Brasil e em São Paulo. É o relato de uma São Paulo duramente bombardeada por 23 dias e o legado de mais de 5 mil mortos. O bombardeio fez com que cerca de 300 mil pessoas deixassem a cidade.

Com texto e direção de Márcio Boaro e co-direção de Andressa Ferrarezi, o elenco é formado por Manuel Boucinhas, Maria Carolina Dressler, Mônica Raphael, Cristiano Tomiossi e Heitor Goldeflus. A trilha sonora é executada ao vivo pelos músicos Flávio Rubens, Alexandre Moura e Samba Sam.

Como parte do processo, a Cia Ocamorana também realizará a Oficina de Teatro Jornal, nos dias 15 e 16 de dezembro, com Eduardo Campos Lima (jornalista e doutor em Dramaturgia pela FFLCH/USP) e Márcio Boaro. As inscrições vão até 11 de dezembro.

Nos 23 dias que durou a ocupação, o número de mortes passou de 5 mil pessoas e só não foi maior porque cerca de 300 mil pessoas, metade da população, saíram da Capital.

Sobre a Cia Ocamorana de Teatro

A Companhia Ocamorana surgiu da necessidade de retomar experiências vividas por alguns de seus componentes nos antigos grupos Boca de Cena e Cenas de Rua. Em 1998, montam em caráter experimental um texto clássico do teatro de esquerda estadunidense, A Máquina de Somar (The Adding Machine), de Elmer Rice, tradução de Iná Camargo Costa e Márcio Boaro.

Em outubro de 2002, durante o período de ocupação do Teatro de Arena Eugênio Kusnet, iniciam o trabalho com As Aventuras e Desventuras de Maria Malazartes Durante a Construção da Grande Pirâmide, de Chico de Assis, texto de 1966 censurado pela ditadura militar. Após o projeto de ocupação, em final de 2003, aprofundam os estudos sobre o foco narrativo, tendo como um dos resultados a leitura pública de Retábulo de Santa Joana Carolina, de Osman Lins, em 2004.

As pesquisas sobre dramaturgia de resgate histórico levaram o grupo ao Teatro Documentário, e à necessidade de pesquisar mais profundamente esta vertente do Teatro. Com o projeto Rupturas, no início de 2010, foram contemplados pela Lei de Fomento ao Teatro. Em 2011, estreiam a peça Ruptura – Um processo Revolucionário, com temporada no Teatro Coletivo, e convite para a abrir o 31ª Fazer a Festa – Festival Internacional de Teatro (terceiro festival mais antigo de Portugal), em abril de 2012.

Em 2012, contemplados pela 19ª edição do Fomento ao Teatro estreiam o espetáculo Três Movimentos, com temporadas em 2012 e 2013. Em abril de 2014 apresentaram a peça na mostra sobre os 50 anos do Golpe de 1964, no Centro Cultural São Paulo.

Ficha Técnica:

Dramaturgia e Direção: Márcio Boaro. Co-direção: Andressa Ferrarezzi. Colaborador: Eduardo Campos. Elenco: Manuel Boucinhas, Maria Carolina Dressler, Mônica Raphael, Cristiano Tomiossi, Heitor Goldeflus. Direção musical: Cristiano Tomiossi. Criação musical: Flávio Rubens, Alexandre Moura e Samba Sam. Preparação vocal: Érika Coracini.Preparação Corporal: Nei Gomes. Cenografia: Antônio Marciano. Produção: Mônica Raphael e Cristiano Tomiossi.

Para servico:

1924 – A REVOLUÇÃO ESQUECIDA – Estreia dia 10 de dezembro no SESC Belenzinho.

Temporada: De 10 a 20 de dezembro. Quinta a sexta, às 21h30. Domingo, às 18h30.

Sala de Espetáculos I. Capacidade: 110 Lugares.

Duração: 90 minutos. Classificação etária: 14 anos.

Ingressos à venda pelo Portal Sesc SP (www.sescsp.org.br), a partir de 01/12/2015, às 15h30, e nas unidades, a partir de 02/12/2015, às 17h30.

R$ 20,00 (inteira); R$ 10,00 (aposentado, pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e servidor da escola pública com comprovante); R$ 6,00 (trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo credenciado no Sesc e dependentes).

Oficina de Teatro Jornal

O Teatro Jornal é uma forma que une o teatro e o jornalismo. Surgido na Revolução Russa e recriado em diversos países ao longo do século XX, baseia-se na encenação de notícias por meio de técnicas originadas no teatro popular, no circo, no cinema e na arte modernista.

Na Oficina, será abordado um pouco da história do Teatro Jornal no Brasil – quando o Teatro de Arena encenou, em 1970, Teatro Jornal – Primeira Edição – e no mundo. A partir de exercícios práticos e jogos teatrais, o objetivo da oficina é estimular a expressão e criação artística do participante.

Com: Eduardo Campos Lima (jornalista e doutor em Dramaturgia pela FFLCH/USP, autor do livro “Coisas de Jornal no Teatro”) e Márcio Boaro (dramaturgo e diretor da Cia. Ocamorana).

Público: Estudantes de teatro, atores, diretores e interessados na pesquisa da Cia. Ocamorana.

Inscrições até 11 de dezembro, por meio de envio de envio de currículo resumido para: teatrojornal@belenzinho.sescsp.org.br. Os candidatos selecionados serão avisados por e-mail até 13 de dezembro. Vagas: 30 / Carga horária: 6h.  Sala de Espetáculos I. Grátis. Não recomendado para menores de 16. 15 a 16/12. Terça e quarta, das 15h às 18h.

SESC BELENZINHO – Rua Padre Adelino, 1000 Belenzinho – São Paulo (SP Telefone: (11) 2076-9700 www.sescsp.org.br/belenzinho

Estacionamento Para espetáculos com venda de ingressos: R$ 11,00 (não matriculado); R$ 5,50 (matriculado no SESC – trabalhador no comércio de bens, serviços e turismo/ usuário).