Eduardo Moscovis vive um homem prestes a ficar cego no teatro

Nanda Rovere, do Aplauso Brasil (nanda@aplausobrasil.com)

Ator Du Moscovis faz monólogo curto na Cinemateca. Foto: Divulgação.
Ator Du Moscovis faz monólogo curto na Cinemateca. Foto: Divulgação.

O Livro traz para os palcos o ator Eduardo Moscovis, que vive um personagem prestes a perder a visão. Depois de temporadas no Rio de Janeiro, apresentações por diversas cidades brasileiras e uma única apresentação em São Paulo, no Itaú Cultural, a peça entra em cartaz na Cinemateca Brasileira, para uma temporada de dois meses. A direção de Christiane Jatahy e a autoria de Newton Moreno, um dos grandes nomes da dramaturgia atual.

O texto de Moreno é o ponto de partida para questionamentos sobre o poder da visão e da palavra.

O personagem, sem nome, recebe um livro do seu pai. Esse livro já passou por diversos membros da família que possuem uma doença degenerativa que causa cegueira.

O Livro é o aviso que a perda de visão pode acontecer a qualquer momento e o desespero toma conta desse homem, ávido por contemplar as coisas e que terá que aprender a viver com a deficiência.

Ele percorre o livro tentando encontrar algum sentido para o que está lhe acontecendo, sabe que será a última vez que poderá visualizar as frases, as letras do livro e tudo o que está a sua volta.

Monólogo O livro., Foto: divulgação.
Monólogo O livro., Foto: divulgação.

Com mudanças de luz, que oscilam entre claro e escuro, o personagem explora as palavras, seus significados, a sua grafia  e sobretudo os seus sons.

O público acompanha muito de perto as sensações e emoções, a respiração ofegante diante de um passeio desenfreado pelas páginas do livro. Em alguns momentos a sua vontade é sumir, desistir de tudo, mas não há o que se fazer além de aceitar as limitações que a vida irá lhe impor.

São 45 minutos de encenação, com interação entre o ator Du Moscovis, o personagem que interpreta e o espectador. Ele compartilha com o público os seus medos e consegue ativar a sua percepção para novos sentidos que vão além da visão.

Não há uma divisão nítida entre ator e personagem. A vida real e o fazer teatral se entrelaçam, já que todos nós passamos por transformações e precisamos lidar com limitações que a vida nos impõe. E isso não é fácil.

O Livro é um espetáculo tocante, que coloca à prova a capacidade de um homem de aceitar o seu destino. Como o tema é a visão, para quem é deficiente visual, como eu, a emoção aflora de modo retumbante.

Apesar do risco de cegueira ser praticamente inexistente, sempre há o medo de não enxergar, a dificuldade de andar pelas ruas diante de tantos obstáculos, a necessidade do uso dos óculos para que as palavras e imagens ganhem significado.

Moscovis é o responsável pelo manuseio da luz, da trilha e do cenário. Não há linearidade nas cenas, a ideia é transmitir emoções e sensações através do texto. da luz, da trilha e também do cenário, que se transforma no livro.

O ator fez pesquisas no Instituto Benjamin Constant, no Rio de Janeiro, para presenciar mais de perto o cotidiano dos cegos. Transmite com competência a alma desse homem que está entre a luz e as trevas e num limite tênue entre aceitar e amaldiçoar a sua sina.

O ator merece aplausos pela sua expressão corporal e pela sua entrega no tablado.

Ficha Técnica:

Texto – Newton Moreno

Direção – Christiane Jatahy

Elenco – Eduardo Moscovis

Assistente de direção – Stella Rabello

Trilha sonora – Rodrigo Marçal

Cenário – Christiane Jatahy

Projeto de iluminação – Paulo César Medeiros

Orientação corporal – Dani Lima

Programação visual – Evolutiva / Chris Lima

Fotos – Paula Kossatz

Direção de palco – Wellison Rodrigues

Pintura de arte – Adeílson Moreira

Direção de produção – Tatiana Garcias

Assistente de produção – Náshara Silveira

Realização – Eduardo Moscovis | Grega Produções

Serviço:

O Livro

De 5 de abril a 1º de junho (nos dia 10 e 11/5 não haverá espetáculo); sábados, às 20h  e 22h; domingos, às 19h

Cinemateca Brasileira – largo Senador Raul Cardoso, 207, Vila Mariana, São Paulo

Quanto: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)

Informações:  0/xx/11/94278-6973

Classificação indicativa: 12 anos

Lotação: 80 pessoas

Duração: 45 minutos

Classificação indicativa: 12 anos

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*