Desce o pano da temporada 2009

Michel Fernandes, especial para o Último Segundo (michelfernandes@superig.com.br)

A atriz Fernanda Montenegro
A atriz Fernanda Montenegro

Com esse artigo desço o pano sobre a retrospectiva teatral a que empreendi esforços em três artigos anteriores. Temporada que vai, temporada que vem. Dias bons, outros nem tanto. Como o curso da vida o é, a temporada teatral segue de forma efêmera e, neste 2009, reservou-nos momentos de plena fruição estética, puro entretenimento e uma diversidade sem-tamanho.

Vale destacar o trabalho de grupos como Os Fofos Encenam com sua versão da peça mítica de Nelson Rodrigues, Álbum de Família, que recebeu o nome de Memórias da Cana e um sotaque nordestino na concepção encenada por Newton Moreno, além de uma excelente interpretação de Marcelo Andrade na pele de Jonas, protagonista da peça; a Armazém Cia. de Teatro trouxe sua mais nova perola de um repertório impecável, a premiada Inveja dos Anjos que percorreu quase todas as regiões do país; o Oficina Uzyna Uzona, dirigido por Zé Celso, apresentou sua segunda parte da tetralogia sobre a atriz Cacilda Becker, Cacilda – Estrela Brazyleira à Vagar, uma ode à história do teatro brasileiro nos anos que antecedem sua entrada à era moderna; já Antunes Filho, no auge de sua inquietude criadora, trouxe uma vertiginosa leitura do espetáculo A Falecida, de Nelson Rodrigues, à qual acrescentou o sufixo Vapt-Vupt.

Ao completar seus 80 anos idade, assim como Antunes Filho, a atriz Fernanda Montenegro apresentou, no Teatro SESC Anchieta, o projeto Caminhos da Liberdade, que trazia um documentário seguido por debate sobre Simone de Beauvoir, além do monólogo Viver em Tempos Mortos, em que, na pele de Beauvoir, Fernanda Montenegro com linguagem sintética e pungente rememorou traços da trajetória de Simone, como seu “casamento aberto” com Jean-Paul Sartre e sua atuação no movimento filosófico conhecido como Existencialismo, além de seu fundamental papel no movimento feminista com a publicação de O Segundo Sexo.

LEIA TAMBÉM

Festivais e SESC SP deixam suas marcas na temporada 2009

Musicais definem novos velhos rumos do entretenimento teatral

Um pouco de 2009 no Teatro

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*