COM DIREÇÃO DE ISABEL TEIXEIRA, RENATO BORGHI E ELCIO NOGUEIRA SEIXAS ESTREIAM “FIM DE JOGO”

Fernando Pivotto, para o Aplauso Brasil (fernando@aplausobrasil.com)

Fim de JogoSÃO PAULO – A montagem do texto de Samuel Beckett, Fim de Jogo, cumpre temporada entre 14 de janeiro e 28 de fevereiro e transforma o apartamento de Borghi em área cênica.

Celebrando 20 anos de atividades ininterruptas, o Teatro Promíscuo se lança numa nova empreitada em 2016. Com direção de Isabel Teixeira e elenco composto por Elcio Nogueira Seixas e Renato Borghi, os fundadores da companhia, estreiam com apoio do Itaú Cultural.

O texto, escrito por Beckett entre 1955 e 1957, acompanha a história de quatro indivíduos isolados num abrigo, protegidos de um apocalipse sem data ou motivos definidos. São eles o velho cego e paralítico Hamm (Borghi), Clov (Seixas), que tem uma estranha enfermidade que o impede de sentar-se, e os mutilados Nagg (Adriano Borghi) e Nell (Maria de Castro Borghi). Neste microcosmo, estabelece-se um jogo de poder entre Hamm, que dá as ordens, e Clov, que cuida das questões de ordem prática. A peça começa quando este jogo se aproxima do fim.

Segundo a diretora, as bases para a investigação do espetáculo foram sedimentadas em 1999, num ciclo de workshops Beckett – O Começo Está no Fim, ministrados pelo Teatro Promíscuo.

“Tematicamente, o projeto “Fim de Jogo – Hamm/Home Theatre 2016” segue a trilha iniciada em 1999 e propõe a exploração do que é rejeitado; que não funciona; não se encaixa; não produz; não vende; enfim, de tudo que é varrido da civilização para o terreno do invisível. Longe de serem abstratas ou desinteressantes, as “inutilidades” são o maior produto que a sociedade de consumo pode gerar e constituem um objeto de estudo mais que evidente”, afirma Isabel Teixeira.

O projeto conta com algumas especificações, como a escalação dos já falecidos pais de Renato Borghi para os papeis de Nagg e Nell, e a transformação do apartamento do ator em área cênica. Reunida desde março de 2015, a equipe criativa constrói um espetáculo que dialogue com o espaço, aproximando-se assim proximidades com a performance ao mesmo tempo em que encontra novos significados no texto. A cenografia, por exemplo, aproveita objetos pessoais e utiliza fotografias, decorações e móveis da casa do ator para compor o espaço.

“A ideia de transformar a residência em refúgio teatral não deixa de ser um manifesto em tempos de escassez, incerteza e pessimismo. Porém, um manifesto repleto de humor negro. Como diz a personagem Nell, a certa altura do texto: “Não há nada mais engraçado que a infelicidade”, acrescenta Elcio Nogueira Seixas.

FIM DE JOGO
De 14 de janeiro a 28 de fevereiro. Quinta a domingo, 20h.
Inscrições e encaminhamento para o local a partir das 19h, no Itaú Cultural – Avenida Paulista, 149.

Ficha Técnica

Autor: Samuel Beckett

Tradução: Fábio Rigatto de Souza Andrade

Direção: Isabel Teixeira

Diretor Assistente e “O Ponto”: Lucas Brandão

Elenco: Renato Borghi, Elcio Nogueira Seixas, Maria de Castro Borghi e Adriano Borghi (Nagg)