CIA. LIVRE CELEBRA 15 ANOS COM NOVO ESPETÁCULO

Redação do Aplauso Brasil (redacao@aplausobrasil.com)

MARIA QUE VIROU JONAS OU A FORÇA DS IMAGINAÇÃO
MARIA QUE VIROU JONAS OU A FORÇA DS IMAGINAÇÃO

SÃO PAULO – Inspirado em Montaigne, Maria que Virou Jonas ou a Força da Imaginação traz textos da dramaturgia universal sobre transgêneros. O texto é assinado por Cássio Pires e foi escrito sob encomenda. A peça, encenada pela Cia Livre, estreia no SESC Belenzinho, quinta, 19, às 19h30. A dramaturgia é de Cássio Pires e a direção de Cibele Forjaz. No palco, estão os atores-criadores: Edgar Castro e Lúcia Romano.

Maria que Virou Jonas ou a Força da Imaginação, que marca os 15 anos da Cia Livre, é o resultado de pesquisas realizadas durante um ano e coloca em cena uma trama que faz parte da história clássica sobre mudança de sexo citada por Montaigne no ensaio XXI Da Força da Imaginação.

O foco do ensaio está na trajetória de Marie, na França do século XVI, que muda de sexo, vira Germain e é aceito socialmente como homem.

MARIA QUE VIROU JONAS OU A FORÇA DS IMAGINAÇÃO
MARIA QUE VIROU JONAS OU A FORÇA DS IMAGINAÇÃO

Germain vai servir na corte do rei Carlos IX como servente e conhece o cirurgião Ambroise Paré, que se admirou com seu corpo benfeito, a barba vermelha e cerrada e sua história pregressa, e a narrou para a posteridade.

O historiador e sexólogo Thomas Laqueur (1945) reconta essa fábula no livro Inventando o Sexo, no qual discute que o que entendemos como sexo, as chamadas verdades biológicas, são construções da cultura.

A trama parte desse relato supostamente real para questionar a especificidade histórica das crenças e leis e questionar os limites entre representação, fantasia, teatralidade, aparência e verdade.

No palco, há um jogo de metateatro: os atores Lúcia Romano e Edgar Castro vivem, respectivamente, Neo Maria e Jonas Couto, personagens que estão montando a peça A Força da Imaginação e questionam o que se entende por identidade.

É o público quem escolhe qual o papel que os atores da peça vão viver a cada sessão. (Ele ou Ela). “A peça de Cássio Pires apresenta um jogo de transformação muito claro, mesmo abordando o problema complexo das identidades. Ao lado dela e dialogando com a narrativa, criamos cenas de camarim que levantam questões contemporâneas sobre a experiência de homens e mulheres em torno do gênero e sexo”, explica Edgar Castro.

Lúcia Romano destaca que para a Cia Livre não existe alinhamento entre gênero, identidade, opção sexual e comportamento sexual. ¨Esse alinhamento não deveria ser tomado como natural¨, diz a atriz.

A diretora Cibele Forjaz completa: “Eu posso ser uma mulher que escolhe ser ou viver como homem e que namora uma mulher. Ou um homem. E essa é uma mudança social e cultural que precisa ser tratada pelo teatro, onde a questão da representação é central”.

 

Sobre o processo de pesquisa

Como suporte para a criação do espetáculo Maria que Virou Jonas ou A Força da Imaginação, a Cia. Livre leu textos da história do teatro que tratam de travestismos e de personagens que trocam de sexo; conversou com dramaturgos contemporâneos que trouxeram propostas de enredos e roteiros, além de mergulhar em extensa pesquisa de campo e de fontes publicadas na internet, tais como os selfies de mudança de sexo, relatos e registros cirúrgicos que passaram a povoar o imaginário do grupo. Também foram fundamentais as leituras de Beatriz Preciado, Judith Butler, Jorge Leite Jr., Luciana Villas Boas, Patricia Porchat, Antonio da Costa Ciampa, Ronaldo Pamplona da Costa, Thamy Claude Ayouch e Maria Filomena Gregori, entre outros pensadores que refletem sobre o movimento queer, hierarquias de gênero e políticas de identidade.

 

Ficha Técnica

Dramaturgia: Cássio Pires

Direção: Cibele Forjaz

Atores-criadores: Edgar Castro e Lúcia Romano

Direção de Movimento: Lu Favoreto

Cenografia: Márcio Medina

Figurinos: Fabio Namatame

Luz: Cibele Forjaz e Rafael Souza Lopes

Direção Musical: Lincoln Antonio

Sonoplastia: Pepê Mata Machado

Treinamento Vocal para Canto: Ná Ozzetti

Produção: Cia. Livre e Centro de Empreendimentos Artísticos Barca

 

Serviço

Maria que Virou Jonas ou a Força da imaginação

19/02 a 15/03. Quintas, sextas e sábados, às 19h30. Domingos, às 17h

Sala de Espetáculos I. (80 lugares – acesso para pessoas com deficiência)

Duração: 1h45.

Não recomendado para menores de 16 anos.

Ingressos à venda pelo Portal Sesc SP (www.sescsp.org.br), a partir de 10/02/2014, às 15h30, e nas unidades, a partir de 11/02/2014, às 17h30

R$ 25,00 (inteira); R$ 12,50 (aposentado, pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e servidor da escola pública com comprovante); R$ 7,50 (trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo credenciado no Sesc e dependentes [Credencial Plena]).

 

Sesc Belenzinho

Endereço: Rua Padre Adelino, 1000

Belenzinho – São Paulo (SP)

Telefone: (11) 2076-9700

www.sescsp.org.br/belenzinho

Estacionamento

Para espetáculos com venda de ingressos:

R$ 6,00 (não matriculado);

R$ 3,00 (matriculado no Sesc – trabalhador no comércio de bens, serviços e turismo/ usuário).