CRÍTICA: “LA CENA” ESTREIA NO FESTIVAL DE CURITIBA COM MISTURA DE DANÇA, TEATRO E CONTO DE FADAS

Kyra Piscitelli, do Aplauso Brasil (kyra@aplausobrasil.com)

" La Cena". Foto/crédito: Festival de Curitiba Humberto Araújo
” La Cena”. Foto: Festival de Curitiba Humberto Araújo

CURITIBA – Um dos focos do Festival de Teatro de Curitiba em 2016 é dar espaço para que produções locais ganhem a cena nacional com a projeção do evento. A escolha foi evidenciada quando anunciado os novos curadores: Guilherme Weber e Marcio Abreu.  O primeiro é curitibano e o segundo tem na cidade o berço da companhia em que atua. La cena é um desses espetáculos que se volta para a cidade onde a festa do teatro acontece.

Com texto e direção de Cleide Piasecki criado para o G2, Cia de Dança do Teatro Guaíra, o espetáculo de dança estreia no Festival. A narrativa é baseada em contos e personagens de E. T. A. Hoffmann (Quebra-Nozes & Camundongo Rei); Neil Gaiman (Sandman) e nos Ballets Russes (1909 a 1929) de Serguei Diaguilev, companhia que influenciou o balé contemporâneo.

" La Cena". Foto/crédito: Festival de Curitiba Humberto Araújo
” La Cena”. Foto: Festival de Curitiba Humberto Araújo

Com uma plasticidade cênica, luz e figurinos cuidadosamente trabalhados em cores que pintam o teatro, La Cena, com uma hora de duração, é capaz de agradar adultos e jovens. Com gênero híbrido consegue transitar e mesclar a dança, o teatro e o conto de fadas de forma curiosa. É do tipo de espetáculo que não cabe em rótulos.

Na história, empregados do senhor Stahlbaum têm a missão de preparar as festas de fim de ano. Em meio a uma série de acontecimentos, os personagens saem da realidade direto para a terra da fantasia.

Envoltos em um universo sem compromisso com a realidade, cada personagem tem a chance de revelar seus sonhos e pesadelos. O poder, a servidão, o amor verdadeiro e outros temas são postos no placo.

" La Cena". Foto: Festival de Curitiba/ Humberto Araújo
” La Cena”. Foto: Festival de Curitiba/ Humberto Araújo

Como em um bom conto de fadas ou fábula, a figura do narrador está presente. É o alter ego dos personagens e também da plateia. É a voz sem rosto que confere ao espetáculo boa parte do texto irônico e divertido, pontuando os momentos em La Cena.

O texto – quando aparece – pontua sentimentos e sensações somando com a dança para uma montagem que surpreende. O trabalho com o imaginário é outro fator que faz o espetáculo ousar e sair de lugares comuns: é como se tudo fosse permitido, mas dentro de uma coerência cênica. A coreografia é tão aberta como o resto: converge da dança espanhola ao balé clássico.

La cena  é tão contemporâneo que consegue misturar referências consagradas para criar algo novo, criativo e reflexivo, que tem potencial para abocanhar os jovens – por vezes órfãos de uma dramaturgia que atinja e fale a eles.

Local: Guairinha – Aud. Salvador de Ferrante
Endereço: Rua XV de Novembro , Centro

Assistente de Direção: Fernando Bachstein.
Cenários e Figurinos: Ricardo Garanhani.
Coreografias: Cleide Piasecki e G2 Cia de Dança.
Elenco: Clionise de Barros (Tota), Deisi Wor, Grazianni Canalli, Inês Drumond, Julio Mota, Leandro Nascimento, Ricardo Garanhani, Rogério Halil.
Iluminação: Diego Bertazzo.
Pesquisa: Melissa Giowanella.

Acesse o site do Festival: http://festivaldecuritiba.com.br/mostra-2016/

Kyra Piscitelli viajou a convite do Festival de Teatro de Curitiba

Kyra Piscitelli

Kyra Piscitelli é jornalista formada pela Universidade Metodista de São Paulo e fez pós-graduação em Globalização e Cultura pela Faculdade de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP). Escreve sobre teatro e arte desde de 2009. Integra os Juris da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) e do Prêmio Aplauso Brasil. Ávida por conhecimento, se não está em viagem ou estudo, só há um lugar para achá-la: o teatro!

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*