CRÍTICA: MOSTRA DE DRAMATURGIA EM PEQUENOS FORMATOS CÊNICOS DO CCSP É DESTAQUE NA PROGRAMAÇÃO

Kyra Piscitelli, do Aplauso Brasil (kyra@aplausobrasil.com)

O TAXIDERMISTA
O TAXIDERMISTA

SÃO PAULO- A 1ª Mostra de Dramaturgia em Pequenos Formatos Cênicos do Centro Cultural São Paulo, com curadoria de Kil Abreu, é um dos destaques do ano para o teatro da cidade. A ideia de fomentar dramaturgos e textos inéditos, possibilitando as suas montagens merece notoriedade.

A Mostra é composta por três textos vencedores. O primeiro: Mantenha Fora do Alcance do Bebê rendeu à autora Silvia Gomez indicação ao primeiro semestre do Prêmio APCA. O texto realmente é um deleite sobre as relações humanas do nosso tempo com um toque de surrealismo, entre o que é racional e irracional. Difícil não sair impactado com a bela combinação de texto, cenografia e atuação de Débora Falabella, Anapaula Csernik, Jorge Emil e Diego Dac sob a direção de Eric Lenate.

Em cartaz até nove de agosto, o segundo espetáculo da Mostra é Taxidermista. Neste caso, René Piazentin é autor e diretor da peça. A montagem da Cia dos Imaginários tem um texto e um mote invejável, que merecia ser brindado com melhores atuações de Aline Baba, Kedma Franza, Luana Frez, Renata Weinberger, Rodrigo Sanches e Waldir Medeiros.

MANENHA FORA DO ALCANCE DO BEBÊ
MANENHA FORA DO ALCANCE DO BEBÊ

Aliás, um diferencial da Mostra é que o programa do espetáculo vem com o texto na íntegra – tal qual é encenado. A ação comprova a preocupação em oferecer holofotes para novidades de textos teatrais da cidade e do Brasil. E o contato do público com a literatura de artes cênicas busca cumprir um papel de formação de plateia e leitor tão necessário.

Ter o texto em mãos, evidencia por exemplo, como um bom texto nem sempre vira um ótimo espetáculo. E não é que ele seja ruim. Aqui, não me cabe rótulos tão limitadores e banais. Piazentin, montou o espetáculo  depois de ler sobre um zoológico na cidade palestina de Qalqilya, cercada pelo muro da Cisjordânia, onde o veterinário residente e diretor, Dr. Sami Khader, empalhou diversos animais que morreram durante a Segunda Intifada – conflito de dois anos onde morreram cerca de cinco mil pessoas, entre palestinos e israelenses.

"Memórias Impressas" encerra Mostra no CCSP. foto: divulgação
“Memórias Impressas” encerra Mostra no CCSP. foto: divulgação

Na peça, o doutor (com nome de Shraif) conversa com os animais que taxidermizou. Além dos animais e do veterinário, o espetáculo tem a personagem Lola, uma menina órfã que quer empalhar seu cachorro morto há um dia.

Um enredo emocionante que discute morte, esperança, solidão e traz, em pano de fundo, as guerras contemporâneas. Identidade e amor são também tratados ali. No entanto, a opção de criar um revezamento dos atores para encenar os animais cria uma certa bagunça e quebra a magia do texto.

A magia, é verdade, reside em pequenas soluções cênicas, como o uso de bolinhas de gude para amarrar a trama. Questões que podem surpreender positivamente o espectador que tem o texto na mão e não sabe como aquilo seria passado para o palco.

A Mostra do Centro Cultural teve cuidadosa curadoria de Abreu na escolha dos textos e já tem sua segunda edição garantida, enquanto, estreia a última peça da trilogia da primeira edição. De 31 de agosto a Até 23 de agosto, o público poderá conferir Memórias Impressas. O texto tem autoria e direção de Claudia Schapira. Na história, as atrizes Fernanda D’Umbra, Luaa Gabanini, Luciene Guedes e Sandra Lessa percorrem três instalações, cada uma ilustrando um ambiente diferente, composto por luz, objetos, figurino, e uma projeção, com o DJ Eugênio Lima presente. A temática é sempre a feminina. No entanto, a peça carrega o desafio de trazer textos novos a cada apresentação.

Que a Mostra de Dramaturgia em Pequenos Formatos Cênicos do Centro Cultural São Paulo dê mais frutos para possibilitar mais teatro, revelando talentos e consagrando velhos conhecidos do teatro. Sem textos não há palco que sobreviva.

Para roteiro: MOSTRA DE DRAMATURGIA EM PEQUENOS FORMATOS CÊNICOS DO CENTRO CULTURAL SÃO PAULO apresenta O TAXIDERMISTA – Estreia dia 10 de julho, sexta-feira, às 21 horas, na Sala Jardel Filho do CCSP. Texto e Direção– René Piazentin. Elenco – Aline Baba, Kedma Franza, Luana Frez, Renata Weinberger, Rodrigo Sanches e Waldir Medeiros. Assistente de Direção – Alexandre Passos, Priscila Leão e Vanusa Costa. Iluminação – René Piazentin e Rodrigo Sanches. Figurino – René Piazentin, Aline Baba e Vanusa Costa. Concepção de Espaço e Objetos de Cena – René Piazentin e Cia dos Imaginários. Trilha Sonora – René Piazentin. Produção –  Sancho Pança Produções.Idealização – Cia dos Imaginários. Realização – Centro Cultural São Paulo. Duração – 75 minutos. Indicação Livre. Temporada – Sextas-feiras e sábados às 21 horas e domingos às 20 horas. GRÁTIS – retirada de ingressos com uma hora de antecedência. Até 9 de agosto.

MOSTRA DE DRAMATURGIA EM PEQUENOS FORMATOS CÊNICOS DO CENTRO CULTURAL SÃO PAULO apresenta MEMÓRIAS IMPRESSAS – Estreia dia 31 de julho, sexta-feira, às 21 horas, no Anexo da Sala Adoniran Barbosa do CCSP. Concepção Geral – Cláudia Schapira e Bianca Turner. Dramaturgia e Direção – Claudia Schapira. Atrizes-Mcs – Fernanda D’Umbra, Luaa Gabanini, Luciene Guedes e Sandra Lessa. Direção Musical/ DJ – Eugênio Lima.  Direção de Arte – Bianca Turner. Desenho de Luz – Carol Autran. Figurino – Claudia Schapira. Cenografia – Bianca Turner e Claudia Schapira. Artistas Convidadas – Bibi Barcellos e Sônia Costa. Consultoria Poético-Musical – Roberta Estrela D’Alva. Coordenação Cenotécnica – Wanderley Wagner da Silva. Cenotécnica – Fernando Albuquerque. Assistente de Direção – Maria Eugênia Portolano. Assitente de Produção e Cenografia – Pamela Cristina Teixeira de Assis. Administração – Mariza Dantas. Produção Geral – Cybelle Young. Assessoria de Imprensa – Nossa Senhora da Pauta. Idealização – Núcleo Bartolomeu de Depoimentos. Realização – Centro Cultural São Paulo. Duração – 60 minutos. Recomendado para maiores de 12 anos. Temporada – Sextas-feiras e sábados às 21 horas e domingos às 20 horas.  Até 23 de agosto.

CENTRO CULTURAL SÃO PAULO  –  Anexo da Sala Adoniran Barbosa – Rua Vergueiro, 1000 – Estação de metrô Vergueiro – Fone: 3397-4002. Bilheteria – abre uma hora antes do espetáculo. Capacidade – 60 lugares. Acesso para deficientes físicos. www.centrocultural.sp.gov.br

 

Kyra Piscitelli

Kyra Piscitelli é jornalista formada pela Universidade Metodista de São Paulo e fez pós-graduação em Globalização e Cultura pela Faculdade de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP). Escreve sobre teatro e arte desde de 2009. Integra os Juris da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) e do Prêmio Aplauso Brasil. Ávida por conhecimento, se não está em viagem ou estudo, só há um lugar para achá-la: o teatro!

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*