Cia. de dança studio3 e Marilena Ansaldi dançam Paixão e Fúria – Callas, O Mito

Redação do Aplauso Brasil (redacao@aplausobrasil.com.br

SÃO PAULO – Depois de se apresentar, em junho deste ano, em Paris e Milão, chega ao Teatro Alfa sábado (13) e domingo (14), o espetáculo Paixão e Fúria – Callas, o Mito, com a Studio3 Cia. de Dança e a bailarina Vera Lafer. Desta vez os 20 bailarinos que compõem o elenco fixo da companhia, encabeçada por Vera Lafer, trazem uma convidada especialíssima: Marilena Ansaldi.

Anselmo Zolla (coreógrafo) e José Possi Neto (roteirista e diretor) mais uma vez unem seus talentos para uma nova criação dirigida à Studio3 Cia de Dança, a exemplo dos espetáculos Martha Graham Memórias, Samba Suor Brasileiro e Teu Corpo É Meu Texto, todos frutos dessa parceria que conferiu a essa companhia uma identidade única. 

Marilena Ansaldi tem uma trajetória única no cenário da dança no Brasil. Grande bailarina clássica, nos anos 50 foi solista do Theatro Municipal de São Paulo, nos anos 60 transferiu-se para a Rússia, nos tempos da Cortina de Ferro, integrando o elenco do Balé Bolshoi, em que foi solista.

De volta ao Brasil ainda nos anos 60, reassumiu seu lugar no Theatro Municipal de São Paulo. Surpreendeu então a classe artística paulista abandonando o balé clássico. Revolucionando seu processo pessoal, tornou-se atriz, uma atriz-bailarina que foi a pioneira da dança-teatro no Brasil com espetáculos ícones como ‘Isso ou Aquilo’, ‘Escuta Zé Ninguém’, ‘Um Sopro de Vida’, ‘Clitmnestra’ e tantos outros.

Junto ao então secretário de cultura do Estado de São Paulo, Sábato Magaldi, criou nos anos 1970 no Teatro Ruth Escobar, na sala Teatro Galpão, um centro de pesquisa e desenvolvimento de experimentos de Dança que propiciou a jovens talentos, hoje nomes consagrados da nossa dança, suas primeiras oportunidades.

O elenco do Studio3 enfrenta desta vez o desafio de encarnar a PAIXÃO e a FÚRIA, esses dois sentimentos que se tornaram a identidade dessa artista maior do século XX, e, sem dúvida, a maior cantora de ópera em todos os tempos: Maria Callas – La Divina, La Tigresse, L’immortelle, L’Éternelle, A Rainha do La Scala.

Maria Callas pode ser considerada, ao lado de Rudolf Nureyev, a maior celebridade do mundo artístico do século XX. Ambos não são crias do cinema ou da TV, veículos de comunicação de massa e facilmente fabricantes de mitos e celebridades. Eles vêm do mundo erudito, da ópera e do balé clássico e, com seus talentos descomunais e suas personalidades de exceção, inscreveram seus nomes e imagens no topo da pirâmide das celebridades cultuadas pela mídia.

O mundo da ópera se divide em antes e depois de Callas. Ela recuperou para a ópera o verdadeiro sentido do drama. E foi a maior de todas as intérpretes trágicas.

Filha de pais gregos, nascida em Nova York, ainda pré-adolescente a soprano voltou à Grécia com a mãe e a irmã mais velha e foi lá que desenvolveu seus estudos de canto lírico e onde reconheceu e incorporou suas raízes gregas. Embora tenha começado sua carreira em Atenas, seu verdadeiro ‘début’ para o mundo da ópera se deu em Verona, na Itália. A consagração veio pouco depois ao ser contratada para o elenco principal do La Scala de Milão.

A vida da cantora não foi menos dramática, nem glamourosa, do que as personagens que interpretou. Sua capacidade de se reinventar cenicamente e na vida privada, sua paixão pela música e pelo palco, e seu caso de amor com o armador grego Aristóteles Onassis são tema de inúmeras peças de teatro, biografias, filmes e documentários.

A Studio3 revisita esse mito para investigar o sentido sagrado da celebração teatral, essa busca incessante do artista a desafiar os deuses e procurar entender seu verdadeiro ‘papel’.

FICHA TÉCNICA

Direção: José Possi Neto

Criação coreográfica: Anselmo Zolla

Roteiro: José Possi Neto

Argumento: Michel Archimbaud

Direção musical: Felipe Venâncio

Cenário: Renata Pati, Brito Antunes e José Possi Neto

Desenho de Luz: José Possi Neto / Anselmo Zolla / Joyce Drummond

Figurinos: Fabio Namatame

Relações Públicas/ Convidados: Liège Monteiro e Luiz Fernando Coutinho

Assessoria de imprensa: Liège Monteiro e Luiz Fernando Coutinho

Serviço

Local: Teatro Alfa

Endereço: Rua Bento Branco de Andrade Filho, nº 722, Santo Amaro, São Paulo, SP

Telefone do teatro: (11) 5693-4000

Horário de atendimento: de segunda a sábado das 11h às 19h e domingos das 11h às 17h. Em dias de espetáculos até o início dos mesmos. (vendas antecipadas)

Dias e horários: Sábado, 13 de setembro, às 21h

Domingo, 14, às 18h

Ingressos: R$ 60 – plateia

R$ 40 – balcão

Cartões de crédito: Amex, Visa, Credicard e MasterCard

Cartões de débito: Visa Electron e Redeshop

Compras pela internet: ingressorapido.com.br

Acessibilidade para pessoas com necessidades especiais

Classificação etária: livre

Duração: 1h20m – sem intervalo

Temporada: 13 e 14 de setembro – 2 únicas apresentações

Capacidade de público por sessão: 1110 pessoas

 

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado