Crítica: Os Satyros e uma ode de amor ao centro de São Paulo

Kyra Piscitelli, do Aplauso Brasil (kyra@aplausobrasil.com.br)

Elenco de "Pessoas Perfeitas",  do Grupo Os Satyros. Foto: André_Stéfano
Elenco de “Pessoas Perfeitas”, do Grupo Os Satyros. Foto: André Stéfano

SÃO PAULO – Os Satyros evocam para si a responsabilidade e compromisso de a arte transformar São Paulo e, principalmente, a decadência em revitalização.  E com esse objetivo ocuparam, em tempos sombrios, a Praça Roosevelt; assim também criaram as Satyrianas e tantos outros projetos que distribuem um olhar atento sobre o centro da metrópole e seus habitantes. Pessoas Perfeitas, a nova empreitada do grupo, é uma dessas obras-primas que eles oferecem a São Paulo.

O espetáculo, que também vai virar filme no ano que vem, é um grito dos invisíveis do centro. Desses que vemos todos os dias; convivemos ou somos, em certa medida.

 "Pessoas Perfeitas" foi criado a partir da observação e entrevista de personagens reais do centro de São Paulo. Foto: André Stéfano
“Pessoas Perfeitas” foi criado a partir da observação e entrevista de personagens reais do centro de São Paulo. Foto: André Stéfano

Pessoas Perfeitas foi feito a partir de entrevistas com personagens reais e anônimas que habitam a região do centro. Por isso, e por mérito das boas escolhas dos autores Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez, a história tem um poder de identificação enorme. É impossível sair da plateia sem que uma ou várias frases e situações ecoem na cabeça, com um resquício de familiar; conhecido.

A direção de Rodolfo García Vázquez também colabora para o clima que nos faz criar cenários entre o caricatural e o real do centro de São Paulo. Em uma viagem que te carrega para uma São Paulo de buscas, com encontros e desencontros. Uma cidade que traz e une personagens de todas as partes que tentam sobreviver em meio à solidão e aos arranha-céus disfarçados de oportunidades.

Ivam Cabral (foto) escreveu o texto de "Pessoas Perfeitas" ao lado do parceiro e diretor Rodolfo García Vázquez e também atua na peça. Foto: André Stéfano
Ivam Cabral (foto) escreveu o texto de “Pessoas Perfeitas” ao lado do parceiro e diretor Rodolfo García Vázquez e também atua na peça. Foto: André Stéfano

Pessoas Perfeitas não é romântico e também não é só drama. É simplesmente real, e de tão real parece ficção. É montado em cima de um bom texto, boa história e coroado com boas atuações. O público, já na entrada, tem a chance de estar em contato com os personagens e atores. Os camarins ficam abertos no corredor que nos leva para a plateia.

Embarcamos em Pessoas Perfeitas antes que a peça comece e saímos do espetáculo sem que ele saia de nós, afinal, a Praça Roosevelt carrega muitos dos personagens retratados ali.

Os Satyros declaram seu amor ao centro com Pessoas Perfeitas. Conseguem fazer história com o cotidiano, discutir a cidade e transformar o invisível e decadente em poesia.

Ficha Técnica e Serviço

Texto: Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez

Direção: Rodolfo García Vázquez

Elenco: Ivam Cabral, Fábio Penna, Henrique Mello, Julia Bobrow, Eduardo Chagas, Marta Baião e Adriana Capparelli

Participação das violoncelistas : Alessandra Giovannoli e Rebeca Friedmann

Onde: Espaço dos Satyros Um

Quando: Quinta a domingo, 21h

Duração: 80 minutos

Ingresso: R$ 20,00 (inteira), R$ 10,00 (meia-entrada) e R$ 5 (moradores da Praça Roosevelt)

Capacidade: 40 pessoas

Classificação: Não recomendado para menores de 16 anos

Endereço: Praça Roosevelt, 214 – Consolação

Telefone: 11 3258-6345

Temporada: até 26 de Outubro.

Kyra Piscitelli

Kyra Piscitelli é jornalista formada pela Universidade Metodista de São Paulo e fez pós-graduação em Globalização e Cultura pela Faculdade de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP). Escreve sobre teatro e arte desde de 2009. Integra os Juris da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) e do Prêmio Aplauso Brasil. Ávida por conhecimento, se não está em viagem ou estudo, só há um lugar para achá-la: o teatro!

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado