Crítica: Últimos dias para conferir Elis , A Musical no Teatro Alfa

Nanda Rovere, do Aplauso Brasil (redacao@aplausobrasil.com)Elis-A-Musical-destaque1

SÃO PAULO – Elis, A musical finaliza a sua temporada paulistana e sai de cartaz domingo (27). O espetáculo, que teve lotação esgotada no Teatro Alfa, recupera momentos significativos da trajetória de Elis Regina e apresenta personalidades de importância para a nossa cultura, entre eles: Miele, Jair Rodrigues, Vinícius de Moraes, Tom Jobim, Ronaldo Bôscoli e César Camargo Mariano. Com texto de Nelson Motta e Patrícia Andrade e direção de Dennis Carvalho, apresenta Laila Garin como Elis Regina.

Elis, A Musical não tem a pretensão de colocar em cena uma reconstituição fiel da vida da cantora (interpretada pela atriz Laila Garin), mas acompanha a trajetória profissional desde as primeiras apresentações, em Porto Alegre, até a consolidação do seu sucesso e a morte prematura.

"ELIS, A MUSICAL". Foto: divulgação
“ELIS, A MUSICAL”. Foto: divulgação

O musical também coloca em evidência a sua relação conturbada com o primeiro marido, Ronaldo Bôscoli (Tuca Andrada), o segundo casamento com  César Camargo Mariano (Cláudio Lins) e o seu temperamento difícil, que lhe rendeu o apelido de  “pimentinha¨.

O espetáculo expressa também todo o talento de uma cantora que se entregava de corpo e alma às suas interpretações e que detém uma das vozes mais marcantes da nossa MPB.

Alguns momentos de destaque são: O Fino da Bossa, programa de Elis com Jair Rodrigues, a relação conturbada com o primeiro marido, a gravação de Águas de Março, com Tom Jobim, a interpretação de Aos Nossos Filhos  (de Ivan Lins e Vitor Martins) e Redescobrir (de Gonzaguinha), que finaliza a apresentação.

Apesar das inúmeras mudanças de cenário, do elenco grandioso e de figurinos inspirados no modo de vestir dos personagens famosos, a montagem não chama atenção pela cenografia, apesar desses elementos merecerem menção positiva, mas sim pelo elenco de enorme talento e pela trilha, que traz canções que costuram as cenas, como Atrás da Porta, Águas de Março, Canção Da América, Como Nossos Pais, Fascinação, O Bêbado e o Equilibrista, Madalena, O Trem Azul e Redescobrir.

A montagem segue o modelo de outros musicais que homenageiam personalidades da nossa cultura, como Rita Lee, Cazuza e Tim Maia. Os diálogos buscam transmitir, com a maior precisão possível, a alma de Elis e o objetivo não é mesmo inovar, mas emocionar os fãs da cantora.

A opção é por homenagear, sem entrar em questões como o uso de drogas e bebidas alcoólicas.  Neste sentido, a morte de Elis não é encenada, mas indicada através de uma cena que simboliza o seu legado e o quanto ela é admirada.

A Elis do musical é romantizada, o mesmo que acontece em Rita Lee Mora ao Lado, por exemplo. Além disso, artistas como Milton Nascimento ( sobre quem Elis sempre dizia que se Deus tivesse voz, seria a dele), são somente citados.

"ELIS, A MUSICAL". Foto: divulgação
“ELIS, A MUSICAL”. Foto: divulgação

O elenco traz atores e cantores de muito talento. Cláudio Lins (Cásar Camargo Mariano), Tuca Andrada (Ronaldo Bôscoli),  Leo Diniz ( Tom Jobim), Caike Luna ( Miele) e  Ícaro Silva (Jair Rodrigues) estão entre os destaques.

Os atores apresentam gestos e atitudes que lembram os artistas que interpretam, mas criaram personagens que trazem a essência de cada um deles sem cair no estereótipo.

Laila Garin como Elis está excelente. Laila tem uma voz privilegiada e vive a cantora com maestria. Carismática, é responsável por momentos de emoção e os aplausos são calorosos. Conquistou, merecidamente, os Prêmios Shell, Cesgranrio e Quem de Melhor Atriz.

Como curiosidade, vale ressaltar que Laila não tem traços que lembram Elis, mas com a sua interpretação e com detalhes de caracterização, como cabelo, parece que estamos vendo e ouvindo a “pimentinha¨ no palco. É impressionante!

Sobre Laila Garin

Nascida em Salvador, é filha de mãe baiana e pai francês. Enfrentou 200 candidatas – tendo chegado à final com sete delas. É formada em canto lírico e popular. Depois de atuar em “Eu te amo mesmo assim” e “Enlace – A Loja do Ourives”, também atuou em “Gonzagão – A Lenda, antes de ser escolhida para protagonizar Elis , A musical.

Ficha Técnica:

Texto: Nelson Motta e Patrícia Andrade,

Direção: Dennis Carvalho

Direção Musical e Arranjos: Delia Fischer

Coreógrafo e Diretor de Movimento: Alonso Barros

Direção de Arte e Cenografia: Marcos Flaksman

Desenho de Luz: Maneco Quinderé

Figurinista: Marília Carneiro

Visagista: Beto Carramanhos

Produtora de elenco: Marcela Altberg

Produção: Aventura Entretenimento

Serviço:

Elis, A musical:

Até 27 de julho de 2014

Local: Teatro Alfa (Rua Bento Branco de Andrade Filho, 722 – Santo Amaro, São Paulo,

Telefone: (11) 5693-4000

Horários: Quintas feiras: 21h00 / Sextas-feiras: 21h30hs / Sábados:16h00 (com Lílian Menezes no papel de Elis Regina) e 20h30 / Domingos: 15h00 (com Lílian Menezes no papel de Elis Regina) e 19h00.

Duração: 180 min (com intervalo de 15 min) – 130 minutos

Classificação: Não recomendado para menores de 12 anos.

Ingressos:

Quintas-feiras e sextas-feiras:

VIP – R$ 140,00

Plateia – R$ 120,00

Balcão I – R$ 80,00

Balcão II – R$ 40,00

Sábados (duas sessões) e Domingos:

VIP: R$ 180,00

Plateia – R$ 160,00

Balcão I – R$ 100,00

Balcão II – R$ 60,00

Atenção:

Sessões extras dias 16 e 23 de julho, quartas, às 21h00.

Turnê: Belo Horizonte: 11, 12 e 13 de setembro; Curitiba: 19, 20 e 21 de setembro; Brasília: 27 e 28 de setembro; Porto Alegre: 9, 10 e 11 de outubro.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado