CRÍTICA: PEÇA NO SESC PINHEIROS REFLETE TRAJETÓRIA DA VIDA PARA PENSAR O FUTURO

Kyra Piscitelli, do Aplauso Brasil (kyra@aplausobrasil.com.br)

"A Próxima Estação – Um espetáculo para ler" usa linguagem inovadora. Crédito: Fotos de Lenise Pinheiro sobre as imagens de Cristina Gardumi
“A Próxima Estação – Um espetáculo para ler” usa linguagem inovadora. Crédito: Fotos de Lenise Pinheiro sobre as imagens de Cristina Gardumi

SÃO PAULO – A vida é ato simples e complexo ao mesmo tempo. O quanto tempo temos? A quem temos? Quais são os pesos das nossas escolhas dentro da nossa trajetória individual ou coletiva? O espetáculo A Próxima Estação – Um espetáculo para ler, escrito pelo premiado autor italiano Michele Santeramo põe a luz para essas questões de forma delicada. É fábula sobre a vida humana no século XXI. E apesar do tema existencialista, o texto tem um ar leve e poético.

É exercício de ver a vida passar e ou imaginar-se no futuro, com as limitações e avanços que isso poder ocorrer. Bom, é por tratar de futuro que o espetáculo, que perpassa pelo ciclo da vida do casal Massimo e Violeta, cai tão bem em fábula e é tão melhor se lido por nós, ao invés de dado como algo real. O futuro não é nada mais do que um livro em aberto, sendo escrito no hoje.

"A Próxima Estação – Um espetáculo para ler" usa linguagem inovadora. Crédito: Fotos de Lenise Pinheiro sobre as imagens de Cristina Gardumi
“A Próxima Estação – Um espetáculo para ler” usa linguagem inovadora. Crédito: Fotos de Lenise Pinheiro sobre as imagens de Cristina Gardumi

Na lateral do palco do Sesc Pinheiros, Cacá Carvalho dá vida ao casal, que juntos repassam o curso de suas vidas em seis estações, marcadas por intervalos de uma década, ao longo de 50 anos, de 2015 a 2065. Ao centro, um telão projeta os desenhos criados pela artista plástica e performer italiana Cristina Gardumi, representando os personagens e passagens em suas vidas.

Os seres criados por Gardumi são híbridos – nem homens e nem animais: uma reflexão em si. O homem que tantas vezes é animalesco em suas ações com o ambiente em que ocupa, com o outro ou nós mesmos. Em um trabalho cuidadoso de iluminação, as projeções invadem o palco e Carvalho, de um púlpito, muda o gestual e a voz conforme a cena, em um trabalho  entre o visceral de ator.

A Próxima Estação – Um espetáculo para ler é um ato de experimentalismo e, portanto, um ato de coragem. A montagem arrisca em uma linguagem inovadora, que mescla o antigo e a tecnologia.  A leitura é complementada com o telão e imagens cronometradas. Na tela a luz da vida a desenhos manuais. É como se o nosso mundo em transição fosse posto ali. O desafio é não se emocionar em algum momento ou sair do teatro sem pensar para onde a nossa humanidade nos leva. É como uma sementinha para o futuro que queremos e o inexorável que nos espera.

 FICHA TÉCNICA

A Próxima Estação – um espetáculo para ler

De uma ideia de Luca Dini e Michele Santeramo

Com Cacá Carvalho

Texto e Direção: Michele Santeramo

Tradução: Cacá Carvalho

Ilustrações: Cristina Gardumi

Coordenação Artística: Márcio Medina

Assistente de Direção na Itália: Erica Artei

Colaboração Artística: Roberto Bacci

Músicas Originais: Sergio AltamuraGiorgio Vendola e Marcello Zinn

Sonorização e Projeção: Kako Guirado e Tiago Mello

Assessoria de Imprensa: Adriana Monteiro – Ofício das Letras

Fotografia: Lenise Pinheiro

Produção Executiva e Administração: Géssica Arjona

Parceria de Produção: Condomínio Cultural e Teatro della Toscana – Itália

Produção: Casa Laboratório Para as Artes do Teatro

Agradecimento especial: Luciana Caminha – Mina Cultural, Iris Cavalcanti, Junae Andreazza e Micle Contorno

Kyra Piscitelli

Kyra Piscitelli é jornalista formada pela Universidade Metodista de São Paulo e fez pós-graduação em Globalização e Cultura pela Faculdade de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP). Escreve sobre teatro e arte desde de 2009. Integra os Juris da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) e do Prêmio Aplauso Brasil. Ávida por conhecimento, se não está em viagem ou estudo, só há um lugar para achá-la: o teatro!