Crítica infantil: “História do Brasil: Ame-o ou deixe-o.

SÃO PAULO – Sempre a guerra nos é contada pelo olhar dos vencedores. No caso da História do Brasil e na América Latina, em geral, também foi contada pelos vencedores. Revisionismos históricos surgem nas sociedades para questionar, refletir ou ver que os heróis não foram tão heróis e os malvados não foram tão malvados assim. Isto faz com que possamos formar opinião e tirar nossas conclusões dos acontecimentos passados.

No caso dos vencedores, no tempo que nos toca viver, o revisionismo dos acontecimentos passados, às vezes trágicos, busca-se o olhar perverso a fim de moldar uma sociedade como o vencedor imagina  e os fatos sofrem as distorções do vencedor.

Por isto são importantes os pontos de vista divergentes, concorde ou discorde, isto faz que a criança desenvolva o espírito crítico, educando o futuro cidadão para ser pensante. Não precisamos pensar igual… A unanimidade é burra, já dizia o poeta.

Alexandra Golik pensou muito, estudou e se preparou para esta empreitada nada fácil. Senti que a artista olhou o Brasil a partir do povo. Do cidadão comum. Das pessoas que viveram seu tempo e, talvez, não tenham sido os vencedores na sua visão particular da nossa História.

História do Brasil é um espetáculo lúdico com cenografia, vídeo, cenários e figurinos bem conceituados – uma produção cuidada.

O grupo ganhou o edital do Fomento ao Teatro da Cidade de São Paulo e é uma das poucas companhias que vejo que ganhando um edital público, a empregar bem os recursos. Vemos pesquisa, pensamento e cuidado em todos os itens da ficha técnica.

Cações que encantam são bem interpretadas pelos atores. Diego Rodda, Humberto Morais, Joice Jane Teixeira, Marco Barreto e Renata Airoldi nos mostram estar completos, preparados para a proposta da diretora, tendo brilho, carisma e comprometimento com a obra.

O Viradalata, com a diretora Alexandra Golik, continua nos mostrando um ótimo teatro para a família, como foi o dia que assisti. Longa Vida para o Espaço – Teatro Viradalata, e seus componentes.

Teatro Viradalata: Apinajes,1387, Perdizes

Sábados e domingos 16 horas

Pamela Duncan especialmente para o Aplauso Brasil. Crítica originalmente publicada em www.pameladuncan.art.br  (pameladuncandiretora@gmail.com)

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*