Ele ouve Mozart, ela escuta o homem

Theo Alves*, especial para o Aplauso Brasil

Luiz Antonio Rocha, Roberto Birindelli e Adriana Zattar - Foto: Daniel Isolani

Separados por uma parede e unidos pela solidão, Adriana Zattar e Roberto Birindelli dão vida ao drama de Francis Ivanovich em A História do Homem que Ouve Mozart e da Moça do lado que Escuta o Homem. Ele é um professor de literatura inundado pela depressão, ela conserta bonecas e procura aliviar a sua dor.

“O texto existe há vintes anos, mas na primeira versão tinha apenas o personagem masculino. Depois, o autor resolveu reescrever a peça e inserir a ‘moça do lado’”, explicou o diretor Luiz Antonio Rocha.

Em uma entrevista coletiva, concedida na manhã de hoje, durante o Festival de Curitiba, tanto o diretor da peça quanto os atores não contiveram o entusiasmo ao falar desse projeto. Para Roberto Birindelli, a história mexe com o espectador, que pode sentir-se incomodado com a angústia vivida pelos personagens.

A História do Homem que Ouve Mozart e da Moça do lado que Escuta o Homem fica em cartaz hoje e amanhã no Festival de Curitiba. O diretor Luiz Antonio Rocha também assina o cenário e o figurino da peça.

*Theo Alves viajou a convite do Festival de Curitiba.

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

1 comentário
  1. Com certeza a música de MOZART tomou conta de Curitiba e do ambiente do Festival. Luiz Antônio Rocha soube orquestrar esta música de forma densa, emocionante e perfeitamente teatral. Um grande espetáculo. Pena que não pude ficar para assistir. Embarcamos no domingo à tarde,l de volta para Paty do Alferes depois da última apresentação de Verão. De qualquer forma, as emoções se encontram em Curitiba.

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*