Deus da Carnificina faz temporada popular no Teatro Sérgio Cardoso

Redação do Aplauso Brasil (redacao@aplausobrasil.com.br)

foto de Guga Melgar
foto de Guga Melgar

SÃO PAULODepois de temporada no Teatro Vivo, em 2011, e viagens pelo Brasil, Deus da Carnificina, uma comédia sem juízo Encenada pela primeira vez em 2006, em Zurique, Deus da Carnificina tem conquistado no Brasil elogios da crítica e do público. Foi indicada a vários prêmios e a atriz Julia Lemmertz ganhou o Prêmio APTR de Teatro na categoria de Melhor Atriz Protagonista e o Prêmio Quem, na categoria Melhor Atriz de Teatro.

Deus da Carnificina retrata as mazelas da sociedade atual, individualista e com uma dificuldade imensa para resolver os seus problemas através de um diálogo respeitoso, em que cada um exponha os seus pontos de vista com coerência.

A peça, que virou filme dirigido por Roman Polanski, apresenta o encontro de dois casais para a resolução de um problema: a briga de seus filhos.

Esse fato serve de mote para que os personagens estabeleçam uma conversa em que o objetivo principal, a briga dos filhos, fica em segundo plano.

foto de Guga Melgar
foto de Guga Melgar

Apesar de serem comedidos, perdem a compostura (não conseguem se comunicar) e começam a trocar ofensas pessoais. A conversa se transforma num jogo de egos. Os problemas pessoais e profissionais dos casais são expostos.

Pessoas aparentemente educadas, se mostram, portanto, arrogantes e com prazer em agredir o próximo. A mediocridade e a futilidade dominam a cena, numa montagem cheia de tensão e, ao mesmo tempo, engraçada. Revela as ridicularidades do ser humano.

“Eu escrevo um teatro de tensão, porque as tensões nos governam. Meus personagens são pessoas educadas que pretendem manter a compostura. Mas também são impulsivos, não conseguem manter as regras que impuseram a si mesmos. E é precisamente essa luta contra si mesmo que me interessa”, diz Yasmina Reza sobre o texto.

Deus da Carnificina tem o patrocínio da Vivo, através do Programa Vivo EnCena, que estimula o intercâmbio de projetos com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento do país e da sociedade como um todo.

Ficha técnica:

Elenco: Deborah Evelyn, Julia Lemmertz, Orâ Figueiredo e Paulo Betti
Texto: Yasmina Reza
Tradução: Eloisa Ribeiro
Direção: Emilio de Mello
Assistente Direção: Raquel Karro e Leonardo Carvalho
Direção de Produção: Cinthya Graber e Jose Carlos Furtado
Produção Executiva: Cinthya Graber e Adriana Zonis
Assistente Produção: Marcell Barboza e Lucia Maria Ferreira
Cenografia: Flavio Graff
Assistente de Cenografia: Markoz Vieira
Iluminação: Renato Machado
Figurino: Marília Carneiro
Assistente Figurino: Paula Carneiro
Projeto Gráfico: Olivia Ferreira e Pedro Garavaglia – RádioGráfico
Música Original e Projeto de Som: Marcelo Neves
Relações Públicas / Convidados: Liege Monteiro
Assessoria de Imprensa: Liege Monteiro e Luiz Fernando Coutinho
Técnica de Alexander: Valéria Campos
Visagismo: Lindalva Veronêz
Efeitos Especiais: Federico Farfan
Contra Regra: Luiz Monteiro
Camareira: Sonia Crioula
Operador som e luz: Rodrigo Mello
Administração do Espetáculo: Adriana Zonis
Uma produção: Cinthya Graber e Nacho Laviaguerre

Serviço:

Deus da Carnificina

Teatro Sérgio Cardoso – Sala Sérgio Cardoso. Sex, 21h30; sab, 21h; dom, 18h. R$40. 14 anos. Estreia 12/04.

R. Rui Barbosa, 153 – Bela Vista – Centro. Telefone: 3288-0136.
Aceita os cartões Visa. Ingresso: R$ 40. Não tem área para fumantes. Não aceita cheques. Não aceita reservas. Tem ar-condicionado. Vende ingresso pelo telefone. Tem acesso para deficiente. Tem local para comer. 856 lugares
Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

2 Comentários

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*