CRÍTICA: UM OLHAR SOBRE O AUSTERO AMOR DE “TERESINHA”

SÃO PAULO – Não entenda austero como negativamente inflexível, antes a Teresa D’Ávila que Lucélia Santos apresenta no solo Teresinha, Vida e Morte de Santa Teresa  D’Ávila, até domingo no SESC Santo Amaro, fixa seu olhar como “Aquela-que-não-faz-concessões” ao seu amor e esposo Deus-Jesus. Descreve os passos da menina Teresinha que virou irmã carmelita, sofreu uma doença com extrema resiliência, por acreditar e amar Àquele que considerava ser justo a ponto de fazê-la passar por uma série de dificuldades.

Como uma espécie feminina de Jó, Teresa aceita com felicidade e paciência (coisa que ela não se cansa de agradecer durante toda a peça, o dom da paciência) todas as “provas” que definem suas passagens, inclusive acredita que por ser uma alma pecadora e cheia de defeitos merecia ter uma vida mais dura, impondo-se a ter menos regalias e mais clausura já que, acredita ela, necessitar em tempo integral a autorreflexão e continuas reflexões (aqui está um dos mais celebres pensamento da mística medieval, da qual ela é uma das representantes), além de poucos cuidados com a vaidade, inclusive é uma das reformadoras da Ordem Carmelita que, doravante, é conhecida como “carmelitas de pés descalços”. Historicamente ela é a primeira doutora da igreja e fundou dezenas de mosteiros carmelitas.

Entretanto, não fosse a forma apaixonada e plena de fé cênica com que Lucélia Santos se entrega à personagem, poderia dar ao belo trabalho dirigido e concebido por Bruno Siniscalchi, menor impacto quanto à verossimilhança, ainda mais nesses tempos em que a fé, seja em Deus ou no próprio ser-humano, anda tão escassa, literalmente de pés descalços.

A cenografia, também assinada por Siniscalchi, um chão de terra, ao mesmo tempo tão belo e bem utilizado; a luz de Binho Schaefer que dialoga com a cena; a trilha caprichada de Dany Roland, enfim, muitos são os elementos que tornam Teresinha um espetáculo inesquecível, pena que teremos apenas três chances de conferi-lo.

FICHA TÉCNICA

 

concepção e direção

BRUNO SINISCALCHI

 

dramaturgia

ANDRÉ SANT’ANNA

 

atuação

LUCÉLIA SANTOS

 

luz

BINHO SCHAEFER

 

trilha sonora

DANY ROLAND

 

cenário e direção de arte

BRUNO SINISCALCHI

 

fotos

MARCELLA GARBO

WILTON MONTENEGRO

 

escultura no projeto gráfico

FERNANDO ZARIF

 

direção de produção

CLAUDIA BUENO

 

SERVIÇOS:

Teresinha – Vida e Morte de Santa Teresa D’Ávila

Quando: De 25 de agosto a 17 de setembro

Horário: Sextas, às 21h. Sábados, às 20. Domingos, às 18h.

Local: Teatro 1º andar

Duração: 90 minutos

Classificação: 16 anos

Ingressos: R$ 40,00 (inteira); R$ 20,00 (estudantes, +60 anos e aposentados, pessoas com deficiência e servidores da escola pública) e R$ 12,00 (Credencial Plena válida: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculados no Sesc e dependentes).

 

SESC SANTO AMARO

Endereço: Rua Amador Bueno, 505, Santo Amaro

Acessibilidade: universal.

Estacionamento da unidade: R$ 5,50 a primeira hora e R$ 2,00 por hora adicional (Credencial Plena); R$ 12,00 a primeira hora e R$ 3,00 por hora adicional (outros).

Preço único mediante apresentação de ingresso (a partir das 18h): R$ 7,50 (Credencial Plena) e R$ 15,00 (outros).

Disponibilidade: 158 vagas para carros e 36 para motos. A unidade possui bicicletário gratuito.

 

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.