Cia Mundu Rodá comemora 20 anos com trajetória que reverencia tradição cultural brasileira

 

EM REDE – Comemorar 20 anos de trabalho de pesquisa continuada em teatro não é uma tarefa fácil, ainda mais com tantos problemas enfrentados pela área cultural. Fundada por Juliana Pardo e Alício Amaral, a Cia Mundu Rodá estabelece desde o ano 2000 uma ligação intensa com o estado de Pernambuco em uma troca constante com brincadores e mestres de Cavalo Marinho e Maracatu Rural. Há duas décadas se dedica à produção da cena contemporânea em diálogo com as formas e conteúdos das tradições cênicas brasileiras. 

O projeto 20 anos Mundu Rodá apresenta durante o mês de junho as peças Donzela Guerreira e Memórias da Rabeca. Cada uma delas contará com três apresentações e um debate com convidados será realizado após. Onlines e gratuitas, as transmissões serão feitas pela página do facebook e pelo canal do youtube do grupo e retransmitidas pela Oficina Cultural Oswald de Andrade também no facebook e youtube. Além dos espetáculos a Cia ministra, também online, as oficinas: Treinamento de artista-intérprete a partir das danças tradicionais brasileiras e Cantos tradicionais brasileiros – Corpo/Voz/Ritual. As inscrições são gratuitas, mas as vagas são limitadas.

Entre os convidados estão o ator e diretor Jesser de Souza, do Lume Teatro de Campinas-SP, a professora Suzi Frankl Sperber, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), o mestre Inácio Lucindo, do Cavalo Marinho Estrela do Oriente, de Camutanga-PE, o mestre rabequeiro e luthier Zé de Nininha, de Ferreiros – PE, o músico e professor Luiz Fiaminghi, da Universidade Estadual de Santa Catarina, UDESC, em Florianópolis e o mestre rabequeiro Zé Pereira, de Ariri -SP.

Uma das expressões populares mais importantes do país, reconhecida desde 2014 pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN como patrimônio cultural do Brasil, o Cavalo Marinho é uma manifestação cultural brincada na região da Zona da Mata Norte de Pernambuco e na Paraíba, onde predomina a cultura açucareira. Tradicionalmente é celebrada no ciclo natalino e no dia de Santos Reis. Em sua estrutura, a dança, a música e as figuras mascaradas constroem suas narrativas e ecoam histórias e memórias desta região canavieira.

A expressão cultural é apresentada sob a perspectiva histórica dos povos escravizados. “É uma manifestação de resistência, em todos os sentidos – históricos e físicos, de denúncia sobre o trabalho escravo nos canaviais que de certa forma perdura até os dias de hoje na Mata Norte – sobre os seus opressores, e também de libertação através da comicidade”, relata o ator, músico e dançarino Alício Amaral.

O projeto 20 anos Mundu Rodá tem apoio da Oficina Cultural Oswald de Andrade e conta com recursos da Lei de Incentivo à Cultura com patrocínio do Grupo Boticário. É uma realização da Cia Mundu Rodá, da Secretaria Especial de Cultura e do Ministério do Turismo – Governo Federal.

Todas as apresentações são gratuitas e online. As transmissões, com tradução em libras,  serão feitas pela página da Cia Mundu Rodá no Facebook (www.fb.com/munduroda) e no canal do Youtube (www.youtube.com/munduroda). Serão retransmitidas pela Oficina Cultural Oswald de Andrade também no facebook e youtube.

Serviço
20 anos Mundu Rodá

Oficina Treinamento de artista-intérprete a partir das danças tradicionais brasileiras
Quando: De 7 a 9 de junho (segunda, terça e quarta) das 19h às 22h
Inscrições online: De 15 de maio a 2 de junho Onde: http://bit.ly/dancastradicionais  30 vagas

Espetáculo Donzela Guerreira
Quando: 10, 11 e 12 de junho (quinta, sexta e sábado) às 20h Seguido de bate-papo com convidados Duração: 60 minutos Classificação etária: 12 anos

Oficina Cantos tradicionais brasileiros – Corpo/Voz/Ritual
Quando: De 14 a 16 de junho (segunda, terça e quarta) das 19h às 22h
Inscrições online: De 15 de maio a 8 de junho Onde: http://bit.ly/cantostradicionais  30 vagas

Espetáculo Memórias da Rabeca
Quando: 17, 18 e 19 de junho (quinta, sexta e sábado) às 20h Seguido de bate-papo com convidados Duração: 75 minutos Classificação etária: Livre

Todas as apresentações são gratuitas e online. As transmissões, com tradução em libras, serão feitas pela página da Cia Mundu Rodá no Facebook (www.fb.com/munduroda) e no canal do Youtube (www.youtube.com/munduroda). Serão retransmitidas pela Oficina Cultural Oswald de Andrade também no facebook e youtube.

Mais informações: www.munduroda.com

Kyra Piscitelli

Kyra Piscitelli é jornalista formada pela Universidade Metodista de São Paulo e fez pós-graduação em Globalização e Cultura pela Faculdade de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP). Escreve sobre teatro e arte desde de 2009. Integra os Juris da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) e do Prêmio Aplauso Brasil. Ávida por conhecimento, se não está em viagem ou estudo, só há um lugar para achá-la: o teatro!