Critica: Garanta sua gargalhada a preços populares

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (Michel@aplausobrasil.com)

ATREVA-SE
ATREVA-SE

SÃO PAULO – Depois do incontestável sucesso da temporada 2012 e uma jornada de dois anos de turnê, a comédia Atreva-se, escrita por Maurício Guilherme e dirigida por Jô Soares, volta a capital paulista nesta sexta-feira (1º), no Teatro Sérgio Cardoso para uma curtíssima temporada – quatro semanas – a preços populares (R$ 10). Com público suoerior a cem mil espectadores e vencedor da primeira edição do Prêmio Aplauso Brasil de Teatro – Melhor Produção Independente, a elegância das mansões soturnas, lares de seres ambíguos e cercados por mistérios, sai das telas de cinema, sobretudo dos filmes noir que fizeram história na década de 1940, e ganham contornos farsescos neste hilário espetáculo.

ATREVA-SE
ATREVA-SE

Uma música cheia de pompa, feito aquelas que, no cinema, anunciam que a película vai começar, é a deixa para que a personagem de Mariana Santos, uma espécie de lanterninha que conduz a história, com seus flashbacks que darão o sentido final da trama, conquiste a cumplicidade da plateia.

Mariana conduz com segurança, agilidade de raciocínio, carisma e talento insuspeitos que demonstram que a comédia, pelo menos a de maior gabarito, é alicerçada pelo saudável exercício da razão. E os elementos que mesclam a espinha dorsal desta ficção de Maurício Guilherme mixados  aos fatos cotidianos e a interação da atriz com a plateia exigem a participação ativa do espectador que, certamente, diverte-se bastante.

Os excelentes atores-comediantes Marcos Veras, Júlia Rabello e Carol Martini completam o elenco de Atreva-se, dando vida aos personagens que percorrem os diferentes períodos da trama. Será que tais personagens tem, entre si, alguma ligação? Será que as historias das pessoas que viveram na mansão tem conexão? Será que os vivos e os mortos realmente são o que são? Essas perguntas deixo a você, leitor que tiver o privilegio de assistir a este espetáculo, o sabor de descobrir as respostas.

ATREVA-SE
ATREVA-SE

Só adianto que Jô Soares conduziu cada concepção de personagem com minúcias que salientam a comicidade do texto. Os tipos criados pelos atores que vivenciam a história do “filme” apresentado, recebem cuidados esmerados na concepção física, gestual e prosódica.

O cenário de Chris Aizner, figurinos de Fábio Namatame, a luz de Maneco Quinderé a direção musical de Eduardo Queiroz, fotografia de Priscila Prade e a direção de arte de Natasha Precioso – seguindo nuances de preto e branco como se fosse um filme noir –  dão o toque refinado e de muito bom gosto da produção assinada por Rodrigo Velloni.

ATREVA-SE
ATREVA-SE

Texto: Mauricio Guilherme

Direção: Jô Soares

Produção: Rodrigo Velloni

Elenco:

Marcos Veras

Júlia Rabello

Mariana Santos

Beatriz Morelli

Iluminação: Maneco Quinderé

Cenografia: Chris Aizner

Figurinos: Fábio Namatame

Direção Musical: Eduardo Queiroz

Fotografia: Priscila Prade

Colaboração de Texto: Luciana Sendyk

Locução em Off: Guilherme Sant’Anna

Produção Executiva: Giovani Tozi e Adriana Souza

Assistente de Produção: Daise Sena e Paula Fogagnolli

Administração Financeira: Vanessa Velloni

Assessoria Contábil: Service Keep Assessoria e Consultoria Contábil

Assessoria Jurídica: Martha Macruz de Sá

Realização: Velloni Produções Artísticas

 

Patrocínio: Atlas Schindler

 

Governo do Estado de São Paulo

Secretaria da Cultura

ProacSP

 

ATREVA-SE

Teatro Sérgio Cardoso

Rua Rui Barbosa, 153. Bela Vista

Bilheteria: 3288.0136

De segunda a sábado, das 14h às 17h, para vendas antecipadas. De segunda a domingo, das 14h até o início do espetáculo. Aceita todos os cartões.
Vendas:  
www.ingressorapido.com e 4003.1212

Sexta às 21h30 | Sábado às 21h | Domingo às 18h

 

Temporada Popular:

 

Sexta R$ 20 | Sábado e Domingo R$ 40

 

Duração: 75 minutos

Recomendação: 14 anos

 

Curta Temporada: de 1º até 24 de agosto

 

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*