Crítica: Dan Stulbach dirige montagem impecável

Maria Lúcia Candeias, doutora em teatro pela USP e Livre Docente pela UNICAMP – (redacao@aplausobrasil.com)

SÃO PAULO – A Toca do Coelho coloca em nossos palcos um texto premiado do americano David Lindsay Abaire, que já fez sucesso em seu país e virou o filme Reencontrando a Felicidade. O que mais me impressionou foi a direção assinada por Dan Stulbach, a primeira em seu currículo. Consagrado como ator em Novas Diretrizes em Tempo de Paz, de Bosco Brasil, laureado n

"Toca do Coelho". Foto: divulgação
“Toca do Coelho”. Foto: divulgação

a edição paulistana do Prêmio Shell de Teatro e pela APCA em 2002, Dan é popularmente conhecido por seu trabalho nas telenovelas por atuações em cinema e por sua competente direção artística do excelente Teatro Eva Hertz, no Conjunto Nacional ,e, agora, revela-se impecável diretor.

O texto se dedica a uma família em que o casal está tentando combinar uma nova união depois de ter se separado por razões dificilmente superáveis.

Dos assistentes de direção, Andre Acioli e Otávio Dantas; à acertada escolha do elenco, cenógrafo (Andre Cortez), há coerência incrível entre os quesitos técnicos.

O elenco – Maria Fernanda Cândido, Reynaldo Gianecchini e Selma Egrei – é super experiente e está formando um conjunto super engrenado. Simone Zucato acompanha o grupo no palco e assina a tradução que Alessandra Pinho adaptou. O jovem, Felipe Hintze, aparece pouco, mas agrada muito.

"Toca do Coelho". Foto: divulgação
“Toca do Coelho”. Foto: divulgação

Soma-se à excelência de A Toca do Coelho os figurinos de Adriana Hitomi e a iluminação de Marisa Bentivegna. Entre os truques que mais agradam e chamam a atenção são as trocas de luz que são feitas pelos atores como se acendessem e apagassem cada sala. Não me lembro de ter assistido esse recurso antes.

Não deixe de ver, está em cartaz nos fins de semana na FAAP.

Ficha Técnica:

Autor: David Lindsay Abaire

Tradução Brasileira: Simone Zucato

Adaptação: Alessandra Pinho

Direção Geral: Dan Stulbach

Elenco: Maria Fernanda Cândido, Reynaldo Gianecchini, Selma Egrei, Simone Zucato, e Felipe Hintze

Cenários: André Cortez

Iluminação: Marisa Bentivegna

Figurinos: Adriana Hitomi

Trilha sonora: Daniel Maia

Design Gráfico: Alessandro Romio

Assistentes de Direção: André Acioli e Otavio Dantas

Produção: Elis Braga e Blota Filho 

Direção de Produção: Valdir Archanjo e Bira Saide

Produtores Associados: Simone Zucato, Valdir Archanjo e Bira Saide

Realização: Asa Produções Culturais, SPZ Produções Culturais e Nero Produções Culturais

 

Serviço:

A Toca do Coelho

Teatro FAAP(500 lugares)

Rua Alagoas, 903 – Higienópolis.

Informações e Vendas: 3662.7233 e 3662.7234.

Bilheteria: de quarta à sábado, das 14h às 20h. Domingo das 14h às 17h.

Aceita cartão de débito e crédito: Visa, Máster ou Dinners. Não aceita cheque.

Estacionamento gratuito, com vagas limitadas. Acesso para deficiente. Ar-condicionado.

Sextas às 21h30 | Sábados às 21h | Domingos às 18h

Ingressos: Sextas e Domingos R$ 80 | Sábados R$ 100

Duração: 110 minutos

Recomendação: 12 anos

Temporada: até 15 de dezembro

 

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*