Depois de lotar a Galeria Olido, espetáculo sobre contos de Edgar Allan Poe volta

SÃO PAULO – Companhia Nova de Teatro, que completa 18 anos em 2019, apresenta o universo fantástico e fantasmagórico de A Cripta de Poe em agosto, com entrada pague o quanto puder, no Centro Cultural Olido. Espetáculo multimídia celebra os 210 anos de Allan Poe.

Após as apresentações concorridas no mês de janeiro, que tiveram sessões esgotadas, o público terá a chance de ver novamente A Cripta de Poe, que volta a ser apresentada no Centro Cultural Olido para únicas três apresentações.

As obras O Espectro, O Corvo, O Retrato Oval, Berenice, Ligéia, William Wilson e o Coração Denunciador, são a base da dramaturgia do espetáculo, concebido em formato de “palco-instalação”, aliado a intervenções videográficas e ressaltando elementos de suspense e fantasmagoria, onde as personagens/figuras criam jogos neuróticos e obsessivos.

O espetáculo tem a concepção cênica e dramatúrgica de Lenerson Polonini, carioca que vem construindo sua trajetória teatral em São Paulo. Aos 39 anos, o fundador da premiada Companhia Nova de Teatro tem seu trabalho reconhecido por encenações estilizadas, performáticas e com grande apelo visual, utilizando o vídeo como fonte de luz e reverberação inconsciente das personagens.

 

A Cripta de Poe

A Cripta de Poe estreou em dezembro de 2011 na capital paulista, cumprindo sua primeira temporada no Centro Cultural São Paulo, onde obteve excelente retorno de público e da mídia. Em 2012, no Rio de Janeiro, a Companhia Nova de Teatro criou uma versão especial, em formato site specific, desenhada exclusivamente para uma curta temporada no Castelinho do Flamengo. Nessa ocasião, toda a arquitetura do Centro Cultural Oduvaldo Vianna Filho – Castelinho – foi explorada de forma a contribuir para a representação do universo fantástico e fantasmagórico dos contos e personagens de Edgar Alan Poe. Na ocasião, todas as sessões tiveram seus ingressos esgotados, com grande demanda para que a temporada prosseguisse, o que não foi possível naquele momento, mas impulsionou a companhia a trazer novamente o espetáculo ao Rio.

 

Nesta nova versão, que teve estreia em 2015 na moderna Biblioteca Parque Estadual do Rio de Janeiro, local de inquestionável relevância para a cidade e para a história do Rio de Janeiro, a estrutura do local, juntamente com as projeções e vídeo mapeados do espetáculo, buscam trazer a atmosfera exigida para o mundo fantástico e fantasmagórico de Edgar Allan Poe, acrescentando novas imagens e textos dramatúrgicos.

 

O projeto participou do Circuito Cultural Paulista da Secretaria de Estado da Cultura, circulando por 08 cidades do interior do estado, entre os meses de agosto e setembro de 2016, como parte das comemorações dos 15 anos da Companhia Nova de Teatro.

 

A essência de toda a prosa de Poe apoia-se no fantástico das exacerbações da natureza humana: alucinações, cuja lógica ultrapassa a da consciência habitual; mentes irrequietas e febris; personagens neuróticas; o duplo de cada homem. O espetáculo joga luz sobre as questões que assombram o homem contemporâneo, seus conflitos psicológicos, seus medos e fantasmas, o “desconhecido” da alma humana e seus reflexos no comportamento e nas relações interpessoais.

 

O fatalismo e o mergulho no desconhecido revelam uma vivência pessoal que fez de Poe um dos principais escritores malditos da literatura universal. A influência do autor estendeu-se à poesia simbolista, à ficção científica, ao romance policial moderno e psicológico, ao cinema e às artes. E também é percebida nos hábitos e costumes em diversas épocas, encontrando reverberações no comportamento de jovens pelo mundo todo; nos estilo “dark ” e “emo”, por exemplo.

 

A primeira versão do espetáculo inspirado no poeta e escritor Edgar Alan Poe estreou em 2011, com a parceria da Cia. Teatro Del Contagio, grupo estabelecido em Milão.

A peça conta com a participação em vídeo do ator Paulo César Peréio, como o “Velho Poe”.

 

SINOPSE DOS CONTOS

 

O Espectro

Havia sido um ano de terror. A peste arrebatara inúmeras vidas, e aqueles sete homens se encontravam reunidos, junto ao corpo de um amigo falecido, a rir e a beber. Mas nenhum terror no mundo teria sido suficiente para prepará-los para o que estavam prestes a ouvir, ao avistarem a presença daquele misterioso vulto negro.

 

O Retrato Oval

Em um castelo misterioso e abandonado, um estranho retrato oval captura a atenção de um invasor. Pendurado em um canto obscuro da sala em que o homem se encontrava, o sinistro retrato parecia possuir vida própria. Sob a luz de um candelabro, o invasor descobre a trágica história da bela dama retratada e do seu pintor.

 

Corvo

Em uma noite solitária e triste, uma visita inesperada surpreende e terrifica o anfitrião, que se encontrava perdido em seus devaneios. Enlutado pela morte de sua amada Lenora, escuta um leve bater em sua porta e assusta-se. Porém, ao abrir a porta, encontra somente trevas. Ao tentar a janela, um grande corvo entra pela fresta. O seu nome é “Nunca Mais”.

 

Berenice

Uma doença mórbida se apossa do corpo daquela a quem chamam Berenice. Ela, que sempre havia sido alegre, jovial e vivaz, agora é consumida lentamente por uma enfermidade que suga sua vitalidade. Seu primo e futuro marido, atormentado por suas próprias moléstias e loucura, tem delírios macabros e seu único e terrível desejo são os dentes.

 

Ligéia

Ligéia, dotada de uma indomável vontade de viver, é uma mulher pálida e frágil, de cabelos negros e olhos grandes cor de ébano. Após a sua morte, o viúvo casa-se com Lady Rowena, uma mulher de cabelos loiros e olhos azuis, que também vem a falecer. Então, espantosas e sucessivas mutações começam a ocorrer.

 

O Coração Denunciador

Um homem nega sua loucura e está decidido a provar ao leitor que é são. Para ele, o seu problema está unicamente no olho do seu amo. Sim, um olho com catarata de um velho que nunca lhe fizera mal. Decidido a fazer algo sobre isso, ele planeja com tranquilidade formas de alcançar seu intento. Preocupando apenas com os detalhes do plano perfeito que fará com que ele se livre do maldito olho de uma vez por todas, aos poucos ele mostra como é fina a linha que separa a sanidade da loucura.

 

 

FICHA TÉCNICA

A Cripta de Poe

Baseado livremente na obra de Edgar Allan Poe

Direção, dramaturgia e iluminação: Lenerson Polonini

Elenco: Afonso Henrique Soares, Carina Casuscelli, Rosa Freitas, Rafael Schmitt, Claudia Wer e Guil Silveira.

Participação especial em vídeo: Paulo César Peréio

Direção de Arte, figurinos e maquiagem: Carina Casuscelli

Música: Wilson Sukorski

Videocenário: Acauã Fonseca e Alexandre Ferraz.

Operação de som: Magnus Crow

Operação de luz: Verônica Castro.

Assistente de imagem: Henrique Oda

Realização: Companhia Nova de Teatro- 18 anos

 

 

SERVIÇO

 

Informações Gerais:

Apresentações: dias 30 e 31/08, às 20h; e 01/09/2019, às 19h.

Espaço: Centro Cultural  Olido – Sala Olido- 2º Andar (Av. São João, Nº 473, centro, São Paulo – SP).

Os ingressos serão entregues 1h antes do espetáculo.

Contato para informações: 11 2899-7370 – e-mail: comunicacao.olido@gmail.com

Classificação: 16 anos

Duração: 60 minutos

Entrada: Pague o quanto puder

Contatos da produção:

lpolonini@yahoo.com.br

021- 9 9491 6198

http://www.cianovadeteatro.com

http://www.flickr.com/photos/cianovadeteatro

http://www.facebook.com/cianovadeteatro

 

 

Kyra Piscitelli

Kyra Piscitelli é jornalista formada pela Universidade Metodista de São Paulo e fez pós-graduação em Globalização e Cultura pela Faculdade de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP). Escreve sobre teatro e arte desde de 2009. Integra os Juris da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) e do Prêmio Aplauso Brasil. Ávida por conhecimento, se não está em viagem ou estudo, só há um lugar para achá-la: o teatro!

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*