Crítica: Débora Falabella e Yara Novaes em interpretações eletrizantes

Michel Fernandes*, do Aplauso Brasil (Michel@aplausobrasil.com)

"Contrações"
“Contrações”

CURITIBA – Um jogo em que o lado do capital – em Contrações, de Mike Bartlett, expresso na figura de uma Gerente de Recursos Humanos (Yara Novaes) que zela pela total execução da política da empresa -, sempre tem os argumentos para sustentar sua supremacia em relação a seu subalterno – Ema (Débora Falabella) -, ganha na montagem dirigida por Grace Passô, interpretações eletrizantes, em que as emoções são tão bem dispostas e controladas que acabam por integrar o espectador na ação.

O que parece ser explicado, enquanto forma espetacular como filiado à chave naturalista, pelo menos à primeira vista, revela-se um poderoso e nauseante jogo entre o poder controlador – como o Big Brother (não confundir com o lixo global), de George Orwell – de uma empresa sobre a vida de seus funcionários ,em que o humano é descartado em favor do triunfo do capital.

"Contrações"
“Contrações”

Os interesses da manutenção da eficiente produtividade dos funcionários, segundo cláusulas contratuais rigorosas e absurdas, justificam atitudes improváveis da empresa.

O que potencializa o efeito da montagem é a simplicidade, a contenção e controle com que a direção e as intérpretes vivenciam situações de alta voltagem emocional. Assim, é o público que sente as humilhações abusivas do poder, que é o mesmo em  que está inserido, e é ele quem poderá dar um basta nisso.

Enfim, Contrações, é essencial e primoroso.

SAIBA MAIS EM http://festivaldecuritiba.com.br/

*Michel Fernandes viajou a convite do Festival de Teatro de Curitiba

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*