Crítica: Da Vinci e Maquiavel revolucionaram o mundo desde o Renascimento

Maria Lúcia Candeias, para o Aplauso Brasil (redacao@aplausobrasil.com.br)

O ator Tadeu di Pyetro interpreta o solo "Da Vinci, Maquiavel e Eu"
O ator Tadeu di Pyetro interpreta o solo “Da Vinci, Maquiavel e Eu”

SÃO PAULO – Da Vinci revê entre outras antigas crenças as formas e ideias sobre o corpo humano e as expõe verbalmente, mas mais ainda, através de suas pinturas. Ele (Tadeu di Pietro) encontra Maquiavel (Tadeu de Pietro, também) que o público diferencia devido aos ótimos figurinos que foram criados pelo diretor Elias Andreato que assina ainda a cenografia e a iluminação, mostrando competência em todas essas atividades, que colaboram para o ótimo espetáculo Da Vinci, Maquiavel e Eu, em cartaz no MuBE.

Maquiavel é o principal protagonista, expondo com clareza suas ideias de que o homem é uma criatura que se move segundo seus próprios interesses e não por forças externas místicas ou não. Quem nunca se deteve na leitura de O Príncipe, levando em conta a revolução que foi e são suas ideias, precisa correr para ver. Vale muito a pena.

O ator Tadeu di Pyetro interpreta o solo "Da Vinci, Maquiavel e Eu"
O ator Tadeu di Pyetro interpreta o solo “Da Vinci, Maquiavel e Eu”

O texto elaborado por Miguel Filiage e o próprio ator teve supervisão de Chico de Assis e é sucinto, assim como claro. Até didático – sem esquecer que não se trata de uma aula – como convém a peças teatrais. Especialmente indicado ao público jovem, a meu ver.

Além dessas qualidades, o espetáculo se passa no MUBE Museu Brasileiro da Escultura que divide um terreno na avenida Cidade Jardim esquina de rua Alemanha, Jardim Europa, com o Mis, Museu da Imagem e do Som. Locais extremamente agradáveis de se visitar, ambos atualmente exibindo várias peças.

Se você se interessou pelo tema Leonardo Da Vinci e Nicolau Maquiavel, não deve perder, pois é um assunto que continua atualíssimo, com ótima atuação de Tadeu di Pyetro e excelente direção de Elias Andreato.

Da Vinci, Maquiavel e Eu. Texto: Miguel Filliage e Tadeu Di Pyetro. Dramaturgia: Chico de Assis. Direção: Elias Andreato. Assistente de direção: André Acioli. Pesquisa histórica: Rosi Campos. El.enco: Tadeu Di Pyetro.  Trilha sonora original: Jonatan Harold. Concepção cenográfica e iluminação: Elias Andreato. Fotografia: João Caldas. Produção executiva: Aline Damásio. Realização: Pyra Produções Artísticas e Brancalyone Produções Artísticas.
Serviço:
Teatro MuBE Nova Cultural (192 lugares), Rua Alemanha, 221, Jd Europa, Tel: 2386-8194. Horários: sábados às 18h30 e domingos às 20h. Ingressos: R$ 30,00 e R$15,00. Bilheteria: terça a quinta das 14h às 18h, sexta a domingo das 14h até início do espetáculo. Aceita dinheiro e cartões de débito e crédito. Vendas online – www.compreingressos.com. Duração: 60 minutos. Classificação: 12 anos. Temporada: até 21 de julho. 

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*