CRÍTICA: O TEATRO MUSICAL DO ENTRETENIMENTO DE ‘NUVEM DE LÁGRIMAS’

Kyra Piscitelli, do APlauso Brasil (kyra@aplausobrasil.com)

"Nuvem de Lágrimas" traz ritmo sertanejo para o Teatro Musical. Foto: divulgação;
“Nuvem de Lágrimas” traz ritmo sertanejo para o Teatro Musical. Foto: Roberto Ikeda

SÃO PAULO – Nuvem de Lágrimas é um musical brasileiríssimo por trazer como trilha sonora o ritmo sertanejo. Embora não seja exatamente biográfico pode se encaixar nessa categoria, visto que tem como trilha sonora as músicas dos dos ícones do gênero Chitãozinho e Xororó. O texto de Anna Toledo mescla as conhecidas canções com o romance da escritora inglesa Jane Austen (1775-1817), Orgulho e Preconceito. O musical, que tem lotado a enorme plateia do Teatro Bradesco, agrada o público que canta junto e parece sair querendo indicar para todos. No entanto, o enredo peca pela superficialidade, previsibilidade e  mal proveito de atores e do espaço para uso de cenário.

Com quatro histórias de amor intercaladas, que seguem um roteiro novelesco, boa parte das principais cenas acontecem em duetos. A fórmula funciona bem para o estilo de música e ajuda o público a acompanhar o que se passa no palco. Mas, isso faz com que o numeroso elenco, de 23 atores, mal apareça. Boa parte parece mesmo só fazer coro.

A cenografia de Paulo Correa também é simples e recriada para cada ambiente em que se passa a história e com isso o Teatro Bradesco fica ainda maior. O palco fica grande e causa sensação de vazio. Já o figurino do tarimbado Fabio Namatame e a luz Ney Bonfante são destaques positivos da montagem.

O público não parece se preocupar com nada de errado, nem com o som alto abafando a voz dos atores e cantores. Quando reconhecem as músicas como Evidências ou Rancho Fundo logo se colocam a cantar. Estão lá para isso.

Discutir a luta de classes, os romances entre pobres e ricos parece mesmo algo que nem faz diferença. Ao final, as músicas que não couberam no enredo ganham um mix e a plateia levanta, liga os celulares e tudo vira um show. A cantora Lucy Alves, multi-instrumentista revelada no programa da TV Globo The Voice e estreante no teatro, brilha nessa hora – mostrando tudo que sabe tocar.

Ainda que o público saia feliz e que o teatro lote, pergunto-me se é esse o teatro musical que queremos: do puro entretenimento. As atuações não são ruins e há atores experientes e bons em cena. O musical é leve. Mas, como explicar que é inspirado em um clássico da literatura inglesa, se mal dá conta de discutir a luta de classes como o romance propõe?

É verdade que esse tipo de musical como Nuvem de Lágrimas tem trazido um público para o teatro. E espero que fiquem, cresçam e peçam algo além do entretenimento.

Canções que foram consagradas nas vozes de Chitãozinho e Xororó ajudam a contar a história de “Nuvem de Lágrimas, O Musical”. Conheça a lista de músicas interpretadas no espetáculo e seus autores:

“Nuvem de Lágrimas” – Paulo Debétio / Paulinho Rezende
“Caipira” – Joel Marques / Maracaí
“Sistema Bruto” – Cacá Moraes / Gil Cardoso
“Fio de Cabelo” – Marciano / Darci Rossi
“Porque Brigamos?” – Neil Diamond / Versão: Rossini Pinto
“Eu preciso de você” – Roberto Carlos / Erasmo Carlos
“Brincar de ser feliz” – Maria da Paz / Nino
“Sinônimos” – César Augusto / Paulo Sérgio / Cláudio Noam
“Se Deus me Ouvisse” – Almir Rogério
“Saudades da Minha Terra” – Pascoal Todarelli / Gérson Coutinho da Silva
“Alô” – Feio / Fátima Leão
“Cara a cara, frente a frente” – Cesar Augusto / Chitãozinho
“Tristeza do Jeca” – Angelino de Oliveira
“Sorriso Mudo” – Jardel / Baltazar da Silva
“Galopeira” – Mauricio Cardoso Ocampo
“Página de Amigos” – Alexandre / Rick
“Coisa de Amigo” – Danymar / Carlos Randall
“Rancho Fundo” – Ary Barroso / Lamartine Babo
“Beijinho Doce” – João Alves dos Santos (Nhô Pai)
“Nasci de Bota e Chapéu” – Gil Cardoso / Xororó
“Não Desligue o Rádio” – Cleiton Santos
“Som da Viola” – Álvaro Socci / Claúdio Matta / Vivian Peri Cockell
“Evidências” – José Augusto / Paulo Sérgio Valle
“Majestade o Sabiá” – Roberta Miranda
“Fogão de Lenha” – Carlos Colla, Mauricio Duboc e Xororó
“Minuet in G Major” – Henry Purcell
“Pé na Estrada” – Joel Marques / Xororó
“Bailão de Peão” – Maria da Paz / Nino
“60 Dias Apaixonados” – Constantino Mendes / Darcy Rossi
“Ela Fez Minha Cabeça” – Constantino Mendes / José Homero

Sexta às 21h30, Sábado às 17h00 e 21h00 e Domingo às 19h00
20 de novembro a 29 de novembro

Teatro Bradesco São Paulo
3º Piso do Bourbon Shopping – São Paulo – Rua Palestra Itália,500., 0 – Perdizes
São Paulo – SP

Kyra Piscitelli

Kyra Piscitelli é jornalista formada pela Universidade Metodista de São Paulo e fez pós-graduação em Globalização e Cultura pela Faculdade de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP). Escreve sobre teatro e arte desde de 2009. Integra os Juris da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) e do Prêmio Aplauso Brasil. Ávida por conhecimento, se não está em viagem ou estudo, só há um lugar para achá-la: o teatro!

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*