Deus busca terapia em peça estrelada por Irene Ravache e Dan Stulbach

Nanda Rovere, do Aplauso Brasil (nanda@aplausobrasil.com)

Irene Ravache e Dan Stulbach estrelam  o espetáculo "Meu Deus"Foto: João Caldas
Irene Ravache e Dan Stulbach estrelam o espetáculo “Meu Deus”Foto: João Caldas

SÃO PAULO- Meu Deus! traz aos palcos um fato inusitado: Deus está desesperado e procura uma psicóloga para fazer terapia. O texto é da dramaturga israelense Anat Gov. No palco, estão os atores Irene Ravache e Dan Stulbach, além de Pedro Carvalho, estreante no teatro.  A versão brasileira é de Célia Regina Forte.

A peça chama a atenção do público em todos os lugares em que é encenada pelos diálogos ágeis e pela mistura de comédia e reflexão, numa história que coloca em xeque a relação entre Deus e os seres humanos.

A produção brasileira é assinada pela Morente Forte. Assim que leu a versão do texto em espanhol, Célia Forte ficou encantada com o conteúdo e convidou Elias Andreato, Irene Ravache e Dan Stulbach para integrarem o projeto.

A história se passa num dia na vida da psicóloga Ana (Irene Ravache), que recebe um telefonema de um homem desesperado (Dan Stulbach). Ele implora para que Ana o receba para uma conversa urgente. Diante de muita insistência, ela marca um horário, mas diz que só há vaga para uma consulta.

Irene Ravache e Dan Stulbach. Foto: João Caldas
Irene Ravache e Dan Stulbach. Foto: João Caldas

 

 

 

Assim que chega ao consultório de Ana, o misterioso homem apresenta-se como sendo Deus, e diz que está muito deprimido com a situação do Paraíso.

No texto, Deus é justo, bondoso e misericordioso, mas tem dúvidas quanto às suas ações e não está satisfeito com a humanidade. Com muito humor, ele tenta compreender a si mesmo.

Quando a psicóloga é procurada por esse homem que afirma ser Deus, ela acredita que ele é um louco e por isso acaba aceitando atendê-lo.

Segundo Irene, a sua personagem tem dúvidas quanto à veracidade de sua identidade, mas mesmo assim estabelece com ele um diálogo perturbador. Aos poucos, ele demonstra que está falando a verdade e Ana aproveita para fazer a ele perguntas das quais todos nós gostaríamos de saber as respostas, muitas delas banais.

Deus é humanizado e, a partir dessa improvável situação, o texto propõe várias discussões.  Meu Deus! reflete sobre a Criação, as ações humanas e os castigos e punições que,  teoricamente, o divino impõe aos humanos pelos seus atos.

A obra coloca em questão o papel da psicanálise, do teatro e das religiões, sem nenhuma ofensa às diferentes crenças. ¨Discute a fé no teatro¨, define o ator Dan, ressaltando que a autora retrata Deus de modo lúdico e imaginativo.

Para Stulbach, que é judeu, Meu Deus! questiona a nossa mitologia, a nossa criação e isso é mais importante do que a reflexão da existência ou não de Deus.

O diretor Elias Andreato define Meu Deus! como uma comédia inteligente, bem produzida e com bons atores.  É uma fábula sem pretensão. ¨Só o fato de Deus estar em cena já é emblemático¨, diz.

Irene Ravache volta aos palcos como a terapeuta de Deus. Foto: João Caldas
Irene Ravache volta aos palcos como a terapeuta de Deus. Foto: João Caldas

A sua direção valoriza a delicadeza, a comicidade e a poesia do texto e respeita a tradução assinada por Célia Forte, que imprime humor e romantismo às cenas. ¨Temos o compromisso da comédia, mas não queremos fazer a plateia rir a qualquer custo¨, declara. ¨Nosso objetivo é divertir as pessoas¨, complementa  Andreato.

O diretor acredita no sucesso do espetáculo, na medida em que falar sobre Deus e as suas dúvidas coloca em xeque a criação dos homens e as suas ações.  Para ele, nesse mundo caótico em que vivemos, a necessidade do ser humano acreditar em alguma coisa é muito grande.

Ressalta que trabalhar com Dan Stulbach e Irene Ravache é um prazer, sobretudo porque Irene dá o tom exato da delicadeza contida no texto e tem um humor apurado.

Foi Andreato quem convidou Pedro Carvalho, que completa o elenco da montagem. O estreante ator vive o filho da psicóloga, um garoto autista que tem participações pontuais, mas essenciais para a trama.

Irene volta aos palcos após um longo tempo (o seu último trabalho no teatro foi A Reserva , de Marta Goes, em 2008).

Dan, por sua vez, diz que está num momento de sonho porque sempre admirou e acompanhou a carreira de Irene, além de ter sido dirigido por Elias quando foi convidado para substituir Cássio Scapin no espetáculo Visitando o Sr Green, ao lado de Paulo Autran.

Ficha Técnica:

Texto Anat Gov

Adaptação Jorge Schussheim

Tradução Eloísa Canton

Versão Célia Regina Forte

Direção Elias Andreato

Elenco

Irene Rache – Ana

Dan Stulbach – Deus

Pedro Carvalho – Paulo

Cenário Antonio Junior

Figurino Fause Haten

IluminaçãoWagner Freire

Trilha SonoraJonatan Harold

Assessoria de Imprensa Daniela Bustos e Beth Gallo – Morente Forte Comunicações

Programação Visual Vicka Suarez

Fotos João Caldas

Assistente de Direção Andréa Bassitt

Assistente de IluminaçãoAlessandra Marques

Assistente de Figurino Gabriela Marumoto

Assistente de Fotografia Andréia Machado

Assessoria Contábil Marina Morente

Assistente de Produção Celso Dornellas e Thaís Peres

Administração Magali Morente

Produção Executiva Kátia Placiano

Coordenação de Projetos Egberto Simões

ProdutorasSelma Morente e Célia Forte

Realização Morente Forte Produções Teatrais

 

Serviço

Meu Deus!

Teatro FAAP (500 lugares)

Rua Alagoas, 903 – Higienópolis.

Informações e Vendas: 3662.7233 e 3662.7234.

www.teatrofaap.com.br

Bilheteria: de quarta a sábado, das 14h às 20h. Domingo das 14h às 17h.

Aceita cartão de débito e crédito: Visa, Master ou Dinners. Não aceita cheque.

Estacionamento gratuito, com vagas limitadas. Acesso para deficiente. Ar-condicionado.

Sextas às 21h30 | Sábados às 19h e 21h30 | Domingos às 18h

Ingressos: Sextas R$ 60 | Sábados R$ 80 | Domingos R$ 70

Duração: 80 minutos

Recomendação: 12 anos

Estreia dia 28 de março

Temporada: até 27 de julho

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado