Crítica: Diva absoluta, Bibi Ferreira volta a apresentar espetáculo vencedor do 1º Prêmio Aplauso Brasil de Teatro

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

SÃO PAULO – Em 2012, para celebrar 90 anos de vida, a diva absoluta Bibi Ferreira deu de presente a seu público o belíssimo espetáculo Bibi – Histórias e Canções, vencedor da categoria Destaque na 1ª edição do Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. De lá pra cá, a atriz, cantora, diretora, enfim, uma das artistas mais completas de nosso país, levou o espetáculo para Nova York, Lisboa, Salvador e Vitória, além do Rio de Janeiro, onde estreou. Agora retorna à capital paulista nesta sexta-feira (30), 21, no Teatro Frei Caneca.

Acompanhada por uma orquestra formada por 20 músicos, sob regência de Flávio Mendes, a diva relembra de sua vida e seu interesse, desde tenra idade, – quando cantarolava as óperas que o pai, o ator Procópio Ferreira, costumava ouvir – pela música, suas incursões por musicais norte-americanos – Minha Querida Dama (My Fair Lady), Hello Dolly! e O Homem de La Mancha –; sua antológica performance em Gota D’ Água, em 1975, de Paulo Pontes e Chico Buarque; os  tangos, herança da mãe, a bailarina argentina Aída Izquierdo; as vidas de célebres cantora, cantadas e contadas por ela, como Edith Piaf – espetáculo que permaneceu por seis anos em cartaz e, ano passado, fez turnê comemorativa de 30 anos de sua estreia (1983) – e a fadista portuguesa, Amália  Rodrigues e suas incursões por diferentes camadas da música popular brasileira.

Com muitas e interessantes histórias para contar, Bibi acrescenta a cada uma delas canções que, além de ilustrar os fatos, são partes fundamentais de sua vida e carreira. E, entrelaçadas a essas histórias e canções, o espaço para o mais requintado humor está garantido. Ótimo exemplo disso é quando ela enxerta as letras de sambas populares nas melodias de árias de ópera, já que, conforme explica, para memorizar tais melodias, quando, menina ainda, ouvia com seu pai, usava tal método para não se esquecer das mesmas.

A elegância suntuosa de Bibi – Histórias e Canções chega às vésperas de Bibi Ferreira completar 92 anos de idade – segundo a mãe, ela nasceu dia 1º de junho; já o pai afirmava que ela veio ao mundo dia 04 e, por fim, a certidão diz dia 10 – e, antes de completar um mês de vida, em junho de 1922, entrou em cena pela primeira vez – para substituir uma boneca na peça que Procópio apresentava – e torcemos para que dele não se afaste.

Quem já assistiu ao espetáculo sabe que o vigor e a paixão que vem de sua voz justificam o sucesso de Bibi – Histórias e Canções.

Ficha Técnica:

Direção: João Falcão

Criação do espetáculo, Redação de texto e Seleção do roteiro: Bibi Ferreira, Flávio Mendes e Nilson Raman

Direção Musical, Regência e Violão:  Flávio Mendes

Criação luz: Paulo César Medeiros

Fotos: Stúdio Prime

Produção Executiva:  Cleusa Amaral

Realização: Montenegro e Raman

 

Serviço:

Bibi – Histórias e canções

Teatro Frei Caneca (600 lugares)

Rua Frei Caneca, 569 – 7º Andar.

Informações: (11) 3472-2229 e 3472-2230

Grupos: (11) 3472-2226 / www.teatrofreicaneca.com.br

Bilheteria: de terça à domingo, das 13h até o início do espetáculo. Nos dias em que não houver espetáculo, a bilheteria funciona até às 19h.

Vendas: (11) 4003.1212 / www.ingressorapido.com.br

Sextas e Sábados às 21h | Domingo às 19h

 

Ingressos:

Sextas e Domingos: R$ 140 (setor A) e R$ 120 (setor B)

Sábados: R$ 160 (setor A) e R$ 140 (setor B)

Duração: 80 minutos.

Recomendação: 14 anos

Reestreia dia 30 de Maio

Temporada: até 27 de Julho

 

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado