Crítica: Musical revive trajetória de Rita Lee

Nanda Rovere, do Aplauso Brasil (redacao@aplausobrasil.com)

A atriz Mel Lisboa interpreta  Rita Lee  nos palcos. Foto/Crédito Priscila Prade
A atriz Mel Lisboa (foto) interpreta Rita Lee nos palcos. Foto/Crédito Priscila Prade

SÃO PAULO- Rita Lee Mora ao Lado é um musical baseado na obra de Henrique Bartsch, intitulada Rita Lee Mora ao Lado – Uma Biografia Alucinada da Rainha do Rock, que resgata a trajetória de Rita Lee, um dos maiores nomes do rock brasileiro. O texto é de Paulo Rogério Lopes, Márcio Macena e Débora Dubois, que também assina a direção ao lado de Macena. Devido ao sucesso, a temporada foi prorrogada até o dia 27 de julho, no Teatro das Artes, em São Paulo. No elenco, Mel Lisboa vive a roqueira, ao lado de Carol Portes, Rafael Maia, Yael Pecarovich, Samuel de Assis, Fabiano Augusto, César Figueiredo, Débora Reis, entre outros.

A peça mistura realidade e ficção para mostrar momentos marcantes de Rita Lee, que são contados a partir do olhar da personagem Bárbara Farniente (Carol Portes), uma vizinha que acompanhou a vida da cantora e de sua família, pois a sua mãe (Nanni de Souza) namorou Charles Jones, pai de Rita, no passado, e nunca o esqueceu.

Não há certeza se realmente Bárbara existiu, mas é ela quem narra a trajetória de Rita para um guarda da casa de shows em que a cantora está se apresentando. Ela quer falar com a artista e se libertar de um passado opressor, já que a sua mãe a obrigou sempre a viver à sombra de Rita.

Musical "Rita Lee Mora ao Lado" fica em cartaz até  ofinal do mês de julho em SP. Foto/Crédito Priscila Prade
Musical “Rita Lee Mora ao Lado” fica em cartaz até o final do mês de julho em SP. Foto/Crédito Priscila Prade

A produção tem o mérito de homenagear e relembrar a trajetória de um dos grandes talentos da nossa MPB.  O objetivo não é realizar um documentário cênico e sim apresentar ao público um pouco da personalidade e das realizações de Rita Lee.

Mostra detalhes da sua infância, o início da carreira, a consolidação profissional e termina no momento em que a cantora lança, com Roberto de Carvalho, o disco Saúde.

As suas canções, interpretadas pelo elenco, não seguem a cronologia dos anos em que foram criadas, mas são usadas para ilustrar fatos. Uma tática que não atrapalha a narrativa, mas que, em alguns momentos, causa imprecisões que soam estranhas, entre elas, a interpretação de Bandoleiro e Sangue Latino, por Ney Matogrosso, visto que a composição conhecida de Rita que o cantor gravou foi Balada de Um Louco, além deBandido Corazon.

Vivemos uma enxurrada de musicais que têm como foco artistas de sucesso. Iniciativas louváveis, na medida em que no Brasil pouco se valorizam os nossos talentos.

Por outro lado, a qualidade da dramaturgia de Rita Lee Mora Ao Lado está aquém do esperado. A história não vai além da recuperação de trajetória de Rita Lee, fórmula já utilizada por outros musicais do gênero.

Apresenta detalhes explorados pela mídia e outros pouco conhecidos da vida da artista. Registra a importância do seu trabalho dentro do contexto cultural brasileiro nos últimos 50 anos.

Também coloca em evidência personalidades de nossa música que em algum momento tiveram algum contato com Rita e/ou influenciaram sua carreira : João Gilberto (Nellson Oliveira), Tim Maia (Fábio Ventura), Gilberto Gil (Samuel de Assis), Caetano Veloso (Antonio Vanfill), Ney Matogrosso (Fabiano Augusto), Elis Regina (Flávia Strongolli) e Gal Costa (Yael Pecarovich).

Musical "Rita Lee Mora ao Lado". Foto/Crédito Priscila Prade
Musical “Rita Lee Mora ao Lado” romantiza a vida da diva do rock brasileiro. Foto/Crédito Priscila Prade

A montagem romantiza a vida da rainha do rock e, no geral, não apresenta cenas criativas – na concepção das coreografias, por exemplo. Existem, no entanto, vários momentos interessantes, que destacam o começo do sucesso, a formação da Banda Os Mutantes e a sua saída do grupo, a criação da banda Tutti Frutti e a sua parceria pessoal e profissional com Roberto de Carvalho.

Entre as cenas que merecem destaque estão a sua aparição no programa do Ronnie Von (Cesar Figueiredo), a participação dos Mutantes no Festival de Música Popular Brasileira da TV Record, ao lado de Gilberto Gil e a sua presença no programa da Hebe (Débora Reis), onde ela e o seu marido Arnaldo, integrante dos Mutantes, rasgam a certidão de casamento.

Apesar de ressalvas quanto à encenação e criação do texto, Rita Lee Mora ao Lado é uma oportunidade para se conhecer mais detalhadamente a trajetória de uma artista que merece o reconhecimento que obteve.

Quem a admira certamente vai se divertir, sobretudo em virtude da trilha sonora, que traz inúmeros sucessos, entre eles: Agora só falta Você, Banho de Espuma, Caso Sério, Doce Vampiro, Chega Mais, Panis et Circensis e Ando Meio Desligado.

Mel Lisboa tem uma boa caracterização. Emagreceu e tingiu o cabelo de vermelho. Além disso, sua expressão corporal lembra os gestos da cantora.  Falta, no entanto, um pouco mais de ousadia, já que Rita é mais transgressora do que a personagem do musical.

Mel é uma atriz de talento e merece elogios pelo esforço.  Teve aulas de canto para o musical e conseguiu um bom resultado na composição da artista. Não faz pura caricatura, pois deu a Rita uma energia própria, sem deixar de lado os seus trejeitos nas ações da personagem.

Com relação ao canto, no entanto, precisa ainda apurar mais a voz ainda, apesar de cantar afinado (necessidade compreensível na medida em que não é uma atriz com experiência em musicais).

Sem dúvida, Fabiano Augusto dá um show como Ney. A sua participação é marcante porque traz a energia e irreverência do cantor. Outros destaques são Débora Reis, divertida como Hebe, e César Figueiredo, como Ronnie Von.

Ficha Técnica:

Roteiro e Texto: Debora Dubois, Márcio Macena e Paulo Rogério Lopes

Direção: Debora Dubois e Márcio Macena

Direção Musical: André Aquino

Elenco: Mel Lisboa, Carol Portes, Rafael Maia, Yael Pecarovich, Samuel de Assis, Fabiano Augusto, Débora Reis, Antonio Vanfill, César Figueiredo, Fábio Ventura, Flávia Strongolli, Nanni Souza, Nellson Oliveira, Talitha Pereira.

Músicos: Felipe Cruz, Gregory Paoli, Junior Gaz, Marcio Guimarães, Robson Couto

Cenário: Debora Dubois e Márcio Macena

Produção Musical e Arranjos: André Aquino e Rafael Langoni

Trilha: Márcio Macena

Figurinos: Márcio Vinícius

Iluminação: Debora Dubois e Robson Bessa

Preparação e arranjos vocais: Juliana Ferretti

Direção de movimento e Coreografia: Christina Belluomini

Assistente de Direção: Glaucia Fonseca

Sound Designer: Fernando Fortes

Sound Designer Associado: Bruno Pinho

Visagismo: Rachel Ramos

Assistente de Figurinos: Danilo Yabíku e Ana Patrone

Construção de Cenários: Mais Cenografia

Serviço: 

Rita Lee Mora ao Lado:

Quando: 04 de abril a 27 de julho de 2014

Onde: Teatros Das Artes – Shopping Eldorado

Endereço: Av. Rebouças, 3970 – (11) 3034-0075

Horário: Sextas: 21h30min; Sábados: 21h e Domingos: 19h

Capacidade: 796 lugares

Ingressos: Sexta feira: Plateia – R$ 80,00/ Mezzanino – R$ 60,00 Sábado: Plateia – R$ 100,00/ Mezzanino – R$ 80,00. Domingo: Plateia – R$ 90,00/ Mezzanino – R$ 70,00

Classificação: 14 anos

Duração: 140 minutos

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado