SÃO PAULO – Uma disputa bem-humorada entre a Comédia, representada por seu mais ilustre autor, Molière (vivido por Matheus Nachtergaele), e a Tragédia, personificada pelo poeta Jean Racine (Elcio Nogueira Seixas) estreia no Teatro do Sesi-SP a partir de 20 de abril. O espetáculo Molière – Uma Comédia Musical de Sabina Berman fica em cartaz até 29 de julho, com entrada gratuita.

Embalada por músicas de Caetano Veloso, executadas ao vivo e com arranjos originais do maestro Gilson Fukushima, montagem faz parte do projeto de intercâmbio cultural promovido pelo Sesi-SP e o Teatro Promíscuo para valorizar a dramaturgia latino-americana. A peça marca a estreia da obra teatral da renomada dramaturga mexicana Sabina Berman no Brasil. O espetáculo é dirigido por Diego Fortes, ganhador do Prêmio Shell em 2017 pelo espetáculo O Grande Sucesso.

Inspirada no próprio teatro de Molière, que fundia vários estilos em uma mesma obra (Commedia Dell’Arte; influências renascentistas e barrocas; humor satírico), a encenação busca integrar linguagens diversas em uma intensa dinâmica cênica.

Em cena, quatorze atores e músicos vão narrar o inusitado conflito entre formas opostas de pensar o mundo, expressas pelas famosas máscaras do Teatro: uma ri malandramente de tudo e de todos, a outra mostra reverência e temor diante da dor e da morte. O embate épico entre estas duas faces da vida tem como cenário a corte carnavalesca de Luis XIV, o Rei Sol (Nilton Bicudo), na França.

Serviço:

Molière – Uma Comédia Musical de Sabina Berman

Local: Teatro do Sesi-SP | Centro Cultural Fiesp (Av. paulista, 1313 – em frente à estação Trianon-Masp do Metrô)

Temporada: de 20 de abril a 29 de julho de 2018

Horários: quinta a sábado, às 20h; domingo, às 19h

Classificação indicativa: 16 anos

Duração: 120 minutos

Grátis. Reserva de ingressos pelo site www.centroculturalfiesp.com.br ou remanescentes diretamente na bilheteria do teatro (quarta a sábado, das 13h às 20h30 e domingo, das 11h) nos dias da apresentação.

 

Sinopse:  O ilustre dramaturgo Molière (Matheus Nachtergaele), mestre da Comédia, e o estreante autor épico Jean Racine (Elcio Nogueira Seixas), travam uma luta tragicômica, repleta de trapaças e reviravoltas, pelo domínio dos palcos da corte de Luiz XIV, o Rei Sol (Nilton Bicudo). O fanático Arcebispo Péréfixe (Renato Borghi), entusiasta da guerra, se aproveita do conflito entre os artistas para banir do reino o próprio Teatro, instaurando no país uma era de censura, violência e sacrifício. Uma miríade de personagens da aristocracia, da plebe, do clero, do exército, das tabernas e dos tablados desfilam por palácios, igrejas, salas de espetáculo, bordéis e campos de batalha. A orquestra do maestro Lully (Fábio Cardoso) embala essa tumultuada França do século XVII com o toque tropical das músicas do cancioneiro Caetano Veloso.

Ficha Técnica: Texto: Sabina Berman | Tradução: Elcio Nogueira Seixas e Renato Borghi | Adaptação: Diego Fortes e Luci Collin | Direção: Diego Fortes | Elenco: Matheus Nachtergaele, Elcio Nogueira Seixas, Renato Borghi, Nilton Bicudo, Rafael Camargo, Luciana Borghi, Georgette Fadel, Regina França, Marco Bravo, Débora Veneziani, Edith de Camargo, Fábio Cardoso, Maria Fernanda e Beatriz Lima | Cenografia: André Cortez | Figurino: Karlla Girotto | Direção Musical: Gilson Fukushima | Iluminação: Beto Bruel e Nadja Naira | Assistente de Direção: Carol Carreiro | Fotos: Eika Yabusame, Jamil Kubruk e Luísa Bonin, Paulo Uras – Estúdio FB |  Assessoria de Imprensa: Adriana Monteiro – Ofício das Letras | Coordenação de Produção: Luís Henrique Daltrozo (Luque) | Idealização: Teatro Promíscuo, Flo Produções e Lady Camis | Produção: Daltrozo Produções 

  • Matheus Nachtergaele ……. Molière
  • Elcio Nogueira Seixas …….. Racine
  • Renato Borghi …………….. Arcebispo Péréfixe
  • Nilton Bicudo …………….. Luís XIV, o Rei Sol
  • Rafael Camargo ………….. La Fontaine
  • Luciana Borghi …………… Madeleine e Rainha Mãe
  • Georgette Fadel………….. Gonzago
  • Regina França ……………. Mademoiselle Du Parc e Madame Parnelle
  • Marco Bravo ………………. Baron e Primeiro Médico
  • Débora Veneziani ………… Armande
  • Edith de Camargo ………… Marquês e instrumentista da orquestra de Lully
  • Fábio Cardoso ……………. Lully, o maestro
  • Maria Fernanda ………….. Anjo e instrumentista da orquestra de Lully
  • Beatriz Lima…………………… Instrumentista da orquestra de Lully