EM CARTAZ : ESPETÁCULO “11 SELVAGENS” RECRIA SITUAÇÕES REAIS INSPIRADAS PELA RECENTE TENSÃO NO PAÍS

SÃO PAULO – O espetáculo 11 Selvagens foi criado ao longo do ano de 2016 a partir de experiências e observações do grupo de atores. Segundo a produção as cenas são do cotidiano, em que explode um impulso descontrolado. Da violência à sensualidade, do absurdo ao trivial, são onze quadros interligados como uma camada de sociabilidade que pode rapidamente ser rompida em nossos dias, e tudo isso estreia hoje, 24 de março no  Pequeno Ato.

“O ponto de partida para o espetáculo é a tensão crescente no país em 2016. Foi um processo colaborativo, em que os atores trouxeram histórias vividas por eles ou relatos de conhecidos. A chave para a interpretação é realista em situações que tem um desenvolvimento absurdo, levando para um lugar muito inesperado. A peça retrata o universo desses atores e busca uma universalidade pelo caminho da identificação”, explica Pedro Granato.

A direção pretende colocar o público bem perto, em algumas cenas, quer que a plateia se sinta como se estivesse na mesma situação dos atores.

“O jogo com o espaço cênico tem um aspecto imersivo de colocar o espectador na situação em que os atores estão trazendo. É a sensação de que tudo poderia acontecer com qualquer pessoa ali presente”, fala Granato.

Cada cena é levada ao paroxismo e quando parece não haver mais para onde ir, a música toma o ambiente e os atores extravasam em coreografias. É um trabalho visceral, que busca intensificar o conflito de cada cena. Histórias em que a plateia se identifica, músicas contemporâneas, tudo está equalizado para dialogar profundamente com a geração atual. “São fragmentos que formam um conjunto em que se observa essa polaridade e explosão que a gente percebe nas relações hoje em dia”.

“A ideia é trabalhar com temas atuais e atores jovens explorando diferentes formas de incluir a plateia na cena, de forma que o espectador se sinta impulsionado a interferir ou tomar um partido na situação que se apresenta diante dela”, explica o diretor.

Ficha técnica:

Direção e Dramaturgia: Pedro Granato.
Elenco: Anna Galli, Bianca Lopresti, Gabriel Gualtieri, Isabella Melo, Jonatan Justolin, Gustavo Bricks, Mariana Marinho, Mariana Beda, Rafael Carvalho, Renan Botelho e Vítor diCastro.
Iluminação e assistência de direção: Gabriel Tavares.
Coreografia: Inês Bushatsky.
Produção: Victoria Martinez e Jéssica Rodrigues (Contorno).
Realização: Pequeno Ato.

Serviço:

11 SELVAGENS
Pequeno Ato –
Rua Doutor Teodoro Baima, 78 – Vila Buarque.
Telefone: 11 99642-8350.
Bilheteria aberta com uma hora de antecedência. Aceita cartões.
Não tem acessibilidade.
Estacionamento vizinho.
Capacidade: 40 lugares.
Duração: 70 minutos.
Classificação: 16 anos.
Ingressos: R$ 40,00 (inteira); R$ 20,00 (meia-entrada).
Temporada: Sextas-feiras às 21h e sábados às 19h – Até 6 de maio.
Venda pela internet: http://www.sympla.com.br/pequenoato

Cassiano Leonardo especial para o Aplauso Brasil (Cassiano@aplausobrasil.com.br)