CRÍTICA: TEXTO IMPACTANTE, DIREÇÃO PRECISA E ELENCO AFIADO ESTÃO ENTRE OS DESTAQUES DO ESPETÁCULO ‘DIAS DE VINHO E ROSAS’

Nanda Rovere, do Aplauso Brasil (Nanda@aplausobrasil.com)

DIAS DE VINHO E ROSAS
DIAS DE VINHO E ROSAS COM CAROLINA MÂNICA (FOTO) 

SÃO PAULO – O espetáculo Dias de Vinho e Rosas, em cartaz no Espaço Viga, é tocante, sobretudo porque fala do desmoronamento de um relacionamento amoroso através de pessoas que têm as suas vidas desestruturadas pelo uso excessivo do álcool.  A direção é de Fábio Assunção. No elenco, estão Daniel Alvim e Carolina Mânica, idealizadora do projeto. O texto, criado para a televisão, é de James Pinckney Miller, com adaptação para o teatro assinada por Owen MacCafferty. A obra também foi levada para o cinema, em 1962, com Jack Lemmon e Lee Remick no elenco.

Na trama, que une romance e desilusões na vida pessoal e profissional dos personagens, Donai é um book maker ( profissional que trabalha com apostas para corridas de cavalos) com carreira promissora, que se apaixona por Mona, uma funcionária pública. Eles se conhecem no aeroporto, quando ambos estão de mudança para Londres.

Na primeira cena, o clima é de romance, mas já nesse momento há o indício do vício do álcool. Como o avião está demorando, eles bebem para a espera ficar menos cansativa.

Logo no primeiro encontro já iniciam uma relação amorosa e rapidamente se casam e logo nasce o filho. Nessa fase, a vida entre o casal ainda é recheada de amor.

Não demora muito para os problemas. Os personagens se amam, mas são alcoólatras e não conseguem guiar as suas vidas de uma maneira saudável.

O uso diário, e descontrolado, do álcool começa a atrapalhar o cotidiano do casal e a criação do menino. Tudo acaba girando em

torno da bebida, girando em torno da necessidade do álcool para se sentirem mais seguros (pelo menos até a ressaca e a

DIAS DE VINHO E ROSA
DIAS DE VINHO E ROSA COM DANIEL ALVIM (FOTO)

depressão do dia seguinte mostrar o quanto esses jovens estão dependentes da bebida).

De um relacionamento carinhoso e alegre, o casal começa a ter brigas sérias, violentas. O amor não resiste e a cura da doença, como sabemos, não é nada fácil. Donai consegue, após decaídas, vencer a dependência do álcool. Mona não tem a mesma força e perde a guarda do filho.

Fábio Assunção já havia demonstrado talento para a direção em O Expresso do Por do Sol. Nessa segunda empreitada como diretor, o artista prova que tem competência e sensibilidade.

Conseguiu tratar um tema extremamente pesado de uma maneira sensível. Mesmo com a tragédia do álcool destruindo os sonhos dos jovens protagonistas, a poesia emana em alguns momentos, pois, apesar das desavenças, havia encantamento entre o casal.

As cenas, que no início são leves e demonstram o amor de dois jovens sonhadores, vão ganhando dramaticidade. A bebida toma conta da vida dos jovens e a tensão das cenas aumenta.

 

Carolina Mânica e Daniel Alvim apresentam interpretações viscerais  Eles transmitem, no início, a jovialidade de Donai e Mona, com um olhar de esperança e carinho. Aos poucos, o olhar perde o brilho e o desespero guia as ações dos personagens, com movimentos cada vez mais abruptos.

O desenho de luz, assinado por Caetano Vilela, merece menção. Como as variações de tempo e espaço são várias, os atores são os responsáveis pelas mudanças dos objetos no palco (além de trocarem de roupa várias vezes). A luz delimita essas mudanças, além de evidenciar a dramaticidade das cenas.

Como as trocas de cenário são inúmeras, há blackouts. Eles poderiam cansar o espectador, mas a junção entre a trilha e a movimentação dos atores, os quais muitas vezes correm em cena com movimentos bruscos, evidencia a tensão que cada vez mais toma conta da vida dos personagens.

Dias de Vinho e Rosas é um espetáculo necessário por tratar de um tema tão delicado e importante. A montagem, no entanto,não tem fins morais, nem didáticos (o foco está no amor de um casal que aos poucos vai se esvaindo), mas contribui para reflexão sobre os danos causados pelo alcoolismo.

 

Ficha Técnica:

Texto: Owen McCafferty.

Tradução: Clara Carvalho

Direção: Fabio Assunção

Elenco: Carolina Mânica e Daniel Alvim

Iluminação: Caetano Vilela

Direção Musical: Egberto Gismonti

Trilha Sonora: Egberto Gismonti e Ricardo Severo

Figurinos e Cenografia: Fábio Namatame

Direção de Produção: Edinho Rodrigues

Realização: FASS Produções, Carolina Mânica & Brancalyone Produções

 

SERVIÇO:

Espetáculo DIAS DE VINHO E ROSAS

Teatro Espaço Viga

Endereço: Rua Capote Valente, 1323 – Pinheiros, São Paulo – SP

Horários: Sextas, às 21h30 – Sábados, às 21h00 – Domingos, às 19h00

Preços: Sextas: R$ 30,00 – Sábados: R$ 40,00 – Domingos: R$ 40,00. Até 31/05, com possibilidade de prorrogação da temporada.

Duração: 90 minutos (previsto)

Lotação: 100 lugares

Classificação Etária: 14 anos

Horário de funcionamento da bilheteria: quarta a domingo a partir das 17h00

Formas de Pagamento: Dinheiro e Cartão (débito e crédito). Telefone da bilheteria (11): 3801-1843 ar condicionado

Vendas pela Internet: www.ingressorapido.com.br – 4003-1212

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*