Dzi Croquettes chega aos cinemas

Luís Francisco Wasilewski, especial para o Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

Dzi Croquettes, os internacionais

“Eu não sabia direito o que eles eram. Na minha visão de criança eles eram palhacinhos”. Estas são as falas iniciais do documentário sobre o revolucionário grupo de teatro-dança Dzi Croquettes – O Documentário, dirigido por Tatiana Issa e Raphael Alvarez que, felizmente, chega, agora, dia 16 de julho aos cinemas brasileiros.

Tatiana criou o filme a partir de sua memória afetiva. Quando criança ela, junto de seu pai, o cenógrafo Américo Issa, conviveu com a trupe.  Portanto, recuperar a história da companhia é, também, recuperar a história de Américo, que foi um cenógrafo importante do teatro brasileiro.

O Dzi Croquettes era formado pelos seguintes artistas: Lennie Dale, Wagner Ribeiro, Cláudio Tovar, Cláudio Gaya, os irmãos Rogério de Poly e Reginaldo de Poly, Bayard Tonelli, Paulo Bacellar, Benedictus Lacerda, Carlos Machado, Eloy Simões, Roberto Rodrigues e Ciro Barcelos. Essa foi a formação original do grupo. Depois, nomes como Dario Menezes, Fernando Pinto e Jorge Fernando farão parte da companhia.

Deles, estão vivos apenas Tovar, Reginaldo, Bayard, Benedictus, Ciro, Jorge e Dario. Isso foi um dos fatores que dificultou o trabalho de Tatiana e Raphael para a realização do filme, a falta de material sobre as encenações do grupo e a ausência da maior parte dos seus integrantes.

No livro Ela é Carioca, o escritor Ruy Castro fala de uma maldição que aconteceu ao grupo, o fato de a maior parte dos integrantes terem morrido precocemente.

Eles surgiram no momento mais violento do regime militar brasileiro. A obra de Tatiana e Raphael contextualiza bem essa época com depoimentos de Ney Matogrosso, Aderbal Freire Filho, Elke Maravilha, entre outros.

"Dzi-Croquettes" ganha documentárioO propósito do grupo era “fazer a união da força do macho com a graça da fêmea”. Por isso, eles criaram espetáculos que satirizavam a política e a sociedade fazendo um farto uso do travestimento masculino.

Desse modo, serviram de influência para Ney Matogrosso e a estética dos seus espetáculos, bem como o besteirol carioca. No documentário nomes como Pedro Cardoso, Miguel Falabella e Cláudia Raia reconhecem a importância dos Dzi em suas trajetórias artísticas como comediantes.

E o sucesso de Dzi Croquettes (As Internacionais, como eles se chamavam) não aconteceu só aqui. Houve, também, uma temporada de muito sucesso da companhia em Paris, onde eles tiveram como madrinha a cantora Liza Minnelli.

Liza é outra que participa do documentário, assim como outros nomes importantes como Duse Nacaratti ( A Criadora da Expressão “Tiete”), Betty Faria, Maria Zilda Bethlem, Marília Pêra, Gilberto Gil e muitos outros.

Desde as suas primeiras exibições no ano passado, o filme vem recebendo diversos prêmios, sendo um dos documentários com o maior número de premiações na história do cinema brasileiro. Foi eleito o Melhor Documentário no Festival do Rio de Janeiro, Melhor Documentário no Festival de Torino, Itália entre outras honrarias.

O "Dzi" Lenny Dale

Por isso, dia 16 de Julho é dia de colocar uma purpurina no corpo, embarcar no espírito croquette e assistir ao filme de Tatiana e Raphael que, é antes de tudo, uma aula sobre uma época importante do teatro brasileiro.

Assista ao clipe do documentário Dzi Croquettes

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*